Como descobrir o seu dosha?

  • Matheus Macedo
  • FOTOGRAFIA: Lisa Hobbs (Unsplash

Os doshas, ao contrário da crença geral, não são três, mas, sim, cinco: três do corpo e dois da mente. Você sabe qual é o seu?

Se você já pesquisou sobre Ayurveda, deve ter se deparado com o termo doshas e talvez até já fez o teste para descobrir o seu. Porém, fazer um teste rápido não é o bastante para ter uma saúde equilibrada de acordo com o Ayurveda. Neste artigo vamos explicar o que são os doshas e qual é o papel deles na saúde do corpo e da mente. É provável que você já tenha ouvido essa palavrinha em algum lugar, mas não saiba seu real significado. Vinda do sânscrito, dosha significa “aquilo que gera desequilibrio”. Parte da fisiologia ayurvédica, os doshas mantêm o corpo com saúde e vitalidade quando em equilíbrio e, quando agravados ou em desequilíbrio, podem gerar doenças.

Os vaidyas (médicos ayurvédicos), ao longo de milhares de anos, enxergaram relações entre princípios fisiológicos do corpo humano e “empacotaram” essas relações complexas dentro desses movimentos gerais. Os processos que chamamos de vata, pitta kapha, rajas e tamas. Os conhecidos doshas que, ao contrário da crença geral, não são três e sim cinco: três do corpo e dois da mente.

Os doshas do corpo 

Vata dosha é a causa de todo o movimento do corpo humano. Quando está funcionando normalmente, o vata é responsável pela sua vontade de viver; o seu entusiasmo; pelos atos de expirar e inspirar, por exemplo. Além da regulação dos impulsos fisiológicos do corpo e a promoção da nutrição, ele também é responsável pelo funcionamento e movimento apropriado dos tecidos. Dessa forma, o vata promove a dinâmica entre os tecidos e a regulação de todos os órgãos dos sentidos.

Já o pitta dosha é responsável pelas atividades metabólicas do corpo, como os processos de digestão, por exemplo. Manter a temperatura base do corpo, aquecendo ou esfriando para lidar com a temperatura do ambiente, também é papel de pitta. Outras funções são a capacidade de ter fome, sede e apetite. Assim como o aspecto da pele, viço, suavidade e maciez. Até mesmo a nossa memória, percepção, discernimento, força interior, capacidade de realizar atividades e ir adiante na vida são funções de pitta.

doshas

Conscious Design (Unsplash)

Já o kapha é o dosha que dá estabilidade ao corpo. Outra capacidade importante deste dosha é controlar os níveis de gordura, a umidade, a capacidade de digestão e trocas intracelulares – tudo isso precisa de oleosidade. Todos os canais pelos quais circulam líquidos se beneficiam dessa função. As articulações também são parte da função de kapha, que as tornam estáveis. Sabe a sua capacidade de perseverar, ter paciência e persistir mesmo em situações difíceis? Kapha também é responsável por isso.

Os dois doshas da mente

Como dissemos anteriormente, os doshas da mente são rajas e tamas – o primeiro é responsável pela atividade e o segundo, pela inatividade. A mente humana tende a oscilar dentro desses dois princípios, sendo rajas quando a mente tende para o lado mais agressivo, ativo e animado. E tamas quando fica mais letárgica, deprimida e quietinha. Quando em desequilíbrio, esses princípios podem exacerbar e afetar a saúde mental e emocional do indivíduo.

Quando esses desequilíbrios acontecem, o Ayurveda propõe três tratamentos possíveis para os doshas da mente. O primeiro deles é  dhi, o “discernimento”. Se você tem a capacidade de discernimento provavelmente conseguirá manter uma boa saúde mental. Da mesma forma, se você está com alguma doença mental, certamente ela vai afetar o seu discernimento.

O segundo tratamento é dhairya, que pode ser traduzido como “coragem”. Dhairya é a capacidade de encarar uma situação mesmo que você não esteja 100% confortável com ela. O terceiro tratamento já tem um nome mais longo: atmadivijnana. Em uma tradução simples, significa o “conhecimento daquilo que você é”, ou seja, o exercício do autoconhecimento e da auto-observação.

Prakrti e Vikrti

Agora que entendemos quais são os doshas e quais são as funções de cada um deles no corpo humano, precisamos responder: e o teste do dosha? Se os doshas co-existem no corpo e são responsáveis por várias funções fisiológicas e mentais, tem como uma pessoa ‘ser do dosha vata’, por exemplo? Na verdade, quando uma pessoa pergunta qual é o seu dosha, ela quer mesmo é saber qual é a sua prakrti.

