Sobre coragem e delicadezas

  • TEXTO Roberta Gasparotto
  • FOTOGRAFIA Kal Loftus | Unsplash
  • DATA: 14/12/2018

Ontem assisti à peça do Matheus Nachtergaele Processo de Conscerto do Desejo.
Ao final, só me lembrava daquele trecho famoso de Grande Sertão: Veredas, onde lindamente Guimarães Rosa diz: o correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.

E na hora, também pensei em trocar uma palavrinha na frase de G. Rosa – veja a minha audácia, hein? Ficaria assim: o real da vida embrulha tudo…

O real da vida. Real no sentido lacaniano do termo. Para Jacques Lacan o real é tudo aquilo que sobra, justamente porque não conseguimos processar. Aquilo que não se encaixa, justamente porque não conseguimos encaixar. Aquilo onde faltam palavras, justamente porque não conseguimos nomear.

E a vida não é mestra em nos apresentar peças que não se encaixam? E nós, tolamente, seguimos tentando encaixar um círculo em um quadrado. Impossível.

Pior ainda quando nós tentamos nos transformar em quadrado, sendo que no fundo nossa alma é circular, ou vice-versa.

Se fosse descrever aqui para você qual a sensação que a peça me despertou foi: a importância de alegrar-se em meio à tristeza.

É como se Matheus, através da dor lancinante de perder a mãe aos três meses de idade, nos dissesse o tempo inteiro: viva apesar de, seja feliz apesar de, procure fontes de calor e amor apesar de.

Mais uma vez, G. Rosa me vêm à cabeça: “o que a vida quer da gente é coragem. Ser capaz de ficar alegre no meio da alegria, e ainda mais alegre no meio da tristeza”.

Obrigada, Matheus!
Sua atitude generosa de compartilhar sua dor em público, alegrou a minha noite.

Dor que encontra eco em outra dor.
Humano que se reconhece em outro humano, quando ambos se deixam afetar pela delicadeza do encontro.

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 220, junho de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Gostar de si é a base do cuidado que podemos dedicar a nós mesmos e aos outros. Aprenda a amar e a admirar quem você é de verdade.


COMENTÁRIOS

  • Jessé de Araújo

    Sempre serão ensinamentos…
    Dores ou Alegrias, nos fazem fortes, diferentes.
    Transforma, faz pensar

    Responder

  • TAMBÉM QUERO COMENTAR

     

    Campos obrigatórios*