Cuidar do planeta: a nossa única casa

  • TEXTO Martina Medina
  • FOTOGRAFIA Guido Frebel
  • DATA: 23/10/2021

Franz Alt, coautor do livro A Nossa Única Casa, reflete sobre o que precisamos fazer para viver em harmonia com o mundo neste século.

O alemão Franz Alt testemunhou muitas catástrofes e guerras pelo mundo ao longo de seus 50 anos no jornalismo televisivo. Mas também esteve presente em reconciliações históricas. “Testemunhei o ‘milagre’ da reunificação pacífica da Alemanha, o ‘milagre’ da unificação europeia e o ‘milagre’ do desarmamento nuclear nos anos 1990”, conta ele, que aposta na existência de novos “milagres” no futuro.

“Todos os problemas criados pelo homem também podem ser resolvidos por nós, humanos”, resume Franz sobre uma das teses do livro A Nossa Única Casa    Um  apelo  ao mundo pela necessidade urgente de cuidarmos  da  Terra (LeYa Brasil), escrito por ele e Dalai Lama, com quem  mantém  uma  amizade  de quatro décadas.

Na obra, o líder espiritual do budismo tibetano diz estar convencido de que o século 21 será o mais feliz e pacífico de toda a história. E que isso só depende da nossa ação e ética. Nesta entrevista, Franz Alt fala sobre os ensinamentos do Dalai Lama para vivermos em harmonia conosco, com os outros, os animais, as plantas e o planeta.

O LIVRO, DALAI LAMA DIZ QUE UMA VIDA RESPONSÁVEL É UMA VIDA SIMPLES E PLENA DE SATISFAÇÃO. O QUE SIGNIFICA ISSO?

O mais importante é aprender a viver, a trabalhar e a administrar a economia em parceria com a natureza – e não contra ela. Ou seja, aprender  a  conduzir  a  economia de  forma  sustentável.  Para  isso, é muito importante fazer rapidamente  a  transição  para  energias renováveis. Outro ponto de atenção é o consumo de carne, muito alto entre a maioria dos cristãos e uma das principais razões para a destruição do clima global. Um hindu indiano come cerca de um quarto da quantidade de carne consumida por um cristão ou mantém uma dieta  vegetariana.  Então,  o  Dalai Lama  recomenda  comer  menos carne, também porque é bom para a nossa saúde. Além disso, na era do aquecimento global, precisamos compreender que a humanidade é uma só família. Do ponto de vista psicológico, físico, mental e emocional, somos todos irmãos e irmãs.

Mas ainda damos muita atenção às nossas diferenças em vez de ver o que nos une. No entanto, todos nós nascemos e morremos da mesma forma. Não faz sentido chegar ao cemitério com orgulho da sua nação ou religião.

COMO A ÉTICA ESPIRITUAL NOS AJUDA A CUIDAR DA NATUREZA?

Ética  espiritual  significa  assumir responsabilidade por nossos filhos e netos, mas também por toda a vida, incluindo animais e plantas. Trata-se de compreender a interdependência de tudo. Os humanos não podem se sair bem a longo prazo se os animais estiverem mal – e vice-versa. A crise do coronavírus nos ensinou que temos de dar mais espaço  aos  animais  silvestres  se não  quisermos  ser  contaminados por eles e viver novas pandemias.

EM  POEMA  DE  1994,  PRESENTE  NO  LIVRO, DALAI LAMA JÁ RELACIONAVA A DESTRUIÇÃO AMBIENTAL AO SURGIMENTO DE DOENÇAS. “A MÃE  TERRA  ESTÁ  NOS  ENSINANDO  UMA  LIÇÃO  DE  RESPONSABILIDADE  UNIVERSAL”, ELE DIZ. COMO MUDAR NOSSA POSTURA? 

