Estar, acolher e trabalhar juntos | Ouvindo Vida Simples

Neste episódio de Ouvindo Vida Simples, Sandra San faz a leitura do texto “Estar, acolher e trabalhar juntos”, de André Resende.

Produção de áudio: Ogro | Edição do portal: Margot Cardoso | Direção geral: Lu Pianaro e Isis de Almeida.

Trabalhar juntos, saber acolher e estar com o outro é essencial, não só para cada um de nós, mas para a nossa continuidade por aqui.

“Chega-se mais facilmente a Marte do que ao nosso próprio semelhante.” A frase é do escritor português José Saramago e foi pronunciada em seu discurso ao receber o Prêmio Nobel de Literatura, em Estocolmo. A afirmação de Saramago faz sentido e segue atual apesar de ele ter recebido a premiação há pouco mais de duas décadas. Agir com acolhimento, interesse, compaixão e solidariedade com o outro ainda é uma invenção em curso. Mas como podemos melhorar nossa maneira de viver, pensar, agir e interagir, de um modo que, mudando em nós, mude em todos?

É esse estar junto e criar ações a partir disso que move, por exemplo, os Hortelões Urbanos, grupo brasileiro que congrega mais de 80 mil pessoas em todo o país, em um movimento que ocupa canteiros das cidades para plantar alimentos. Uma das oito mediadoras do grupo é Claudia Visoni, jornalista e ativista de muitas causas.

Hortelões em rede

Os Hortelões Urbanos interagem por redes sociais, estão em cidades, pequenas ou grandes, plantando onde dá: quintais, apartamentos, lugares espremidos de ruas e praças. “Com mais de 80 mil pessoas, fica impossível conhecer todo mundo, mas é bom saber que existe um movimento coletivo”, comenta Claudia, afirmando que não querem ser uma entidade nem têm representantes oficiais, mas estão no mundo para tornar o dia a dia mais agradável de viver.

Se você preferir pode continuar a ler o texto Estar, acolher e trabalhar juntos


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 238, dezembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*