Domitila Barros é a nova Miss Alemanha: 10 fatos sobre a ganhadora

  • TEXTO Gisela Garcia e Carolina Vellei
  • DATA: 21/02/2022

Conversamos com Domitila Barros, a brasileira que acaba de ganhar o Miss Alemanha, concurso alemão que se renovou para destacar exemplos de empoderamento feminino.

 

No sábado, dia 19 de fevereiro, o mundo conheceu o nome da nova Miss Alemanha 2021/2022. Quem venceu a competição foi a brasileira Domitila Barros, ativista que usa a sua arte e a sua voz como ferramentas de transformação para o planeta.

Em setembro do ano passado, convidamos Domitila para ser embaixadora do pilar Transformar da Vida Simples. Essa parceria com a modelo foi firmada a partir do desejo em comum de propagar a união pela mudança em prol da natureza e das pessoas.

Da favela para o mundo

Desde o início, temos acompanhado a trajetória da brasileira Domitila Barros dentro do concurso Miss Alemanha 2021/2022.

Já contamos por aqui que Domitila saiu, ainda garota, da comunidade de Linha do Tiro, no Recife, para fazer um discurso para pessoas do mundo inteiro quando recebeu uma premiação da Unesco por seu trabalho social.

Também falamos sobre a bolsa de estudos que ganhou e que mudou sua vida toda para Berlim. Comentamos como ela virou greenfluencer e passou a defender causas que vão além do social: trabalho digno para mulheres da periferia, ações sustentáveis para o meio ambiente e arte como meio de expressão para a mudança.

Sensibilidade e força resumem Domitila

Para irmos além das informações que já sabemos sobre Domitila, conversamos com a artivista brasileira e ficamos conhecendo um pouco de sua vida que não costuma aparecer sob os holofotes.

Após um bate-papo descontraído, destacamos aqui 10 fatos que ela nos compartilhou e que foram importantes em sua trajetória até o Miss Alemanha.

1.  Ela teve um burnout aos 30 anos e, desde então, faz terapia.

Domitila conta que por causa do excesso de trabalho, teve um burnout e devido ao estresse emocional, chegou a pesar 42 quilos. “Nunca mais vivo sem terapia, isso me ajuda muito no dia a dia”, revela.

2. Participou do seu primeiro desfile aos 7 anos

“Sempre gostei de aparecer, de passarela, de palco. Imagine, a vida pegando fogo, o mundo se acabando na Linha do Tiro e eu querendo ser princesa. Nem tinha dente na minha primeira sessão de fotos”, se diverte.

Imagens de sua infância revelam uma Domitila que já adorava fazer pose. (Foto: arquivo pessoal)

3. Tem 9 tatuagens, todas com um significado especial.

“A minha primeira tatuagem foi um símbolo de Ghana no pé, que significa ‘Deus é um só e está em todos os lugares, não só nos templos e igrejas. Ele está no ar, na água, embaixo de uma pedra, em todo lugar “, revela a finalista do Miss Alemanha. “Tenho também a assinatura do meu pai tatuada em um dos punhos. No outro tatuei ‘self care’, que significa autocuidado em português”, explica.

Para ela, depois que teve um burnout, o autocuidado se tornou mais importante do que o amor-próprio. “Quero aprender a ser legal comigo mesma e cuidar bem de mim, assim como eu cuido bem dos outros, para que nos dias em que, mesmo eu não me amando, eu me cuide e me permita ser. E a tatuagem é para eu nunca esquecer disso”.

4. Gostava muito de Artes e História na escola.

“Eu não gostava muito de Português porque pra mim não fazia sentido aprender na escola o que eu não podia pôr em prática no meu dia a dia. O português falado nas ruas é lindo mas o da escola nunca foi muito minha vibe”, conta a artivista que era fera em História e em Artes.

5. Seus ídolos são seus pais.

“Tudo que tenho e sou nessa vida vem da inspiração e admiração que tenho pelo meu pai e minha mãe”. Os pais de Domitila são professores e criadores da ONG CAMM, que acolhe crianças e suas famílias.

6. Criou uma marca de biojoias com suas amigas de infância.

Domitila revela que a inspiração e estímulo para fundar a She’s from the Jungle, marca de biojoias e biquínis artesanais que criou, veio de suas amigas de infância, amizades essas que continuam na fase adulta. “A Leticia é minha melhor amiga até hoje. Ela sempre me defendia e me protegia na adolescência. Somos irmãs de alma”, comenta.

Domitila (ao centro) junto com amigas durante a sua infância. (Foto: arquivo pessoal)

7. Adora jiu-jitsu, surf e skate.

Domitila pratica yoga diariamente, mas confessa que ama jiu jitsu, surf e skate. “Também adoro dançar, mas sou péssima”, diz. Como boa canceriana, ela ama o mar e diz que sonha em um dia morar na praia e surfar todo fim de tarde.

8. Já esteve em todos os continentes.

Domitila não sabe quantos países já visitou, mas diz que já passeou por todo o globo. “Não conto os países porque não acredito no conceito de fronteiras”, destaca. As viagens mais especiais foram a Israel, Palestina, Jordânia, Síria e Líbano. “Conhecer de perto essa região , mesmo sabendo que a Palestina oficialmente não existe em alguns mapas, foi definitivamente uma viagem que me ensinou muito. Os meus conceitos de cidadania, globalismo e fronteiras foram atualizando e, desde então, eu não falo mais sobre países que visitei, mas sobre culturas e lições aprendidas. No melhor estilo ‘Brasileiros pelo mundo’, conta rindo, referindo-se à editoria de Vida Simples que trata do tema.

9. Atuou em uma novela alemã.

Apesar de ser reconhecida por seu trabalho social, Domitila Barros ficou famosa na Alemanha por atuar em uma novela. “Atuei na ‘Gute Zeiten, schlechte Zeiten’, exibida pela RTL Television em maio de 1992, que abordou questões como homossexualidade, incesto, estupro, dependência de drogas, vários crimes, câncer de mama, bulimia, consumo de álcool por menores, adoção e doenças mentais”, comenta. A participação foi o pontapé para que ela despontasse como influenciadora verde e deu visibilidade ao trabalho social que ela já fazia desde a adolescência, no Recife.

10. Sonha – e luta – por um mundo mais justo e consciente

Talvez isso nem seja uma novidade, já que o trabalho de Domitila é pela inclusão social, e pela consciência ambiental e defesa do planeta. Mas a recifense conta que seu maior sonho é poder alcançar o universo mainstreaming. “Porque acredito que nem todo mundo tem o privilégio de ter no DNA, o acesso a todos esses temas feministas, de amor e respeito à Terra e nossos irmãos em solidariedade”, revela. “Eu acredito que se eu tiver a oportunidade de alcançar mais gente, eu posso me aposentar mais cedo. Vai que eu influencio positivamente a próxima Greta Thunberg e ela assume o posto de mudar o mundo, e faz ainda melhor do que eu?”, brinca Domitila. E ela continua: “eu só posso me aposentar quando a geração Z assumir o cargo e, para isso, preciso alcançá-los e dividir com eles meus valores, lições, história de vida.”

“Acho que então meu sonho é viver em um mundo justo e consciente, onde ninguém precise sofrer ou se escravizar mentalmente, fisicamente, religiosamente. Onde todas as crianças tenham direito a uma infância de qualidade e em segurança com igualdade social e responsabilidade ambiental”, finaliza.

 

 

 

 


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 243, maio de 2022 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*