O futuro nasce com seu filho

  • TEXTO Lua Barros
  • FOTOGRAFIA Adam Winger | Unsplash
  • DATA: 17/07/2021

Olhar para frente sem tantos preconceitos é uma atitude corajosa e essencial para estabelecer laços de amor profundos.

O futuro dos filhos é uma preocupação constante. Há quem poupe para a faculdade, para o inesperado. E, por melhores que sejam nossas expectativas, a verdade é que esse tal de futuro sempre traz uma sensação de escassez, de medo. E aí nossas ações e reações são pautadas por sentimentos que não nos colocam em movimento. Entretanto, ficar no mesmo lugar e desejar as mesmas coisas de 30 anos atrás é criar filhos em gaiolas.

Buscar novas formas de se relacionar com os pequenos. E entender que a base desse adulto não será mais medida por conquistas materiais tão importantes para nós, é encarar a liberdade. Portanto, pensar sobre isso é pensar em habilidades emocionais: empatia, resiliência, autoconfiança, compaixão, segurança, estabilidade emocional. Como desenvolver essas sutilezas em um mundo tão caótico, que nos apresenta crianças agressivas, impacientes, superconectadas, ansiosas?

futuro

Tim Mossholder | Unsplash

Responsabilidade

Portanto, diante das situações mais desafiadoras e desconcertantes, a resposta precisa sempre ser o amor. A dureza não nos garante aprendizados de longo prazo. Ela cria memórias dolorosas que reforçam o mau comportamento e, na vida adulta, pautam a forma como nos relacionamos. Por fim, a criança que apresenta um comportamento que te desagrada está te chamando para olhá-la e tomar as rédeas da responsabilidade.

Dessa forma, os pais são os tutores desse futuro adulto, e a lição para ser um indivíduo que carrega compaixão no coração vem do respeito. Entretanto, estamos tão desconectados dessa essência boa que seguimos reproduzindo um padrão de correção igual ao que recebemos. O que na sua vida se mantém igual tanto tempo depois? Essas mudanças exigem muito de nós. Afinal,  quem é o adulto da relação? Nossos filhos valem a pena. E o amor, por mais piegas que pareça, também.


LUA BARROS é educadora parental e mãe de quatro filhos, mas também consegue ser outras coisas quando sobra tempo.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 233, julho de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*