Diabetes: uma doença evitável e de estilo de vida?

  • Matheus Macedo
  • FOTOGRAFIA: Lisa Hobbs | Unsplash

Será que a diabetes é uma doença causada apenas pelo consumo excessivo de açúcar? Descubra os fatores de risco que estão por trás dessa doença e os hábitos que ajudam a evitá-la.

O que você pensa quando vê uma pessoa andando de moto sem capacete? Ou quando vê alguém dirigindo sem usar o cinto de segurança? Provavelmente você pensa que essa pessoa está se arriscando demais, sendo negligente com a própria vida, não é? Não tem cabimento se expor a um risco tão alto por não adotar hábitos tão simples que poderiam mitigar esses riscos.

A questão aí não é que o capacete ou o cinto vão evitar que os acidentes aconteçam. Mas, se eles acontecerem, esses itens podem prevenir um trauma ainda maior. Da mesma forma que milhares de pessoas morrem em acidentes simplesmente por não terem adotado certos cuidados preventivos, outras milhares (ou pior, milhões) morrem de doenças que também poderiam ter sido evitadas.

No artigo de hoje, vamos falar sobre a diabetes mellitus, uma doença que acomete 537 milhões de pessoas ao redor mundo e que, segundo a Organização Mundial de Saúde, é uma doença evitável.Vou lhe dar dicas práticas de alimentação e de estilo de vida que podem ajudar tanto na prevenção quanto no tratamento da doença.

Não é só o açúcar

Acredito que não seja novidade para ninguém que a prevenção da diabetes passa pela alimentação e estilo de vida. Mas como o conhecimento não para de avançar, talvez você não esteja atualizada sobre as descobertas mais recentes da medicina moderna.

Hoje em dia, a diabetes não é considerada uma doença apenas de excesso de açúcar. Na verdade, o açúcar elevado no sangue é uma consequência de um problema com a insulina, que é responsável pela entrada de glicose na célula.

Seja porque a insulina não é produzida pelo pâncreas (diabetes tipo 1), ou porque existe uma resistência das células à insulina (diabetes tipo 2), o fato é que em ambos os casos a glicose não consegue entrar na célula para ser convertida em energia. Com isso, ela se acumula na corrente sanguínea, podendo causar inúmeros problemas de saúde.

Resistência a insulina

No caso da diabetes tipo 2, responsável por cerca de 95% dos casos de diabetes, existem diferentes hipóteses do porquê a célula se torna resistente à insulina. A mais atual e aceita pela comunidade médica é a da lipotoxicidade. Isto é, por causa de um excesso de gordura, principalmente associada às células musculares, a insulina não consegue se acoplar às células. Portanto, nesse caso, a causa da diabetes seria o excesso de gordura e não o de açúcar (esse seria uma consequência).

A resistência à insulina pode também estar relacionada à atuação de certos hormônios, como estrogênio e cortisol. Mas esses são casos específicos, que podem ocorrer principalmente durante um período da gravidez, no quadro conhecido como diabetes gestacional.

Urina doce, gordura e músculos viciados

Dentre os vários problemas à saúde causados pelo excesso de glicose no sangue, estão aqueles relacionados ao trato urinário. Isso porque ao passar pelos rins, o sangue é filtrado e o excesso de glicose é eliminado pela urina. Por isso, um dos sintomas da diabetes é a presença de glicose na urina da pessoa.

O problema é que nesse processo, os rins acabam sendo prejudicados no longo prazo. Nesse ponto, não tem como não lembrar de algumas diretrizes clínicas ayurvédicas.

Um dos livros clássicos milenares do Ayurveda fala sobre uma doença chamada prameha. Ela ocorre quando o trato urinário, bem como os tecidos adiposo e muscular ficam viciados. Esse desequilíbrio, por sua vez, pode ter várias consequências, dentre as quais alterações na urina, que pode apresentar mudanças de coloração e a presença de glicose (demonstrada antigamente pela capacidade dessa urina de atrair formigas). Percebe as semelhanças com a diabetes?

