Lendo com a Lelê: uma história de amor pela leitura

  • TEXTO GISELA GARCIA
  • DATA: 02/02/2021

Com um canal no YouTube onde interpreta os livros que lê, Letícia Lacerda estimula outras crianças a desenvolverem o hábito da leitura

As primeiras lembranças da pequena curitibana Letícia Lacerda, de 9 anos, são de quando tinha entre três e quatro anos. O irmão Pedro, quatro anos mais velho, estava sempre com um livro na mão.” Eu via meu irmão lendo e pensava: nossa, que legal, mas eu não sei ler”, conta.

Falante e extrovertida, isso não foi problema para Lelê, como é conhecida pelos pais e amigos. “Como eu não sabia ler, eu olhava as figuras e inventava as histórias na minha cabeça e ia contar para os meus pais”, comenta.

Aos cinco anos, ela finalmente aprendeu a ler. Começou lendo gibis e não parou mais. Diz que lê todos os dias e já leu mais de cem livros.

Com pais músicos e professores, de fato, Letícia e Pedro sempre foram muito incentivados a se expressar de diversas formas e a desenvolver o hábito de leitura.

Mas a menina, muito carismática e divertida, decidiu ir além e o seu amor pelos livros saiu das páginas e foi parar na internet. Foi assim que surgiu a ideia do canal no YouTube, “Lendo com a Lelê”, que já foi destaque até no jornalzinho da escola onde ela estuda, o “Anjornal”.

“Foi a minha mãe que me sugeriu criar o canal por dois motivos. Porque eu gosto de ler em voz alta e interpretar os personagens enquanto leio. E também porque ela queria ter uma recordação para daqui uns anos”. Por ser ainda muito nova, sua mãe, Priscila Lacerda é quem filma, edita e controla tudo que entra no canal do YouTube e no perfil do Instagram.

No momento, Lelê está lendo Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. E quando questionada se prefere os livros ou os filmes da saga, a resposta é enfática e rápida: o livro, é claro.

“Só uma vez eu vi o filme antes de ter lido o livro e me arrependi. Eu gosto de imaginar as situações, os lugares, tudo na minha cabeça enquanto leio. No filme isso se perde, então só assisto aos filmes depois de ter lido o livro”, conta.

Como era de se esperar, o livro preferido da Lelê não é UM livro, e sim uma série que se chama “As piores crianças do mundo”, de David Williams. “É uma série de livros muito engraçados”, diverte-se.

Letícia prefere os livros de humor e os de suspense. “Eu sempre tento adivinhar o que vai acontecer no próximo capítulo, mas nunca acerto, e isso é muito legal”.

E de leitora ávida por novas aventuras, o caminho natural de Letícia parece ser criar o seu próprio livro. “Eu gosto de escrever tanto quanto gosto de ler. E também gosto de desenhar”.

Além disso, Lelê toca piano e já escreveu uma música. Mas isso, a gente conta em um outro capítulo. Porque, com certeza essa história ainda está só no comecinho.


@lendo_com_a_lele


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 243, maio de 2022 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*