Obrigada 2020

2020 ficará pra sempre como o ano em que nossos sorrisos foram abafados, nossos medos, expostos, e que abraçamos o vazio. Ano em que tivemos que encontrar novas formas de nos fazer entender, já que as palavras mal se ouviam. Ano em que perdemos as referências, desmoronaram certezas e passamos a conviver com o imprevisível.

Tarefas simples exigiram um tremendo esforço e planejamento. Tivemos que repensar espaços, hábitos, escolhas. E aparar arestas nas relações.

De repente, tudo o que antes parecia “normal” ganhou um novo significado: saúde, emprego, companhia, família, rotina. Até mesmo um corte de cabelo. Por mais que quiséssemos, percebemos que não estávamos no controle. Viver um dia de cada vez foi o único caminho para navegar mares tão turbulentos da forma mais indolor possível.

Então paramos.

E quando isso aconteceu, desapareceu o trânsito, reapareceram golfinhos e o entardecer foi o mais lindo já visto. E quem parou para olhar, começou a enxergar várias outras coisas.

Que desacelerar faz bem.

Que não somos donos do tempo e que não dá pra fazer tudo.

Que precisamos simplificar.

Que ao mesmo tempo que somos limitados, nossa capacidade é infinita.

Que temos habilidades e talentos a descobrir.

Que vivemos muito bem sem o consumo.

Que nossa casa precisa ser o nosso lar.

Que temos que cuidar da nossa saúde física e mental. E do outro.

Que é muito bom ajudar e, também, pedir ajuda.

Que estamos todos conectados, que o mundo é um só e dependemos um do outro. E que se não deixarmos de lado as diferenças pra pensarmos no todo, talvez não dê para chegar lá…

Podemos levar de 2020 as dificuldades vividas, as perdas sofridas e tudo o que nos faltou. Ou podemos derramar as últimas lágrimas, respirar fundo e agradecer.

Agradecer pelo simples fato de estarmos vivos e de termos conseguido chegar até o novo ano. De termos recebido uma oportunidade de melhorar como indivíduos e humanidade. De olhar e dar valor para o que realmente é essencial.

2020 foi muito, muito duro. Mas muito bom também. 2021, e a forma como evoluiremos daqui pra frente, vai depender de como “depurarmos” tudo o que aconteceu e das escolhas que cada um fizer.

Eu escolho aprender e agradecer por 2020, e você?


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 235, setembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*