O grande segredo para uma vida mais longa e saudável

  • Matheus Macêdo

Qual é a melhor atividade física para a saúde? Com que frequência e intensidade devo me exercitar? Saiba como colher os benefícios da atividade física para uma vida longa e saudável

Recentemente, a história de um homem chamado Amar Bharati viralizou nas redes sociais. Este é o nome do sadhu que se tornou mundialmente conhecido por seu protesto pela paz mundial. Na década de 1970, esse indiano hinduísta decidiu levantar um dos braços e mantê-lo erguido enquanto houvesse guerras e violência no mundo.

Sadhus são como são chamados os “santos” vivos do hinduísmo, pessoas que abdicam tudo para viver em prol de sua fé. Até por isso, apesar de as guerras não terem cessado, Sadhu Amar Bharati continuou firme em seu propósito. Com o passar do tempo, as articulações do braço calcificaram e o membro se tornou rígido, assemelhando-se a um galho de árvore apontando para o alto.

Agora, o que essa história tem a ver com a prática de atividade física, que eu chamo de Pilar do Movimento?

VOCÊ VAI GOSTAR TAMBÉM: O que é Ayurveda?

Use-o ou perca-o

Existe um ditado, em inglês, que as pessoas utilizam para se lembrar do que acontece com o corpo e com seus padrões de movimentos quando não utilizados.

O ditado é curto e grosso: “use it or lose it”. Ou seja, se você não nutre seu corpo de movimento, você simplesmente perde a capacidade de realizar movimento com o passar do tempo. Foi exatamente o que aconteceu com o braço de Sadhu Amar.

Não existe razão para nutrir músculos e articulações que nunca ou raramente são utilizados. O corpo não gasta energia à toa. Graças a esse princípio é que chegamos até aqui enquanto espécie, sobrevivendo a períodos de crises e escassez.

No entanto, poupar energia não é uma desculpa para não se mexer. Pelo contrário. A natureza do corpo humano é movimento e não rigidez. Graças a padrões básicos de movimento como caminhar, correr, pular, agachar, pendurar, rastejar, etc. é que também chegamos até aqui enquanto espécie.

Muitos problemas físicos, ortopédicos, derivam de uma ignorância completa dessa natureza de movimento do corpo humano.

Imagine uma pessoa que fica sentada oito horas ou mais por dia na frente de um computador, por exemplo. Em algum momento suas costas doem.

Esse desconforto nada mais é do que o corpo pedindo movimento. Apesar disso, a pessoa ignora o chamado, porque tem que enviar mais um e-mail. Passados alguns instantes, é o pescoço que começa então a doer. Novamente um sinal do corpo pedindo movimento e, mais uma vez, a pessoa ignora esse pedido porque precisa entrar em uma videoconferência.

Eu brinco que depois de ser ignorado inúmeras vezes, chega uma hora em que o corpo cansa. É como se ele dissesse: ok, você não deu atenção para os sinais que estive mostrando, então agora lide com essa hérnia de disco aqui.

É claro que o processo de desenvolvimento de um problema físico mais grave não é uma punição do corpo a si mesmo pelo fato de ele ter sido ignorado. Essa é apenas uma forma alegórica que expressa, na verdade, uma relação direta de causa e efeito.

O sedentarismo, a má postura, assim como ignorar os sinais que o próprio corpo dá, podem gerar graves consequências para a saúde.

Sentado ou deitado?

Hoje em dia, muitas pessoas assumem apenas duas posições ao longo da vida: sentada ou deitada. Se isso te parece chocante, repare se não é o seu caso ou o de alguém que você conhece.

A pessoa acorda, senta-se na cama, pega o celular, vai ao banheiro, senta-se no vaso sanitário, depois se senta para tomar café, vai para o trabalho, provavelmente sentada em algum meio de transporte, passa horas sentada na frente do computador, senta-se para almoçar, volta para o computador, retorna sentada para casa, senta-se para jantar e, finalmente, deita para assistir TV ou dormir. Ufa! No dia seguinte tudo se repete.

