O superpoder de mudar a vibração de uma pessoa ou ambiente

  • Ale Garattoni

Todos nós temos a capacidade de transformar a energia, elevando a frequência ao nosso redor – e ela é mágica e viciante!

 

Um dos livros que mais gostei de ler em 2019 foi “Vibe” (por enquanto, ele só está disponível em inglês), de Robyn Openshaw, sobre como funcionam as frequências energéticas e de que maneira podemos alterá-las – elevando-as ou diminuindo-as. Nerd que sou, amo uma teoria, afinal. Mas, nesse caso, a prática é ainda mais encantadora: me dei conta de que sou viciada em mudar para melhor a energia de pessoas e ambientes. É como um superpoder e vê-lo em ação nos mostra como somos poderosos.

Sabe quando você entra em um táxi e o motorista nem bem responde o seu “bom dia” (ao contrário, quase rosna para você)? Ou quando encontra uma amiga e ela desanda a reclamar de tudo e todos? Ou, ainda, quando o papo de alguém se resume a uma fofoca maldosa sem fim? Nem precisava ter lido isso no livro “Vibe”, mas mau-humor, reclamação e fofoca estão entre as mais baixas categorias de frequência energética. A gente tem que tomar o maior cuidado com elas, porque, além de tudo, a energia é contagiosa – se você não se dá conta, começa a ser mal-humorada de volta com o taxista e reclamona com a amiga. Mas é aí que entra a força do mindfulness, estado que nos permite fazer tudo com presença e atenção plena. Ao reconhecer a vibração negativa, use sua inteligência emocional para invertê-la.

Vibe

A gente tende a levar tudo para o pessoal, este é um grande problema. A partir daí, é um pulo para sentir raiva do profissional que não foi gentil e querer ser ainda mais antipático com ele. Isso só causa um enorme círculo vicioso, no qual todo mundo vai ficando com a frequência cada vez mais baixa e contagiando tudo ao redor. Como interromper esse padrão? Respire, não se deixe contaminar, entenda que nada daquilo é com você (a pessoa provavelmente está tendo um mau dia) e inverta o jogo: seja ainda mais simpático, mentalize bons pensamentos e, se for possível, lance mão até de um óleo essencial puro – o “Vibe” elencou a frequência vibracional dos óleos como a mais elevada de todas.

A princípio, a ideia pode parecer utópica ou só mais um lero-lero motivacional. Mas saiba que, desde que me dei conta deste superpoder, testo-o rotineiramente e é quase infalível. As transformações acontecem muito mais rápido do que se imagina. Quando a gente consegue tirar sorrisos e gentileza de um profissional antes carrancudo e assuntos leves de quem só sabia reclamar, a sensação é a de usar uma capa de super-herói!

P.s.: para elevar a frequência a seu redor, cuide sempre da sua própria energia! Seja cuidadoso com seus hábitos, suas companhias mais frequentes e até seu feed do Instagram – não há como ficar bem se só segue gente reclamona e perfis de fofoca maldosa!

 

Ale Garattoni é carioca, formada em Administração de Empresas, com especializações em Marketing e Jornalismo de Moda. Fundadora da Amo Branding, que trabalha imagens de marcas com base no autoconhecimento, e do @Blog5Sentidos, que criou para compartilhar seu processo de transformação pessoal. Por aqui, mensalmente, divide sua experiência nesta caminhada.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 215, janeiro de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Como ser feliz no trabalho: Para encontrar satisfação em um emprego, é preciso resgatar talentos e renovar o nosso jeito de olhar a vida



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*