Os 4 pilares mais importantes para uma vida saudável

  • TEXTO Matheus Macêdo
  • DATA: 21/01/2021

Alimentação, sono, movimento e silêncio. O que são esses pilares e como aplicá-los, para ter uma vida saudável e maravilhosa

Se usamos roupas incríveis e temos empregos invejáveis, mas acordamos nos sentindo péssimos, qual é o sentido da vida? Se você não fica satisfeito de jeito nenhum com a forma que gasta as horas do seu dia, será que não está investindo energia em atividades que não te levam aos espaços nos quais você gostaria de estar?

Existem 4 pilares básicos para você viver com saúde. E isso tem a ver com o físico, o mental, o psicológico e com a alegria ao encarar cada dia. São 4 fundamentos que explicam a natureza do corpo e do ser humano, sem segredo nem esoterismo.

Vamos falar sobre cada um deles: alimentação, sono, movimento e silêncio. Porque tenho certeza que sabemos onde gostaríamos de estar, quem queremos ser e o que merecemos alcançar. Ou você não acha que merece ter uma vida sensacional?

1 – Alimentação

Quando as pessoas vêm me procurar para agendar um atendimento médico, a primeira etapa que elas têm que cumprir é o preenchimento de uma anamnese detalhada, que inclui uma descrição pormenorizada dos seus hábitos alimentares. Eu não faço isso para gerar inconvenientes para o paciente, pelo contrário. Muitas pessoas que me procuram já parecem saber a causa de seus problemas e o caminho para solucioná-los. O grande problema é que entre saber o que se faz de errado e efetivamente mudar parece haver um abismo cognitivo impressionante.

E te digo que não há nenhum chá de uma erva milagrosa do Himalaya para resolver esse problema. A sua alimentação faz parte do seu sistema de prioridades. “Evite comer o que te faz mal” parece um conselho simples, mas se sua prioridade ao se alimentar é sentir prazer, gerir o tédio ou compensar um dia difícil, talvez suas escolhas alimentares acabem por não considerar com a devida atenção o efeito desses alimentos na sua saúde.

Sugiro que faça um diário alimentar durante três dias. Anote o horário, o que você comeu e como se sentiu ao fim do dia. Depois, com base na sua percepção, sublinhe tudo aquilo que ingeriu e acha que não faz bem para você. Conte quantos sublinhados você fez nesse período.

Cada um dos sublinhados é um sinal de incoerência em suas escolhas alimentares: você sabe o que te faz mal e insiste em comer.  A grande questão é que, em vez de você passar a responsabilidade da doença para algum profissional de saúde, vai chegar uma hora em que você vai ter que assumir que a sua saúde e a sua alimentação são responsabilidades suas também.

Às vezes, o problema está no mito de que comida gostosa não é saudável e vice-versa. Mas esse preconceito não sobrevive a uma análise mais cuidadosa. Existem alimentos deliciosos e saudáveis, um universo incrível, pronto para ser explorado por você.

2 – Sono

O sono é um sistema de recolhimento. Para você conseguir dormir direito, precisa criar um ambiente que acolha esse processo, esse momento de interiorização no qual você perde consciência do mundo exterior e desliga seus sentidos.

Tem uma passagem muito bonita no livro milenar ayurvédico Charaka Samhita que diz: “quando, à noite, o coração se recolhe como uma flor de lótus, e você perde a consciência exterior, esse é o sono, ou Nidra”.

Toda essa poesia e qualidade de sono não são nada possíveis se você é aquela pessoa que dorme sob as luzinhas diversas de equipamentos eletrônicos ou então se dorme com alguém que te atrapalha. Identificado o problema, basta buscarmos soluções, mas calma, não precisa abrir mão do cônjuge. Às vezes, basta tirar a televisão do quarto.

Gatos e cachorros que te acordam durante a noite, televisão com explosões hollywoodianas e impactos do gênero definitivamente não combinam com uma boa noite de sono. Minha dica é a seguinte: entenda o seu quarto como um templo e o seu sono como uma prioridade suprema. Respeite isso e você vai dormir muito melhor.

3 – Movimento

O movimento é a natureza do corpo humano. Se você tem um corpo e ele não se mexe, isso significa que você não está fazendo o básico que um corpo tem que fazer.

E, se você não sabe usar o corpo direito, ele desiste de você. Assim como os seus ossos, tendões e músculos se habituam, se adaptam e se desenvolvem graças ao movimento, eles também respondem à estagnação e param de funcionar, atrofiando e devolvendo doenças como consequência.

Atualmente, a maioria das pessoas passa anos a fio alternando entre duas posturas: ou estão sentadas, digitando no computador, dirigindo e comendo; ou estão deitadas, ao dormir.

Se você está sentado 8 horas no seu computador e o corpo emite um alerta em forma de dor dizendo que você precisa se mexer, mas você ignora isso e manda ele ficar quieto porque tem que mandar um email, o corpo pode te devolver uma dor na coluna, que funciona na prática como um pedido de ajuda e de atenção. Isso começa com um leve desconforto e pode evoluir em gravidade, à medida que os chamados são ignorados.

Sem mais rodeios, a dinâmica do corpo humano é a seguinte: tudo aquilo que você não usa, você perde. Portanto, valorize seu suor, e, principalmente, valorize a diversão que movimentar o corpo pode te trazer. Minha dica aqui é simples: inspire-se nas crianças.  Elas não precisam de tênis caros ou kits esportivos completos para movimentar o corpo. Antes de você piscar os olhos elas saem correndo, pulam e se jogam no movimento, independente de onde estão e do que vestem.

4 – Silêncio

O quarto pilar da saúde é o silêncio. Eu gosto de dizer que silêncio é igual a presença e que seu eu tivesse que ensinar apenas uma coisa de todo o conhecimento milenar ayurvédico, essa coisa seria exatamente a presença.

O grande paradoxo aqui seria tentar descrever com palavras o que significa o silêncio. Esse conceito vai muito além dos adjetivos, julgamentos e outras classificações que ressoam em nossa cabeça. O silêncio é a sua natureza. Impossível de ser explicado, ele deve ser sentido, vivenciado e praticado. Minha dica aqui é começar observando sua respiração, o movimento de entrada e saída do ar, nem que você faça isso apenas por um minuto todos os dias. Se você já se sente mais confortável com esse tipo de prática, em breve vou escrever um artigo aqui entrando mais profundamente nesse quarto pilar da saúde e no valor da meditação.

 

E então, fez sentido para sua vida observar esses 4 pilares da saúde?

A tarefa de explicar de forma prática milhares de anos de filosofia ayurvédica me enche de motivação. No Vida Veda, temos milhares de alunas e alunos que colocaram em prática esses 4 pilares da saúde e perceberam como, de forma simples, conseguiram assumir mais controle sobre a qualidade de suas vidas. Desejo de coração que esse conhecimento possa também servir para levar mais saúde para você e para a sua família.


Sou Matheus Macêdo, primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso chamado BAMS (Bachelor in Ayurveda, Medicine and Surgery). Vivi na Índia quase 7 anos e de lá tive a honra de criar o Vida Veda, um empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa.

 

Nasci no Rio de Janeiro e hoje moro em Guimarães, Portugal, e percorro o mundo dando palestras sobre Ayurveda e medicina integrativa.

Muito obrigado pela leitura e até a próxima semana!


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 229, março de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*