Coragem

  • TEXTO GUTANAKA
  • DATA: 12/01/2021

Quando deixamos de agir apenas de acordo com a mente e passamos a agir também pelo coração

Eu achava que ouvir o coração era uma metáfora. Eu vivia na minha cabeça. Preso nos meus pensamentos. Quando diziam que eu deveria ouvir o coração, não conseguia compreender bem a ideia.

Um dia, descobri que coragem é agir com o coração. Então, para desenvolver a virtude da coragem eu precisaria escutar o que o coração me dizia.

Mas como dá para fazer isso?

Fui percebendo que nos momentos em que me perdia, uma força interna surgia me apontando um caminho. Fui percebendo que existia vida dentro de mim do pescoço para baixo. Que eu não era apenas meus pensamentos. Que, inclusive, quando meus pensamentos se aquietavam, eu conseguia ouvir com ainda mais clareza o que acontecia dentro de mim. Aos poucos, fui tomando consciência de que meu coração falava comigo não apenas de forma metafórica, mas também física. Fui aprendendo a perceber quando ficava mais acelerado e quando se acalmava.

Compreendi que existia uma conexão entre meus pensamentos e o coração. Por exemplo, quando eu pensava em ideias legais, ele batia mais forte. Quando conhecia uma pessoa interessante, ele pulsava diferentemente. Às vezes, observar isso com atenção é incrível porque fica óbvio o caminho que tenho que seguir. Mas, outras vezes, o coração bate forte por uma vontade que me faz ficar com medo. Então, de maneira impulsiva, fico com receio das minhas vontades.

E isso acontece quando o que penso vai contra o que os outros pensam, e minha vontade de agir é diferente do que acredito que se espera de mim. É nessas horas que a virtude da coragem é exigida. Quando preciso deixar de acreditar só na mente e passar a agir com o coração aberto e cheio de desejo de viver coisas novas.

Nesses momentos, eu preciso seguir em frente e acreditar em mim.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 233, julho de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*