Shambhala: um caminho para curar e criar um bom futuro.

  • TEXTO Gisela Garcia
  • FOTOGRAFIA Metamorworks | IStock
  • DATA: 14/09/2021

Centro Shambhala de Meditação promove ciclo de palestras sobre como manter o equilíbrio em momentos de crise e o que podemos aprender com as constantes transformações da vida.

Momentos de crise nos tiram de prumo, mas são transitórios e podem nos fazer crescer. Esse era um dos ensinamentos do mestre tibetano Trungpa Rinpoche. Ele explica que o caos pode ser uma boa notícia, porque podemos extrair sabedoria do caos.

Para entender melhor e aprofundar essa reflexão, o Centro Shambhala de Meditação, localizado em São Paulo, realiza o ciclo de palestras “Sabedoria em Tempos de Pandemia”. Pois, mesmo que saibamos que crises são passageiras, sobreviver a esses tempos turbulentos, como o que vivemos atualmente, pede preparação.

São cinco palestras (online, via Zoom) que acontecem uma vez por mês, com professores que já percorreram um longo caminho de estudos e que já detém um nível de conhecimento e prática muito avançados dentro do contexto de meditação.

Mas, como sobreviver ao caos e aprender com ele?

Podemos aprender com o caos. Mas para isso, temos que sobreviver a ele.  Entretanto, como atravessar esse momento desafiador pelo qual o mundo inteiro está passando? É o que vai explicar a palestra de setembro do ciclo de palestras “Sabedoria em Tempos de Pandemia”. A estadunidense Acharya Arawana Hayashi, traz o tema “Dharma Arte: um caminho para conectar, curar e criar um bom futuro.” Arawana pretende dar um panorama de como podemos manter o equilíbrio, ter clareza e aprender com essas transformações.

Na década de 70, Arawana embasou sua carreira na dança e começou sua prática de meditação e estudo em Shambhala. Em 1981, começou a ensinar em programas do treinamento Shambhala. Atualmente trabalha com o Presencing Institute, onde, junto com colegas, criou uma forma de arte chamada “Teatro da Presença Social”. De acordo com ela, essa é uma arte que leva ensinamentos contemplativos de Shambhala para o campo da mudança organizacional e social.

Arawana é autora do livro “Social Presencing Theater: The Art of Making a True Move”.

shambhala

Crédito: Benjamin Child | Unsplash

O Shambhala

Shambhala é uma comunidade global de pessoas inspiradas pelo princípio de que todo ser humano possui uma natureza fundamental de bondade básica. Essa natureza, nossa sabedoria inata, pode ser desenvolvida de maneira que beneficie nossas próprias vidas. Além de nos ajudar a enfrentar os muitos desafios que o mundo nos traz.

Os centros de meditação acolhem pessoas de todos os credos e origens. O nome Shambhala tem origem no lendário reino famoso por ser uma sociedade iluminada e oferecer um caminho de prática de meditação e artes contemplativas orientadas para a vida moderna.

Origem

A Comunidade de Shambhala foi fundada por Chögyam Trungpa Rinpoche. Considerado um dos mestres budistas mais dinâmicos e controversos do século XX. Foi um dos pioneiros em trazer os ensinamentos budistas do Tibete para o Ocidente. E é a ele que se deve a introdução de muitos conceitos budistas na língua inglesa e no psiquismo, de uma maneira nova e única.

Chogyam Trungpa fez parte de uma pequena comitiva de monges que atravessou os Himalaias, fugindo do Tibete durante a invasão chinesa em 1959. Ao chegar à Índia, foi designado por Dalai Lama como conselheiro espiritual para o Lar Escola para Jovens Lamas, em Dalhousie, na Índia.

Em 1963, Trungpa se mudou para a Inglaterra e, em seguida, fundou a comunidade Shambhala.


Palestra: “Dharma Arte: um caminho para conectar, curar e criar um bom futuro.”

Data: 18 de setembro

Horário: 9h30 – 12h

Link para inscrições: Centro Shambhala São Paulo


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 237, novembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*