Faça sua própria roupa

  • TEXTO Débora Zanelato
  • FOTOGRAFIA Ateliê Vivo
  • DATA: 10/10/2019

Biblioteca pública de modelagem ensina o saber manual da costura para participantes cortarem e modelarem sua própria peça de roupa

Confeccionar a própria roupa pode trazer mais do que um prazer pessoal de dizer “eu que fiz” – é ganhar também uma impensada autonomia. Portanto, entender os processos que envolvem a feitura daquilo que a gente usa tem um preço que não se mensura: além de nos tornar mais sensíveis ao valor do trabalho de quem cria e costura, nos ajuda a refletir sobre nosso consumismo no mundo da moda.

Fazer a própria roupa

Voltados para esse sentido, o grupo G>E (Grupo Maior Que Eu) criou um projeto incrível: o Ateliê Vivo. Instalado na Casa do Povo, no Bom Retiro, o lugar é uma biblioteca pública de modelagens, que recebeu doações de diversos estilistas, como Alexandre Herchcovitch, Wilson Ranieri e Giselle Nasser.

“O objetivo é que as pessoas possam intervir na lógica da indústria da moda, retomando o conhecimento e a autonomia sobre a construção de uma roupa”, conta o grupo.

Assim, todos os sábados, gratuitamente, dez pessoas podem participar do processo completo de cortar e costurar a sua própria peça, a partir das centenas de modelagens que o Ateliê oferece.

Reflexão sobre nossas escolhas e consumo

“A moda, como a conhecemos, transfere e terceiriza aos processos industriais e mecanizados toda a produção de seus artigos. Assim resta ao consumidor final apenas a tarefa de escolher e comprar. A gente propõe a quebra dessa dinâmica, substituindo o consumo vazio e sem reflexão pelo que é manual. E fazer a própria roupa garante que o participante desenvolva a disposição de estar atento aos seus impulsos de compra”, observam.

O bacana é que, em todo primeiro sábado de cada mês, o Ateliê também recebe quem não tem noções de costura e oferece uma aula básica. Desse modo, o participante tem, ao longo do dia, a instrução dos integrantes do projeto. No local, é possível comprar kits de tecido, que ajudam na manutenção do espaço. Então essa é uma oportunidade de repensar a indústria da moda, conhecer o fazer e refletir sobre nossas escolhas.

Ateliê Vivo
facebook.com/atelievivo

 

Se gostou deste tema, talvez se interesse por conhecer outro projeto relacionado à moda e consumo consciente. Só clicar aqui.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 214, dezembro de 2019 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Viva com mais calma: É possível desacelerar e cultivar uma forma mais tranquila de aproveitar cada dia, valorizando a presença e a contemplação



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*