Mateando Embroidery: mate, bordados e amizade

  • TEXTO Gisela Garcia
  • DATA: 20/01/2021

Do encontro na lavanderia do prédio surgiu uma amizade e um projeto que uniria pessoas em torno de uma paixão: o bordado.

A gaúcha Caroline Manfroi sempre teve uma quedinha por trabalhos manuais e artísticos.  Formada em Design de Moda, trabalhou na área por muito tempo, mas depois de um período afastada, em 2017 decidiu retomar o caminho de sua formação.

E foi nesse momento que o bordado surgiu na sua vida. “Neste trabalho de me reconectar com a moda foi que a vontade de bordar surgiu. Lembro de na época ter visto o trabalho de uma americana chamada Emma Mckee que fazia bordados em ponto cruz em jaquetas para vários músicos e artistas. Aquilo acendeu em mim uma vontade louca de me especializar na área e um dia ser como ela”, comenta.

E ao contrário do que muitos acreditam, Caroline não aprendeu a bordar com as tias e avós quando era pequena.

Foi só em 2018 que tudo realmente começou. “Era época de Copa do Mundo (julho), e eu, com mudança agendada para viver nos Estados Unidos no fim de outubro, planejei passar um final de semana em Florianópolis, para me despedir dos amigos Bruninho e Odila. A Odila, pesquisadora e professora de arquitetura e urbanismo, sempre teve um pé na arte e nos trabalhos manuais e, desde que nos conhecemos, em meados de 2014, passamos a trocar figurinhas sobre arte e moda. Quando falei da minha vontade de bordar, ela logo mandou um “ ué, eu te ensino!”, explica Caroline.

E assim ela teve sua primeira aula “oficial”. A técnica que a Odila ensinou foi o ponto cruz, exatamente o mesmo da artista americana que Caroline tanto admirava. “Em meu primeiro bordado, desenhei o Suárez, jogador Uruguaio” completa.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Caroline Manfroi (@csmanfroi)

E enfim, chegou a hora da mudança para San Diego, na Califórnia.

“Mudar não foi fácil, e devo dizer que o bordado acabou sendo meu porto seguro. Ele preenchia minhas horas vagas e eu me sentia produtiva. Bordei muito sozinha, e o bordado é um pouco isso, é um momento teu contigo mesma. É um momento em que a ideia de tempo não existe, em que o corpo relaxa e a alma acalma”.

Um dia, na lavanderia do condomínio onde mora, Caroline encontrou uma vizinha, e naquele papo mole de “nossa, que sol lindo hoje”, a vizinha pergunta: “tu também tomas mate?”. Marianela é o nome da vizinha. Ela é argentina e naquele momento surgia a amizade entre as duas. E entre um mate e outro, elas descobriram outra paixão em comum: o bordado. Alguns meses depois, surgia o Mateando Embroidery, do fortalecimento da amizade entre as duas e da vontade de ter mais gente bordando junto, aumentar a roda de mate, prosas e bordados.

A ideia era simples: elas fariam workshops para ensinar as pessoas a bordar e sediariam um encontro semanal para dar espaço para os novos bordadeiros e bordadeiras praticarem.

Tudo indo como planejado até o primeiro lockdown por causa do Covid19. Isso não desanimou o grupo, que migrou para o online em encontros que serviam não apenas como um momento de lazer, mas também como um espaço de troca de experiências.

Durante quase um ano de encontros, foi criado um grupo aberto com gente de todos os lugares: Argentina, Brasil, Austrália, Itália e Estados Unidos. Uns com filhos, outros com cachorros, gente com os empregos mais variados, todos unidos pelo bordado.

Hoje o Mateando se tornou um grupo de desenvolvimento da técnica do bordado e também de apoio nos tempos de pandemia. No final de 2020, foi criado um desafio mensal para manter o pessoal motivado a bordar junto e a participar dos encontros que acontecem às quartas-feiras.

Desafio

O primeiro desafio do ano vai ser com temática de Valentine’s Day, uma data americana em que se celebra o amor e a amizade. A ideia é criar um desenho ou frase que represente esse amor por um amigo, um familiar e até um pet quem sabe. Tendo o desenho, o desafio será bordar com tons de vermelho. Para participar basta bordar o tema e ir postando o progresso com a hashtag #mateandochallenge no Instagram.


Quem tiver interesse em participar dos encontros, que acontecem todas as quartas-feiras das 6pm às 8pm (horário de San Diego), basta solicitar o link do encontro através do Instagram do Mateando Embroidery Club.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 228, fevereiro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*