Como acabamos de ver, os doshas são elementos responsáveis por funções no seu corpo: você respira por conta de vata dosha, tem temperatura corporal regulada devido ao pitta dosha, tem estabilidade graças ao kapha dosha. Agora, se você tem uma mente tranquila ou agitada, se tem uma saúde mental equilibrada ou não, isso se deve a rajas e tamas. Isso significa que você não é um dosha e, sim, que os cinco doshas ajudam a compreender o funcionamento da sua fisiologia.

doshas

Fotosr (IStock)

Mas então, o que é Prakrti? Prakrti significa literalmente “a sua essência”, ou seja, a sua natureza, aquilo que você é, a base estrutural do seu corpo. Muitas pessoas inclusive relacionam a ideia de Prakrti com a noção da medicina moderna de genética. Uma vez que Prakrti é aquilo que foi formado no momento da fecundação e o que marca o funcionamento da sua fisiologia ao longo da vida.

Prakrti, portanto, é a formação original dos doshas no seu corpo, como suas “configurações de fábrica”, por assim dizer. Essa formação inicial não muda ao longo da sua vida, assim como a sua genética não se modifica. Da mesma forma, essa combinação natural não gera problemas no corpo, a não ser quando eles se desequilibram. Se Prakrti é a base da sua essência, Vikrti, por sua vez, é o desequilíbrio da sua natureza. Quando um vaidya trata um ser humano, nunca é a Prakrti que é tratada. Os tratamentos, portanto, são sempre voltados para a Vikrti, para o desequilíbrio.

De forma prática, isso significa que, se sua Prakrti é uma combinação de vata, kapha e pitta ao mesmo tempo, e o vaidya diagnostica um desequilíbrio em pitta dosha no seu corpo; o tratamento será voltado a reverter este desequilíbrio e restaurar o seu estado natural, respeitando sua individualidade.

Tá, mas qual é o meu dosha?

Agora que você aprendeu sobre as funções dos doshas e o que é a Prakrti, deve estar se perguntando qual é sua combinação natural de doshas e se é possível descobrir isso sozinha(o). Eu entendo que a promessa de descobrir qual é o seu dosha por um teste simples e rápido na internet é tentadora. Da mesma forma, é quase mística a ideia de que podemos descobrir nossa essência e desbloquear o conhecimento de quem somos de verdade com um simples rótulo de qual é a nossa Prakrti.

A verdade é que descobrir a sua Prakrti não vai te dar uma resposta simples sobre quem você é e como funciona a sua saúde. Não basta descobrir a combinação de doshas predominante no seu corpo e só seguir uma dieta pré concebida. Fazer apenas os exercícios que indicaram “para o seu dosha” e viver em função de um rótulo. Isso não funciona porque a sua saúde também sofre a influência de outros elementos como o local onde você vive, sua fase de vida, estação do ano… Todos nós somos seres complexos, únicos e, ao mesmo tempo, múltiplos em nossa constituição. Uma pessoa pode ser mãe, filha, professora, estudante, artista e várias outras coisas ao mesmo tempo. A vida muda constantemente, no tempo e no espaço, e o mesmo acontece com cada indivíduo.

Outro ponto crucial é saber que você não precisa sair correndo atrás de um terapeuta ayurvédico ou vaidya para descobrir sua Prakrti e só então começar a melhorar sua saúde com o Ayurveda. Você pode começar hoje mesmo, agora, prestando atenção em como você se sente, como está o ambiente à sua volta e percebendo como tudo o que você consome e faz afeta o seu bem-estar e a sua saúde. Se algo não lhe faz bem, não é preciso que um vaidya confirme que aquilo causa desequilíbrio na sua saúde.

O Ayurveda não é uma ciência que oferece fórmulas padronizadas para aplicar para todo mundo. E sim uma medicina que busca observar a essência de cada ser humano. Respeitar e compreender cada situação, cada momento e variação que ocorre dentro de cada indivíduo e no ambiente que o circunda é fundamental para entender quem você é. Se fosse simples, não seria Ayurveda.

Esse artigo foi baseado em uma aula que eu dei no curso gratuito A Essência do Ayurveda. Se você quer conhecer um pouco mais sobre as práticas ayurvédicas, você pode assistir essa aula no YouTube.


Matheus Macêdo é o primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso BAMS (Bachelor in Ayurveda, Medicine and Surgery). Viveu na Índia quase 7 anos e de lá criou a Vida Veda, uma empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa. Carioca, vive em Guimarães, Portugal, desde 2020 e percorre o mundo dando palestras sobre Ayurveda e Medicina Integrativa.

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 235, setembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*