Ano Novo e Natal na pandemia: como aproveitar

  • TEXTO Lucas Vasconcellos
  • DATA: 22/12/2020

Enquanto a vacina não chega, precisamos ser responsáveis e continuar nos cuidando. E aguentar mais um pouco dentro de casa é necessário. Mas é possível vivenciar o Natal e Ano novo com qualidade na pandemia.

Confesso que há alguns meses, quando começou a conversa sobre quarentena no Brasil, inocentemente eu achei que duraria cerca duas semanas. Voltaríamos então a nossa vida. Mas esse tempo foi prorrogado. E prorrogado de novo… A cada nova notícia sobre a covid-19, meus sentimentos oscilavam. Parecia que eu estava em um carrinho de montanha-russa em funcionamento: hora lá em cima e pouco tempo depois lá embaixo.

A minha história é comum a da maior parte das pessoas que conheço. Não tem sido fácil. Mas depois de tantos meses, estamos mais próximos à vacina. Até que ela chegue – e isso ainda demora alguns meses – não dá para fingir que nada está acontecendo, já que os números de infectados e mortos pelo novo coronavírus ainda estão crescendo. Eu pelo menos não consigo.

Por aqui, o Natal e Ano Novo serão quietos, sem a tradicional agitação com minha família e amigos. Aceitar isso dói, porque eu estou cansado – assim como outros milhões de brasileiros. Mas é possível ter um final de ano feliz, mesmo dentro de casa e com pouco contato humano físico, como explicam os psiquiatras Eduardo Perin e Luiz Scocca.

Aceite a frustração

Não dá para brigar com o sentimento de decepção, afinal, ele é real. É esperado a tristeza ou a sensação de saco cheio, principalmente pela data, que normalmente é época de confraternização, exista. Não se culpe por isso.

Muita gente não conseguiu ter vida social em 2020 e continuará assim, pelo menos da maneira tradicional, já que ainda pouco se sabe sobre o coronavírus e a vacina ainda não é uma realidade massiva.

Dá para driblar o baixo-astral

Aguentamos até aqui, é possível ter um pouco mais de resiliência. Se você não estiver a fim de curtir o feriado, está tudo bem. Você pode dormir mais cedo e viver como se fosse uma data regular. Não se apegue a pressão imposta socialmente ao dia.

Mas você também pode aproveitar para ressignificar o momento: adicione músicas à sua playlist, leia algo que te dê prazer, acione os amigos e familiares via videochamada… Torne a data sua neste ano tão atípico, respeitando seu tempo e sua energia.

Como renovar a fé?

Embora não saibamos com certeza quando a vacina começará a ser distribuída massivamente, a ideia é de que esse lançamento está se aproximando – e que promete ser ao menos parcialmente efetiva contra o vírus. Governos já se mobilizam mundo afora e grupos prioritários já estão recebendo suas doses. E isso, por si só, já é motivo de celebração.

Nesta época do ano, os sentimentos ficam aflorados: alegria, tristeza, saudade, amor… Mas em especial a esperança de que, com a chegada de um novo ano, tudo se renovará. E focar nessa egrégora é algo positivo.

A fé, que pode estar relacionada a uma religião ou não, é um dos superpoderes do ser humano. Com a fé você transforma a dor numa situação de normalidade. E esse período nos permite ficar recarregados deste sentimento. É hora de mentalizar o que você quer e perceber que caminhamos muito e que logo as coisas se transformarão.


Consultoria: Eduardo Perin, psiquiatra pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) pelo Ambulatório de Ansiedade do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) e Luiz Scocca psiquiatra pelo Hospital das Clínicas da USP, membro da Associação Americana de Psiquiatria (APA).

 

 


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 236, outubro de 2021 COMPRAR

COMENTÁRIOS


TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*