Folia amiga da natureza: como fazer glitter biodegradável

  • TEXTO Nara Siqueira
  • FOTOGRAFIA Divulgação
  • DATA: 20/02/2020

Aprenda a preparar o adereço mais usado no carnaval em casa e curta a festa com mais consciência e cuidado com planeta

 

O ano era 1934. E era para ser também mais um dia comum de trabalho para o maquinista Henry Ruschmann, não fosse sua descoberta de uma maneira de triturar grandes quantidades de plástico para transformá-lo em glitter e purpurina. De Nova Jersey, nos Estados Unidos, o produto acabou ganhando o mundo. Encontrou muito espaço entre nós, brasileiros, também. Mas, sim, esse pó colorido e brilhante que usamos no corpo nada mais é do que partículas bem pequenas de plástico, especialmente o que conhecemos como PET (polietileno tereftalato). 

ASSINE A VIDA SIMPLES

Embora tenha sido muito bem aceito, o glitter está longe de ser ecologicamente positivo. Isso porque, além do fato de o plástico levar centenas de anos para se decompor, essas micropartículas se espalham com mais facilidade, chegando às águas e contaminando diversas espécies marinhas. Vemos facilmente uma garrafa de refrigerante flutuando nos rios, mas não conseguimos enxergar cada pedacinho de purpurina neles – o que dificulta o trabalho de identificação e limpeza dos afluentes.

A boa notícia é que o carnaval não precisa perder o brilho. É possível preparar versões sustentáveis do glitter – e é isso que vamos aprender agora. 

Receita de glitter biodegradável

glitter biodegradável

Ingredientes para preparar o glitter biodegradável em casa

Você vai precisar de:

  • 01 colher (chá) de gelatina de algas, também conhecida como agar-agar
  • 01 colher (café) de pigmento de mica perolada
  • 01 colher (chá) de pigmentos vegetais em pó, como açaí, hibisco, urucum, spirulina
  • 15 ml de água fervente
  • 01 palito de sorvete 
  • 01 pasta plástica de superfície lisa (que deve ser usada para todas as receitas que você fizer. Não a descarte após o primeiro uso)

Modo de preparo

Primeiramente, em um recipiente, coloque a água e acrescente a gelatina, mexendo bem até que ela se dissolva completamente. Para isso, use o palito de sorvete. Quanto mais uniforme ficar a mistura, sem partículas sólidas, melhor será o resultado final. A consistência ideal não é nem totalmente líquida, nem uma massa grudenta – busque por um líquido mais encorpado. 

Logo após, acrescente o pigmento vegetal de sua preferência, lembrando que ele é quem dará cor ao glitter. Aqui, vale usar a imaginação e testar diversas combinações. Em seguida, coloque o pigmento de mica perolada e mexa até todos os elementos se incorporarem. O segredo é fazer todos esses passos rapidamente, evitando que a água esfrie. Também é preciso tomar cuidado para não mexer demais e a receita acabar ficando dura. 

ASSINE A VIDA SIMPLES

Agora, basta despejar a mistura sobre a superfície plástica e espalhar bem com o palito, cuidando para que a camada fique bem fina. Reserve por 24 horas para secar. No dia seguinte, você verá que essa camada transformou-se em algo parecido com uma folha. Retire-a do plástico, corte em pedaços grandes com as mãos e leve ao liquidificador para triturá-los. E, voilà, está pronto. Se preferir um glitter menor e mais fino, basta passá-lo pela peneira. 

Bom carnaval – com consciência, sempre!

A oficina de glitter biodegradável fez parte de um encontro promovido pelo Damn Project em parceria com a Biossance Brasil, marca de produtos sustentáveis e livres de toxinas para a pele, em ocasião do lançamento do Lip Balm Vegano com Rosas e Esqualano (R$89,00, à venda no site da marca).


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 235, setembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*