De onde vem e para onde vão nossas máscaras?

  • DATA: 29/07/2020

No dia 17 de agosto temos um encontro marcado para conversar mais sobre o projeto de Circularidade Vida Simples

 

Há cerca de um mês, Vida Simples lançou o #vistavida, iniciativa da própria com a IDA em prol do Instituto Alinha. Eles trabalham assessorando empreendedores de pequenas oficinas a regularizarem seus negócios e os conectam com marcas e estilistas interessados em contratar uma oficina, garantindo preços e prazos justos.

A segunda parte do projeto: Circularidade Vida Simples

Mas de onde vêm e para onde vão nossas máscaras? Quais matérias-primas usamos, que trajeto percorremos, qual impacto causamos? Essas são algumas das questões que queremos compartilhar com você. A iniciativa tem como objetivo rastrear todas as máscaras do #vistavida, desde a origem de matérias-primas até as inúmeras possibilidades de destino.

Do que as máscaras são feitas?

Elas são produzidas com algodão certificado pela Better Cotton Initiative, o que garante as boas práticas no cultivo da planta. Em alguns modelos, esse algodão não passa pelo processo de tingimento, o que diminui o gasto com água. Naqueles em que o tecido é tingido, há o tratamento dos efluentes. Além disso, o algodão é uma matéria-prima de decomposição rápida (assim como o filtro descartável que acompanha a máscara) e reutilizável (assim como a viscose, outro tecido que utilizamos na composição).

Produção das máscaras #vistavida

Junto às oficinas da Emma e do Brito, produzimos mais de 1.200 máscaras. Para isso, percorremos mais de 3.200 quilômetros. A começar do algodão, que percorreu 2.779 quilômetros, saindo da Paraíba e chegando a Santa Barbara d’ Oeste, em São Paulo,  na fábrica da Innovativ.

Como impactamos o meio ambiente?

Ao longo de todo o processo, foram emitidas 14 toneladas de gás carbônico (CO2), aproximadamente. Este impacto pode ser neutralizado com o plantio de 79 árvores nativas brasileiras, aproximadamente.

E, por isso, nossa próxima etapa está relacionada à gestão dos resíduos pós-pandemia: quais os novos usos podemos dar às tantas máscaras produzidas? #vistavida além de cuidar de você, dos recursos que estão ao seu redor e de levantar recursos para o trabalho social realizado pelo Instituto Alinha, é um projeto de responsabilidade ambiental.

Faça parte desse movimento e #vistavida com a gente.

Live de Circularidade

Anote aí: no dia 17 de agosto, temos um encontro marcado para conversar mais sobre esse projeto tão especial. Mas, em breve, divulgaremos o horário oficial. Por enquanto, coloque na agenda para não esquecer!


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 222, agosto de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Podemos deixar para trás a ideia de que ser feliz é uma incansável procura pela vida perfeita. Desfrutar do aqui e do agora nos desperta para esse sentimento que vive dentro de nós



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*