Hábitos saudáveis

comida saudável ayurveda

A boa alimentação é fundamental para a prevenção e controle da diabetes.     Crédito: Chelsea Shapouri | Unsplash

Segundo o Ayurveda, o trato urinário e os tecidos adiposo e muscular podem ficar doentes por causa de hábitos não saudáveis. Entram nessa lista o sedentarismo, o consumo de preparações ricas em açúcar e o excesso de alimentos gordurosos, principalmente carne e lácteos.

Veja só que interessante. Repare como essa lista engloba exatamente os mesmos fatores de risco para o desenvolvimento da diabetes tipo 2, como apontam as pesquisas modernas. Também existem diferenças claras entre o conceito moderno de diabetes e a fisiopatologia do prameha, mas achei interessante pontuar aqui essas semelhanças.

Atividade física, consumo de vegetais e banho de ervas

Em ambos os casos, a atividade física é uma das recomendações básicas para a prevenção e tratamento da diabetes. O movimento pode diminuir a resistência insulínica, o que faz com que a glicose circulante no sangue entre nas células sem a necessidade de produção de mais insulina.

Além disso, mudanças na alimentação são fundamentais. É importante incluir vegetais ricos em água e que não sejam muito doces, como pepino, abobrinha, tomate, berinjela, chuchu, vagem, folhas em geral, ervilha, feijões, sementes variadas (chia, linhaça, girassol, gergelim, abóbora…) e frutas como acerola, pitanga, morango, maracujá e abacate. O Dr. Michael Greger, no seu livro Comer Para Não Morrer, ainda menciona outras intervenções alimentares que podem atuar positivamente em casos de diabetes.

No caso de prameha, o Ayurveda ainda recomenda alguns tipos de banho que podem ser preparados com diferentes ervas: vetiver, canela, cardamomo, aquilária e sândalo.

Outro ponto que acho interessante é que o Ayurveda já considerava a influência da genética na manifestação de algumas doenças, mesmo dezenas de séculos antes da descoberta do DNA. Aponta-se que é possível que prameha passe de pais para filhos.

Aí está outra semelhança com a diabetes que, de acordo com a medicina moderna, também aponta a hereditariedade como um fator relevante.

Evitar o sofrimento para si e para os outros

É importante deixar claro que mesmo que haja predisposições genéticas para diabetes, os fatores ambientais, que incluem alimentação e estilo de vida, são fundamentais para a prevenção e controle da diabetes. Portanto, você nem precisa se preocupar com os mecanismos genéticos e fisiopatológicos da doença.

Meu objetivo com este artigo é chamar a sua atenção para o fato de que a diabetes é uma doença evitável. Ficar doente e um dia morrer é inevitável, vai acontecer com todos nós. Mas o ponto é que você não precisa sofrer com doenças que poderiam ser evitadas com mudanças simples de alimentação e estilo de vida.

Sem contar que quando adoecemos, na verdade não adoecemos sozinhos. Muitas vezes vamos precisar de alguém para cuidar de nós, certo? Ou seja, as escolhas ruins que fazemos para nossa vida, muitas vezes, acabam impactando diretamente a vida de outras pessoas. Cuidar de si é também cuidar dos outros.

Um grande abraço e lembre-se sempre: SAÚDE É LIBERDADE!


MATHEUS MACÊDO é o primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso BAMS (Bachelor of Ayurveda, Medicine and Surgery). Viveu na Índia quase 7 anos e de lá criou a Vida Veda, uma empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa. Carioca, vive em Guimarães, Portugal, e percorre o mundo dando palestras sobre Ayurveda e Medicina Integrativa.

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.

COMO TRATAR DIABETES COM AYURVEDA? | Projeto 0800 #553

DIABETES, DOENÇAS RENAIS E MEDICINA INTEGRATIVA | Projeto 0800 #472


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 238, dezembro de 2021 COMPRAR

COMENTÁRIOS

  • Iracema

    Orientações simples e muito práticas! Me chamou a atenção para a importancia da prevenção. Normalmente deixamos prá nos cuidar só depois que o problema aparece.

    Responder

  • TAMBÉM QUERO COMENTAR

     

    Campos obrigatórios*