Lembre-se que toda vez que você passa o dia sentado, você está violando a natureza de movimento do corpo.
“Ah, Matheus, mas eu faço academia três vezes por semana” – muitos alunos e pacientes dizem.

Certamente que fazer atividade física três vezes por semana é melhor do que duas, uma ou nada. Mas movimento tem que ser feito todo dia, toda hora.

Isso mesmo, todo dia!

LEIA TAMBÉM: O que faz alguém estar sempre doente?

Mantenha os padrões básicos de movimento

Voltemos aos padrões básicos de movimento. Se você raramente agacha, por exemplo, é bem provável que tenha dificuldade em fazê-lo. Se você raramente toca os seus pés sem flexionar os joelhos, essa tarefa passa a ser quase impossível, devido à falta de alongamento. Lembre-se: se você não usa, você perde.

O problema de perder a capacidade de executar padrões básicos de movimento é justamente esse, de que eles são básicos e fazem parte da nossa natureza. Aí, quando o sujeito, que quase nunca se mexe, se abaixa para pegar uma caneta que caiu no chão, de repente, trava as costas.

Tarefas muito simples, como pegar um objeto do chão ou carregar o saco de lixo para fora podem ser motivo para uma coluna travada, seguido de meses de dor e limitações. Mas isso não precisa ser assim.

Suor e diversão

Você pode então perguntar: “Ok, Matheus, então qual é a melhor atividade física?”.

A resposta é muito simples: é aquela que você faz. Para isso, o movimento precisa ter dois elementos básicos: suor e diversão.

O suor é um excelente indicador de que o movimento está sendo eficiente e benéfico para a saúde. Você não precisa se movimentar até a exaustão. Aliás, a recomendação ayurvédica para a prática de atividade física é que você se movimente até a metade de sua capacidade.

É claro que isso não se aplica a atletas e profissionais do esporte de alto rendimento. Trata-se de uma recomendação para que qualquer indivíduo tenha uma vida longa e saudável, e não para todo mundo ganhar medalhas nas Olimpíadas. Começou a suar, pode ficar satisfeito com a prática de movimento.

Além disso, movimento tem que ser divertido. Se você faz academia com seu personal trainer e você detesta, então pare. A ideia de que movimento é dissociado de prazer e é associado à obrigação acaba com a vida das pessoas. E não caia na armadilha da falta de equipamentos. Você não precisa ter um tênis específico para caminhar, ou uma calça especial para praticar Yoga. Às vezes, as pessoas gastam mais tempo acumulando apetrechos do que praticando a atividade física em si.

O importante é nutrir o corpo de movimento inteligente e variado. Dança, kung-fu, capoeira, natação… não importa, vá se divertir, vá brincar.

Você deveria se mexer todo dia, suar quando se mexe e terminar a sessão de movimento muito feliz.

Essas são as dicas práticas mais importantes que podem te ajudar a adotar e manter o hábito de movimentar-se.

Um grande abraço e lembre-se sempre: SAÚDE É LIBERDADE!


MATHEUS MACÊDO é o primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso BAMS (Bachelor of Ayurveda, Medicine and Surgery). Viveu na Índia quase 7 anos e de lá criou a Vida Veda, uma empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa. Carioca, vive em Guimarães, Portugal, e percorre o mundo dando palestras sobre Ayurveda e Medicina Integrativa.

*Os textos de colunistas não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 246, agosto de 2022 COMPRAR

COMENTÁRIOS

  • Nilza

    Este ano de 2021 te descobri estou amando, estou me preparando para fazer um dos seus cursos . Quando eu for começar vou entrar em contato para saber onde começar. Abraços sua fã Nilza de Freitas.

    Responder
    • Vida Simples

      Que legal, Nilza! E quando fizer, conte pra gente também 🙂

      Responder

  • TAMBÉM QUERO COMENTAR

     

    Campos obrigatórios*