Conheça 7 Organizações do Terceiro Setor que inspiram transformações humanas e sociais

  • TEXTO Martina Medina
  • FOTOGRAFIA Jacob Ammentorp Lund | IStock
  • DATA: 14/10/2021

Descubra o trabalho de pessoas empenhadas em tornar a sociedade um ambiente mais justo, inclusivo e com oportunidade para todos.
terceiro setor

Um abraço que acolhe e traz consigo sensações que não cabem em palavras. O filho que se aconchega no colo da mãe. Uma mão amiga, que não solta da nossa mesmo nos momentos mais difíceis. Sensações tão familiares para nós como um espaço de carinho e segurança. E qual foi a última vez que você experimentou contato físico? 

Essa foi uma das perguntas da pesquisa realizada pela NIVEA segundo a qual nove em cada dez pessoas no mundo veem no toque a chave para uma vida mais feliz e realizada. Mas essa fonte de saúde mental e física está em risco na nossa sociedade apressada, o que piorou na pandemia: para dois terços dos entrevistados, o toque não faz parte de suas vidas diárias.

Realizada a partir de entrevistas com mais de 20 mil pessoas de 11 países durante três anos, a pesquisa concluiu que os brasileiros estão entre os que mais manifestaram uma forte relação com o toque. E por aqui, a pandemia aprofundou desigualdades e o isolamento social e emocional. Principalmente entre grupos de pessoas em situação de maior vulnerabilidade social e que já sofriam com a ausência do toque físico, caso dos idosos e seus cuidadores,  da comunidade LGBTQIA+ e de mulheres negras da periferia. 

O toque que transforma

Foi a partir desses resultados e seguindo o objetivo de melhorar a vida de brasileiros por meio do toque que NIVEA revelou esse ano o propósito O Toque que Transforma e Inspira Conexões, para apoiar ações sociais transformadoras para o momento em que vivemos. “NIVEA está há 110 anos cuidando da pele, então falar sobre propósito não é algo novo para nós. Queremos ir além, dando visibilidade às pessoas e projetos para que encontrem na essência do toque humano uma oportunidade de melhorar sua saúde mental, emocional e física”, afirma Andréa Bó, diretora de marketing de NIVEA. 

No total, 5 mil pessoas em situação de maior vulnerabilidade e que sofrem com a ausência do toque serão beneficiadas, com foco em idosos e seus cuidadores, na comunidade LGBTQIA+ e em mulheres negras da periferia. “Queremos ser uma marca que, de alguma forma, combate o isolamento, a depressão e a ansiedade e o toque humano tem essa força de gerar empatia e aproximar as pessoas”, ressalta Andréa . Segundo ela, o objetivo é ter um impacto verdadeiro na sociedade, estimulando mudanças profundas e necessárias. 

Conheça o trabalho de cada Organização do Terceiro Setor

A seguir, conheça as sete Organizações do Terceiro Setor apoiadas pelo propósito da marca  e todo o seu protagonismo na luta por uma sociedade inclusiva e diversa. Inspire-se a também fazer parte dessa transformação, espalhando apoio, cuidado e abraços (assim que possível).

Idosos e cuidadores

Hoje, no Brasil, temos mais de 2 milhões de idosos com algum tipo de doença mental degenerativa. E já se sabe que o sentimento de solidão pode aumentar em 40% o agravamento de um quadro clínico assim. Além disso, cuidadores também sofrem: 35% deles têm mais riscos de sintomas de ansiedade e cinco vezes mais chance de depressão. Por isso, é essencial o trabalho de organizações que olham para a saúde integral de ambos. Veja:

AACD

Pessoas com deficiência física em todo o Brasil contam, há mais de 70 anos, com os serviços de ortopedia e reabilitação da iniciativa reconhecida em todo o país. “São pacientes que precisam e merecem um tratamento de ponta, mas não teriam condições de arcar com os custos”, explica a médica Alice Rosa Ramos, superintendente de práticas assistenciais, sobre a importância da atuação da entidade.

São mais de 800 mil atendimentos por ano, abrangendo não só reabilitação física como também questões psicoemocionais. O objetivo é cuidar de forma integral de cada paciente e batalhar por sua autonomia. “Todos os membros do corpo clínico são altamente capacitados para oferecer um tratamento multidisciplinar para que as pessoas com deficiência física atinjam seu máximo potencial”, arremata a doutora Alice Rosa Ramos. 

Especialmente para pacientes de longa data, como os idosos, esse toque ultrapassa o atendimento e acaba fomentando vínculos afetivos com os voluntários e o corpo clínico pela vida afora. Para eles, a parceria com NIVEA oferece apoio a tratamentos convencionais e não-convencionais, como arterapia, dando suporte a um envelhecimento saudável.

