A culpa é do Neymar

  • TEXTO Gisela Garcia
  • FOTOGRAFIA Ricardo Saibun/Santos
  • DATA: 14/02/2021

Túlio, um típico garoto do subúrbio carioca, passa a torcer pelo time do ídolo Neymar. Para seu pai, essa é uma traição imperdoável

O curta “A culpa é do Neymar” foi rodado em 2014 e mostra a história de Jair, um botafoguense fanático que entra em desespero ao descobrir que Túlio, seu único filho, foi influenciado pela Neymarmania e passou a torcer pelo Santos.

O filme venceu o Cine Vitória (2015) e o Cinefoot (2016) e foi exibido em mais de cinquenta festivais.

“A culpa é do Neymar” surgiu da paixão do cineasta João Ademir por um time de futebol (Vasco) que, ao contrário do enredo do filme, é compartilhada com seu pai.

“Eu quis especular como seria a relação entre eles, caso a situação fosse diferente”, conta João, que dedicou o curta ao avô, Francisco, que era botafoguense fanático.

Formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro, o cineasta é coautor da série política “Baile de Máscaras” (TV Cultura), dirigida por Flávio Tambellini e Belisário Franca, e do drama histórico “A revolta dos malês” (SescTV), dirigido por Jeferson De.

O cineasta foi também seletor das duas últimas edições do Laboratório de Roteiros Sesc Argumenta, professor convidado na Escola Pública de Audiovisual Vila das Artes (Fortaleza/CE) e integrante do Laboratório de Narrativas Negras que a TV GLOBO promove em parceria com FLUP (Festa Literária das Periferias).

“A culpa é do Neymar” e “Pobre Yurinho”, curtas em que atua como roteirista e diretor, foram exibidos em dezenas de festivais nacionais e internacionais. Atualmente, João Ademir trabalha em uma sala de desenvolvimento da Netflix, na adaptação do romance “A rainha Ginga”, de José Eduardo Agualusa, e no longa-metragem “Levante”, de Júlia Rezende.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 229, março de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*