Nesse poema, o Dalai Lama coloca a árvore no centro e diz: “Se as árvores algum dia desaparecerem, a Terra se tornará um deserto assustador”. Vale a pena meditar sobre essa frase – talvez seja melhor durante uma caminhada na floresta.Não há nada de mau em cometer erros. O sentido da nossa existência aqui é aprender com eles. Podemos aprender com os erros, por exemplo, prestando atenção aos sonhos que  nos  visitam.  Para  as  antigas gerações, os sonhos eram “a voz de Deus dentro de nós”. E indígenas acreditam nisso ainda hoje.

O QUE SIGNIFICA A “INCONSCIÊNCIA DA ALMA”, MENCIONADA NO LIVRO, E O QUE ELA PROVOCA?

Significa que negamos, reprimimos e esquecemos problemas como o aquecimento  global  porque  não queremos  admitir  que  eles  existem. Mas tudo o que reprimimos volta.    podemos  superar  essa inconsciência trabalhando a nossa consciência e o nosso espírito, com meditação, atenção plena, autoconhecimento e responsabilidade pelas futuras gerações.

VOCÊ DIZ QUE A HUMANIDADE PRECISOU  SE  PROTEGER  DO  MEIO  AMBIENTE E AGORA É A NATUREZA QUE PRECISA  DE  PROTEÇÃO.  COMO  NOS  RECONCILIARMOS COM ELA?

Nos últimos 300 anos, desde o Iluminismo [século  18], no Ocidente, nós, ocidentais, temos uma tendência a seguir em demasia o domínio da mente. Devemos encontrar novamente um equilíbrio entre espírito e matéria, entre a espiritualidade e a ciência, para podermos viver plenamente e manter uma economia sustentável. Usando apenas a razão, nós não despertaremos. Precisamos mobilizar também nossos sentimentos.

“A  CRISE  AMBIENTAL  DE  HOJE  É  A  CRISE DO NOSSO MUNDO INTERIOR”, VOCÊ  DIZ  NO  LIVRO.  QUAIS  OS  CAMINHOS  PARA  CURAR  ESSES  DESEQUILÍBRIOS INTERNOS E COLOCAR ORDEM NA CASA?

Devemos superar a ilusão de que nosso bem-estar se baseia no crescimento econômico ilimitado. Isso destrói a base de nossas vidas. Foi o que nos ensinou o livro Club  of  Rome, de John Coleman, há 50 anos. Devemos  amadurecer  espiritualmente em vez de crescer fisicamente. E estou plenamente ciente de que a lacuna entre pobres e ricos deve ser eliminada. Nosso mundo é tão rico que todas as pessoas podem viver uma vida digna.Tenho um lema para o futuro, que é: “Eu acredito no que espero”. O homem é um ser espiritual, então precisamos encontrar novamente um contato maior com o mundo espiritual. Espírito é um outro nome para Deus. “Deus é espírito”, diz o Evangelho de João. O mesmo Evangelho diz ainda: “Deus é energia”. Essa energia primordial à qual devemos tudo.

SE O ESTADO DA NATUREZA REFLETE A NATUREZA INTERIOR DAS PESSOAS, COMO VOLTAR A FLORESCER?

Somos uma unidade formada por corpo e mente. Mas essa unidade e essa ligação estão desequilibradas. Jesus diz: “Ama ao teu próximo como a ti mesmo”. Mas nos amamos muito  pouco  e  desaprendemos  a amar a criação. No entanto, só podemos proteger e preservar aquilo que amamos. Para alcançar um pleno desenvolvimento do nosso potencial, é imprescindível encontrar um equilíbrio entre homem e mulher, entre masculino e feminino. A psicologia moderna nos ensina que todo homem deve desenvolver seu lado espiritual feminino e toda mulher, seu lado espiritual masculino. Só então obtemos um equilíbrio natural entre o feminino e o masculino. E nossas parcerias só dão certo se houver igualdade de direitos.

Para saber mais sobre esse movimento, veja o Festival Path.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 238, dezembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*