Para saber mais e se engajar acesse a AACD.

Terceiro Setor inspira transformações

Crédito: Georg Arthur \ Unsplash

Asilo São Vicente de Paulo 

O asilo centenário nasceu em 1910 e chega à melhor idade com a mesma sensível missão do começo: abrigar os idosos de Itatiba, no interior de São Paulo. São pessoas de mais de 60 anos, independentes ou com diferentes graus de dependência, especialmente sem condições de permanecer com a família, devido a situações de violência e negligência, incluindo idosos em situação de rua e de abandono.

“Acreditamos que a preocupação com cada detalhe do bem-estar, onde combinamos qualidade e aconchego, com respeito à individualidade e à história de vida de cada idoso, seja ele acamado ou não, faz a diferença na vida dessas pessoas”, explica Vanda Monteiro Ribeiro, assessora e captadora de recursos.

Esse toque humanizado se reflete em um tratamento que estimula a qualidade de vida ativa no processo de envelhecimento. Para isso, o asilo desenvolve atividades como fisioterapia, terapia ocupacional, festas e brincadeiras recreativas. NIVEA apoia a formação dos educadores da instituição. 

Para colaborar também, acesse Asilo São Vicente de Paulo.  

Instituto Velho Amigo

A organização contribui há 22 anos para inclusão social de idosos em situação de vulnerabilidade, promovendo um envelhecimento saudável, que alimenta dignidade e autonomia em um ambiente acolhedor. Mais de 15 mil idosos já participaram de seus projetos de letramento, inclusão digital e cuidados com corpo e mente. Além do suporte a atividades com os idosos, NIVEA dá suporte à formação dos cuidadores.

A tendência ascendente de envelhecimento da população mundial faz da causa essencial a cada dia. “Hoje, no Brasil, há 30 milhões de pessoas idosas. Em 2060, nosso país terá cerca de 76 milhões de idosos”, afirma Debora Santos de Conti, gerente executiva do instituto. “Assim, é latente termos um olhar ativo e inclusivo para a população idosa e o envelhecimento populacional.”

Ciente de que é necessário multiplicar os cuidados com os idosos, a entidade passou a capacitar outras organizações voltadas à causa em 2019. Até o momento, 23 instituições, que atendem cerca de 900 idosos, já receberam ​​formações voltadas à sustentabilidade, humanização e qualidade no atendimento. 

O instituto também fomenta políticas públicas pela inclusão das pessoas idosas, mirando uma transformação estrutural. 

Para apoiar acesse Instituto Velho Amigo.  

terceiro setorLGBTQIA+

Infelizmente, ainda somos um país hostil com pessoas LGBTQIA+: por aqui, acontece uma morte a cada 19 horas. Além disso, a expectativa de vida de mulheres trans e travestis é de apenas 34 anos, enquanto a média nacional é de 74 anos. Dados alarmantes que mostram a urgência de mudanças sistêmicas. Veja algumas amostras do que tem sido feito em projetos que buscam mudar essa realidade:

ABGLT

Pioneira é uma palavra que define bem a ABGLT. Fundada em 1995, é a primeira organização nacional LGBTQIA+ do Brasil. Com mais de 200 organizações afiliadas em todo o país. Também é a maior rede deste tipo na América Latina e no Caribe. 

Sua missão é promover ações que garantam a cidadania e os direitos humanos de pessoas LGBTQIA+, acompanhando os casos de violações aos direitos humanos da comunidade e pressionando por políticas públicas. Para se ter uma ideia, sua luta levou, em 2004, à aprovação do Brasil Sem Homofobia, o primeiro programa do poder público para essa população. 

A causa é ainda mais urgente neste momento. “A conjuntura atual, com a pandemia, dificuldade de recursos e um governo que está perseguindo essa população, tem feito com que muitas organizações fechem as portas”, alerta Symmy Larrat, presidenta da ABGLT. 

Por isso, a iniciativa, em parceria com NIVEA, criou o projeto Empodera-se!, para orientar e capacitar pessoas que atuam na organização de casas de acolhimento. As formações também estimulam o autocuidado e a elaboração de currículos, fortalecendo a autonomia das pessoas e a manutenção das redes LGBTQIA+.

Saiba como fazer a sua parte em ABGLT.   

TODXS

Transformar o Brasil em um país verdadeiramente inclusivo e livre da discriminação para pessoas LGBTQIA+. Essa é a bandeira levantada pela associação sem fins lucrativos TODXS, formada por mais de 140 pessoas voluntárias. A entidade busca atingir sua missão pelo empoderamento da comunidade LGBTQIA+ e da educação da sociedade brasileira.

