Slow living: já ouviu falar?

  • DATA: 18/02/2021

O slow living é um estilo de vida que prega menos pressa, mais autoconhecimento e respeito consigo mesmo

O termo vem do inglês e pode ser traduzido como “vida lenta’. A ideia principal do slow living é conhecer o seu próprio tempo e aprender a administrá-lo segundo os seus princípios, sem necessariamente obedecer às pressões externas por decisões rápidas.

Enquanto vivemos uma certa glamourização do estresse, o slow living promove a busca por uma vida menos apressada, que ajude as pessoas a encontrarem paz nelas mesmas e com os outros.

slow living pode ser considerado parte de outros movimentos, como o slow food e o slow fashion. Seus praticantes acreditam que viver devagar significa desacelerar e pensar duas vezes antes de fazer algo. E isso não significa viver isolado ou fazer as coisas devagar, apenas estar mais atento.

A cultura da velocidade e o padrão de urgência estabelecidos pela sociedade nem sempre são apropriados e às vezes um comportamento acelerado pode gerar problemas.

slow living tem um olhar voltado para a saúde como um todo e, por conta disso, propõe uma pausa nessa corrida louca proposta pelo estilo de vida contemporâneo.

A pausa coletiva a que fomos obrigados por causa da pandemia do novo coronavírus é um bom exemplo de como o estilo de vida predominante não é saudável. A competição a qualquer custo cobra seu preço, que é a redução da expectativa de vida e no aumento de doenças crônicas.

Assim, o slow living sugere o autoconhecimento como forma de ter consciência desse preço e decidir até onde podemos pagar, de modo que cada indivíduo possa priorizar o que faz sentido para si.

Uma das propostas do slow living é fazer escolhas que contribuam com a comunidade local. Cada gesto produz exemplos e ajuda a trazer o equilíbrio de volta para nós mesmos e para a sociedade.

slow living acredita que questões desafiadoras sejam enfrentadas com calma, sem a ansiedade e a desconexão tão comuns ao mundo contemporâneo.

O movimento prega o reconhecimento da profundidade e complexidade das situações e uma abordagem do sistema como um todo, para que possamos trabalhar juntos para acalmar as coisas.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 229, março de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*