Guiaderodas: app muda vivência de pessoas com deficiência

  • TEXTO Lucas Vasconcellos
  • FOTOGRAFIA george tsartsianidis | iStock
  • DATA: 22/10/2019

Com informações de dezenas de países, aplicativo mapeia locais que promovem acessibilidade 

 

O artigo 5, parágrafo 15 da Constituição Federal refere-se ao direito do indivíduo ir e vir. Parece algo simples de entender, em especial se você não tem dificuldade de locomoção. Mas o ir e vir pode ser uma experiência desafiadora para milhões de pessoas no Brasil – uma andada em um quarteirão é o suficiente para entender o porquê: calçadas esburacadas, sem rampa de acesso, entre outros problemas. 

Então, para auxiliar pessoas a terem experiências mais prazerosas ao fazer algo simples, como ir a uma padaria, Bruno Mahfuz, que tornou-se cadeirante aos 17 anos, após um acidente de carro, criou o Guiaderodas. 

Além de gratuito, o aplicativo é um ferramenta colaborativa para consultar e avaliar a acessibilidade dos locais, permitindo que quem tem mobilidade reduzida possa escolher não se frustrar ao chegar a um local, por exemplo. Da mesma forma, pessoas com ou sem deficiência podem ajudar nessa avaliação. 

Atualmente, o app tem informações sobre lugares em mais de mil cidades, distribuídas em 62 países. Como resultado, a ferramenta já foi escolhida em um evento organizado pelas Organizações das Nações Unidas (ONU) como a melhor iniciativa para a inclusão e acessibilidade.

Com o lema “Uma ideia quando é boa, é boa para todos”, Bruno criou a Certificação Guiaderodas. Basicamente, um reconhecimento dado a empresas que realmente se empenham em promover uma experiência inclusiva. Pelo projeto, Mahfuz foi eleito pelo MIT Technology Review como um dos maiores inovadores com menos de 35 anos na América Latina. 


——

Guiaderodas

guiaderodas.com


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 221, julho de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Ao olhar para nossas emoções, compreendemos que a estabilidade é um empenho permanente. O caminho para harmonia surge quando estamos bem com nós mesmos.



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*