Para desconstruir o preconceito social e a desinformação, a TODXS realiza e dissemina pesquisas com dados confiáveis e acessíveis sobre a comunidade LGBTQIA+. Essas mesmas informações servem para fomentar políticas públicas que garantam a segurança e a inclusão dessa população.

Além do preparo da sociedade para acolher a comunidade LGBTQIA+, a entidade tem um projeto em parceria com NIVEA: Todxs Embaixadorxs. Seu objetivo é capacitar pessoas LGBTQIA+ para que elas próprias se tornem agentes de transformação onde vivem e possam dar corpo a projetos que moram nos sonhos.

“Para transformar a sociedade, é preciso muita gente envolvida. Nada melhor que as próprias pessoas LGBTQIA+ para identificar problemas e ter todas as ferramentas que permitam construir soluções e colocá-las em prática”, aposta Ana Beatriz Santos, diretora executiva. 

Para mais informações acesse o TODXS.

Mulheres negras da periferia

Atualmente, 54% da população brasileira é composta por pessoas pretas ou pardas e, deste percentual, as mulheres representam 28%. Ou seja, são o maior grupo demográfico do país. Muitas são chefes de suas famílias, além de serem um apoio entre seus vizinhos. Empoderar essas mulheres é a missão das iniciativas que você conhecerá a seguir:

Terceiro Setor inspira transformações

Crédito: Shingi Rice \ Unsplash

Instituto Das Pretas

Laboratório de inovação social desde 2015, o Instituto Das Pretas atua no enfrentamento às violências contra a juventude e as mulheres negras por meio da construção de soluções de impacto social nas áreas da cultura, da educação, do empreendedorismo e da tecnologia.  E, além disso, dá suporte na realização de seus objetivos pessoais e profissionais sob perspectiva de construir o futuro no presente

O Das Pretas tem realizações valiosas, como o Festival Encontro das Pretas, segundo maior evento de cultura negra do país e o primeiro do Espírito Santo, e o Quilombinho, colônia de férias para crianças que visa fundamentar a implementação da lei 10.639, compartilhando saberes acerca de África e afrobrasilidades. Entre janeiro de 2020 e junho de 2021, o quilombo urbano atingiu 42 municípios capixabas e impactou 298.134 pessoas, realizando 134 atividades formativas e capacitando 3.639 pessoas.

Dentre os projetos em andamento neste ano está o Cuida de quem Cuida. Idealizado pelo Das Pretas com patrocínio de NIVEA, o projeto carrega a principal crença da organização: entender o indivíduo como célula transformadora de seu entorno e assim possibilitar seu empoderamento individual e coletivo.

Para fortalecer a iniciativa, acesse Instituto Das Pretas.

PretaHUB

Aceleradora do empreendedorismo negro no Brasil, PretaHUB é resultado de duas décadas de atividades do Instituto Feira Preta em mapeamento, capacitação técnica e criativa, aceleração e incubação do empreendedorismo negro no Brasil.

Seu objetivo toca raízes: a mudança estrutural da sociedade brasileira — e de seu mercado — para que absorvam essa população não apenas como produtora e consumidora, mas valorizando sua existência enquanto potência criativa e empreendedora. 

O Afrolab, por exemplo, tem uma visão sistêmica, apoiando o empreendedor desde a criação de um produto, passando pela produção, até chegar nas estratégias de distribuição e de comercialização. O programa é apoiado por NIVEA.

O resultado é uma grande transformação social. “Nosso impacto na vida das pessoas é o fato de elas se reconhecerem negras, algo que vem aumentando nos últimos anos segundo pesquisas do IBGE”, diz Adriana Barbosa, fundadora do Instituto Feira Preta. “Ajudamos as pessoas a se reconhecerem como pessoas pretas potentes e, a partir daí, desenvolverem seu processo de autonomia, autoestima e de empoderamento para reivindicar seus direitos em diferentes setores, e o consumo é um deles.”

No site da PretaHub é possível saber mais sobre o projeto e como apoiar.

Seja parte dessa mudança

Qualquer transformação exige comprometimento e consistência, além do engajamento de mais pessoas da sociedade. Por isso, nosso convite é para que você conheça este e outros projetos, compartilhe com quem conhece e também apoie tais iniciativas da maneira que for possível. 

Nesta jornada de propósito de NIVEA, o objetivo é manter esse compromisso a longo prazo, deixando um legado de combate ao isolamento, à depressão e à exclusão social. É por meio do toque e da empatia que podemos aproximar realidades, ampliar o senso de comunidade, reduzir desigualdades e, mais ainda, melhorar o bem-estar e a vida de cada um. Vamos juntxs?

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 236, outubro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*