Por que dormir bem é essencial e como recuperar o sono perdido

  • TEXTO Nara Siqueira
  • DATA: 15/05/2020

Noites mal dormidas podem ser resultado da ansiedade que surge diante do medo e da incerteza em tempos difíceis. Entenda como se livrar da insônia e ter mais qualidade de vida, além da dica de um remédio natural para insônia

 

A cama, esse espaço quase sagrado que convida ao descanso e ao relaxamento, parece ter se transformado em um poço sem fundo de preocupações e tragédias anunciadas. Em um cenário de pandemia, a insônia tornou-se companheira fiel de muitos de nós. Como resgatar a paz e recuperar o sono perdido? Para começar, vale sabermos que a dificuldade para dormir pode estar relacionada a alterações fisiológicas, mas nem tudo se resume a elas. Fabricio Dias, médico consultor da Weleda, marca de cosméticos e medicamentos naturais, é quem me explica isso: “Nós não somos só matéria. O ser humano é corpo, mente e espírito. Muitas vezes, quando nos deparamos com alguma questão relacionada à saúde, queremos encontrar respostas rápidas. Isso nos leva a tratar o sintoma, não a causa. Com a insônia, é a mesma coisa”.

Durante o sono, ficamos vulneráveis. A própria ciência desconhece muito do que nos acontece assim que fechamos os olhos. Por vezes, o medo de se entregar a esse espaço-tempo cheio de incertezas nos impede de adormecer. “Nós queremos estar no controle das situações, ainda não sabemos como lidar bem com a vulnerabilidade. Nosso estilo de vida hoje demanda que a consciência esteja alerta a todo momento: é preciso estar conectado, respondendo a diversos estímulos, prestando atenção em acontecimentos simultâneos. Quando finalmente podemos desconectar e relaxar, algo parece estar errado. É como se não pudéssemos fazer aquilo, simplesmente não conseguimos”, afirma o médico. 

Identifique o que impede a sua boa noite de sono

Então, o primeiro passo para tentar descobrir o que te impede de ter uma boa noite de sono é olhar para dentro de si e buscar identificar quais são as emoções que estão mais presentes nesse momento. Que pensamentos são mais frequentes? O que você sente ao longo do dia que insiste em permanecer durante à noite? As respostas para essas perguntas darão boas pistas de em que direção devemos caminhar. 

Por que dormir é essencial e natural

Para que o nosso corpo se mantenha saudável, o sangue precisa buscar um estado de equilíbrio. Assim, dependendo do que comemos, do que sentimos e de quais atividades realizamos ao longo do dia, ele fica mais básico ou mais ácido. Bem, mas o que isso tem a ver com o sono? Enquanto dormimos, nosso sangue se mantém mais básico. Isso permite que nossas células se regenerem. É como se elas estivessem se preparando para as batalhas do dia seguinte. Se entramos em uma sequência de noites mal dormidas, não damos a elas a oportunidade dessa reparação – em termos gerais, elas não ajudam nosso organismo da maneira que deveriam. 

As consequências da insônia são variadas: nosso corpo produz mais cortisol, o hormônio do estresse, que está relacionado a dores crônicas e à baixa imunidade. Aumentamos também a tendência à depressão e aos problemas de memória. Além disso, nosso sistema endócrino fica comprometido, o que leva a descompensações na tireoide, diabetes, ciclo menstrual… Fabricio é enfático: “Nós devemos olhar para o sono como necessidade básica. Da mesma forma que precisamos comer e respirar para viver, temos que dormir”. 

Não existe receita: cada ser humano é único – e cada sono também 

A qualidade do nosso sono não está diretamente relacionada à quantidade de horas dormidas ou ao horário em nos deitamos e levantamos. “Dormir bem diz respeito à reparação da nossas funções físicas e psíquicas”, alerta o médico. A medicina antroposófica, aquela que entende o ser humano como uma tríade, corpo, mente e espírito, defende que as individualidades precisam ser consideradas sempre.

Assim, há pessoas que se sentem mais ativas e enérgicas de manhã, outros preferem o período da tarde e ainda há aqueles são entusiastas da noite. Existem também os chamados dormidores longos, que precisam de muitas horas de sono para se sentirem descansados, enquanto outros, os dormidores curtos, se satisfazem com menos tempo. Logo, não precisamos nos apegar à ideia de que temos que dar ao nosso corpo oito horas de sono por dia, nem que, às dez da noite, é essencial que estejamos deitados. Tal como na cozinha, o sucesso de uma preparação depende dos ingredientes de que cada um dispõe, da temperatura ambiente, da qualidade do forno… Não se trata de certo ou errado, mas de desenvolver um olhar atento para as nossas particularidades e buscar entender como o nosso próprio corpo funciona.

