Em busca da comida verdadeira

  • DATA: 28/05/2015

Quando era criança, Lisandro Lauretti ajudava o pai, italiano, a preparar a massa que iriam comer no almoço. Hoje, ele trabalha como chef e consultor gastronômico. E foi ele quem convenceu o escritório de Jamie Oliver, em Londres – e o próprio Jamie -, a apostar em um restaurante por aqui. É ele também quem está à frente do negócio. Conversamos com Lauretti quando o lugar abriu.

Como foi trazer o Jamie’s Italian?

No começo foi tranquilo, mas a viabilidade do negócio foi difícil. Foram muitos os desafios para seguir todos os padrões de qualidade exigidos por Jamie.

E quais foram esses desafios?

Existe uma lista de substâncias, cerca de 80, como conservantes, que não podem conter nos alimentos servidos no restaurante. Então, tivemos que encontrar fornecedores que cumprissem isso. Também é preciso respeitar a cadeia produtiva. A carne que servimos precisa ser de um animal que foi bem tratado e que morreu com dignidade. A massa é feita no restaurante. E eu conheço, pessoalmente, cada um dos produtores com quem trabalhamos. Essa relação mais próxima é muito importante.

Qual o resultado desse esforço?

Uma comida honesta, acessível e gostosa, sem aditivos, sem glutamato, só com ingredientes naturais. Tudo isso feito por pessoas que adoram cozinhar.

Jamie’s Italian – www.jamieoliver.com/italian/brazil


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 207, maio de 2019 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Descubra por que se criticar de maneira impiedosa não traz os resultados que gostaria – e como sair dessa cilada com gentileza e amor por você mesmo



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*