Entremarés: a força feminina entranhada nas águas do mangue

  • TEXTO Redação Vida Simples
  • DATA: 23/02/2021

Curta traz o relato de força de três moradoras da Ilha de Deus, situada no perímetro urbano do Recife

A Ilha de Deus fica situada numa grande reserva de estuário inserida no perímetro urbano da cidade do Recife. Está num dos maiores manguezais urbanos do mundo, entre os bairros da Imbiribeira e Pina, com aproximadamente 2 mil habitantes, que vivem cercados por água, palafitas e construções urbanas, e sobrevivem principalmente da pesca de camarão e sururu, pesca artesanal, e extração de insumos desse ecossistema.

A comunidade passou por diversas melhorias no decorrer dos anos graças aos esforços de suas mulheres, que até hoje lutam por seus direitos e igualdade social para este território.

O filme “Entremarés” traz o relato de três moradoras da Ilha, sobre suas vivências e relações com o espaço, com a atividade de pesca, e com a força entranhada nas águas do mangue deste local.

A diretora Anna Andrade é produtora cultural, realizadora audiovisual e distribuidora, bacharela em administração e produção cultural, com especialização em gestão de projetos.

Anna é ainda fundadora da Tarrafa Produtora, atua na elaboração e administração de projetos de audiovisual, cinema, fotografia e música; produção e produção executiva, tradução e legendagem de conteúdo, atividades de formação e distribuição de filmes.

A cineasta integra a ABD/Apeci – Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas / Associação Pernambucana de Cineastas e a APAN – Associação dxs Profissionais do Audiovisual Negro. É produtora e curadora da Semana do Audiovisual Negro.

“Entremarés” participou de diversos festivais e mostras e ganhou muitos prêmios como a Menção Honrosa na Mostra Competitiva de Curtas Metragens do 11º Festival de Cinema de Triunfo – Triunfo (PE), o prêmio de melhor documentário do 25º Bucharest ShortCut Cinefest – Bucharest, Romênia, Melhor Filme pelo Júri Popular – Mostra Cão de Telha do 8º Sercine – Festival Sergipe Audiovisual – Aracaju (SE), Melhor Fotografia do 11º Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades – Juiz de Fora (MG).

O curta ainda levou os prêmios de Melhor Direção / Melhor Fotografia / Melhor Filme do 5º Festival de Cinema de Caruaru – Caruaru (PE) e menção honrosa na categoria Curta metragem do 1º Festival de Cinema Ciudad de México – Cidade do México, entre muitas outras premiações.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 229, março de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*