Como dormir melhor?

Embora o que a gente queira é ter uma boa noite de sono, os ajustes precisam ser feitos também durante o dia. Para começar, alimentação saudável e exercícios físicos são fundamentais. Isso porque eles ajudam o organismo a se manter saudável, produzindo todos os hormônios nos níveis necessários, como a melatonina. Ela é a responsável por organizar o ciclo circadiano do corpo, avisando os órgãos e tecidos que o sono se iniciou. 

  • Crie uma rotina do sono

Perceba os momentos em que você naturalmente se sente mais sonolento e de quanto tempo precisa para acordar renovado. Assim, estabeleça um horário para se deitar e se levantar todos os dias – inclusive aos fins de semana. 

  • Cuide da alimentação

Além de ter uma dieta saudável durante o dia, opte por alimentos mais leves à noite. Fabricio sugere que a última refeição completa seja feita junto com o pôr do sol, às 18 horas. Depois, até a hora em que for dormir, prefira líquidos mornos, como chás sem cafeína ou leite. Leite de amêndoas (ou mesmo o animal) com canela e açafrão são uma ótima pedida.

  • Desligue os eletrônicos

Tente deixar de lado as luzes artificiais em contato direto com o rosto duas horas antes de dormir. Isso vale para celular, computador e televisão, por exemplo. As luzes emitidas por tais aparelhos suprimem a produção da melatonina, aquele hormônio importante para o sono. Use esse momento para tomar um banho mais demorado, fazer uma massagem com um creme perfumado ou óleos essenciais, praticar uma atividade meditativa, ler um livro ou escrever. Aliás, transpor nossos sentimentos para o papel é uma boa maneira de colocá-los para fora e não levá-los para a cama com a gente. Lembra que as emoções, especialmente a ansiedade, também são responsáveis pela insônia? 

  • Busque alternativas, como um remédio natural para insônia

Em alguns casos, remédio para insônia ou um remédio para ansiedade podem ser de grande ajuda. Se você já testou colocar todas as sugestões anteriores em prática e mesmo assim segue com episódios frequentes de insônia, converse com seu médico sobre a possibilidade de tomar medicações antroposóficas, como o Ansiodoron*, da Weleda, um remédio para ansiedade natural. Esse fitoterápico para dormir, formulado a partir de ingredientes naturais, como Avena sativa, Passiflora alata e Valeriana officinalis, age nos sistemas metabólico, neuro-sensorial e rítmico, proporcionando relaxamento, reduzindo a ansiedade, melhorando a taxa respiratória e induzindo o sono.

“A medicina antroposófica dá às pessoas a possibilidade de elas mesmas se curarem. As propriedades medicinais dessas plantas fazem parte de um conhecimento ancestral que foi se perdendo com o avanço da tecnologia. A Weleda resgatou essa sabedoria e a reuniu em uma fórmula que não cria dependência, nem possui interação medicamentosa com outras substâncias. É um tratamento natural, mas que precisa ser aliado a outras práticas de autocuidado”, conclui Fabricio Dias.

 

Esse conteúdo foi produzido pela Vida Simples em parceria com a Weleda.

 

*ANSIODORON – Passiflora alata D1 + Valeriana officinalis D1 + Avena sativa D1. USO ORAL – USO ADULTO E PEDIÁTRICO. MS 1.0061.0092. INDICAÇÕES: Indicado no tratamento auxiliar da insônia e ansiedade1. CONTRAINDICAÇÕES: Ansiodoron é contraindicado para pessoas com hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Este medicamento CONTÉM LACTOSE. ANSIODORON É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Registrado por: Weleda do Brasil Laboratório e Farmácia Ltda – R. Brigadeiro Henrique Fontenelle, 33, São Paulo / SP – CNPJ: 56.992.217/0001-80. Indústria Brasileira. SAC 0800 55 32 66. Referência: 1.Bula do produto. Data de veiculação: 05/2020. 


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 219, maio de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Saiba recomeçar: Podemos enxergar outros horizontes mesmo quando algumas portas se fecham. Veja como lidar com os desafios e encontrar oportunidades de ser feliz.



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*