Como começar no Ayurveda?

  • DATA: 04/03/2021

Felizmente a busca por informações sobre Ayurveda só cresce! Mas em um mundo com excesso de informação, por onde você pode começar a estudar Ayurveda com segurança?

O que é Ayurveda?

Para começar a entender o Ayurveda, precisamos falar da sua definição. Resumidamente, é o estudo da vida. Em sânscrito Ayu significa vida de forma geral, e Veda significa conhecimento. Ayurveda é o conhecimento a respeito da vida e da saúde humanas.  Ayurveda é um sistema de medicina milenar desenvolvido na Índia, e que pode ser estudado de diversas formas. A linha de estudo na qual eu me especializei pertence aos Samhitas e Nighantus. Os Samhitas são livros milenares, e o mais antigo é o Caraka Samhita (que tem entre 3 a 4 mil anos). Desde então, esse conhecimento segue avançando, porque o Ayurveda é um sistema de conhecimento vivo, baseado em evidências, que foi construído observando a natureza e testando hipóteses para ver como ela funciona.

O Ayurveda é fruto de um esforço coletivo de observação incansável da realidade. Eu tive a sorte de receber esse conhecimento dos meus mestres, enquanto fazia faculdade de medicina na Índia. Existem diversas linhagens de conhecimento védico, e campos de pesquisa completamente diferentes. E quando usamos a palavra védico, estamos nos referindo aos Vedas, obras clássicas que datam de cerca de 5 mil anos atrás e que formaram os pilares para desenvolvimento da cultura, religiosidade e civilizações do sul asiático.

O que não é Ayurveda?

Ayurveda é um estudo focado na saúde humana. Nós estudamos animais e plantas, mas sempre sob a ótica da saúde humana. Em qualquer metodologia científica, é importante delimitar o objeto de estudo, para o pesquisador poder se aprofundar e contemplar os desafios daquele campo específico. Então, Ayurveda não é veterinária nem botânica, da forma como é comumente praticado atualmente.

Ayurveda também não é uma religião, não é yoga, não é budismo, não é um conhecimento místico ou esotérico – apesar de existirem estudos védicos em muitas dessas áreas. Você pode ser de qualquer religião e aplicar Ayurveda na sua vida, porque não é um sistema de dogma, não é necessário acreditar em nada, você só precisa estudar a si mesmo e observar o que funciona para você.

Ayurveda também não é o teste do dosha. Doshas são elementos que desempenham funções em nosso corpo e que, estando em desequilíbrio, geram doenças. Caso estejam em harmonia, eles passam a ter outro nome, são chamados de dhatus, que é aquilo que sustenta o corpo e a saúde da pessoa. Existem três doshas físicos (vata, pitta e kapha) que são ferramentas para o médico entender como está a sua saúde. É importante conhecer os doshas e eles podem te trazer informações relevantes, mas Ayurveda não é só isso.

Ayurveda também não é um tipo de massagem e muito menos massagem tântrica ou terapia sexual. No Ayurveda também não existe limpeza energética, nem passe, nem reiki. Eu não tenho nada contra essas práticas, elas ajudam muitas pessoas, mas simplesmente não são Ayurveda. A consulta com um médico ayurvédico é simplesmente uma consulta médica como você provavelmente já conhece.

E para quem é o Ayurveda?

Agora que você já sabe que o Ayurveda é um sistema de conhecimento da saúde humana, pode estar se perguntando se é algo para você. Existem as pessoas que se interessam por Ayurveda para se tornarem profissionais de saúde dessa linha. O médico ayurvédico se chama Vaidya, que é a minha formação. Existe um curso chamado BAMS, o Bacharelado em Medicina e Cirurgia Ayurvédicas, ministrado em faculdades da Índia, Nepal e Sri Lanka. Eu, por exemplo, me formei na Gujarat Ayurved University, que é considerada uma das melhores universidades da Índia. Além da graduação, as universidades de Ayurveda contam com pós-graduação e hospitais universitários com atendimento ambulatorial e de internação – porque o Vaidya é um agente de saúde pública no sistema de saúde indiano.

E por outro lado, mesmo se você não é profissional de saúde ou terapeuta, ainda assim pode estar em busca de autoconhecimento. O Ayurveda é uma ciência que se dedica a estudar o que é saudável, que melhora a vida, que elimina o sofrimento.  Então se você está sofrendo com alguma doença, qualquer que seja, o Ayurveda provavelmente possui um processo de tratamento para essa enfermidade e pode servir para você.

Existem diversos protocolos no Ayurveda para tratamento de doenças, desde gripe até esclerose múltipla, doenças autoimunes, dores diversas, doenças pediátricas, autismo, câncer, ou seja, os mesmos temas da medicina moderna, mas com um olhar de diagnóstico e tratamento ayurvédicos.

O Ayurveda é tanto para os profissionais de saúde quanto para quem apenas busca qualidade de vida, busca tratar o sofrimento, ou quer se sentir melhor no dia-a-dia. Eu tenho alunos e alunas que já são aposentados, engenheiros, donos de casa, professores, mas também médicos, enfermeiros, psicólogos e nutricionistas, que buscam no Ayurveda um aprofundamento do seu conhecimento, para oferecerem um tratamento mais eficiente para seus pacientes.

Mas afinal, o que é ser ayurvédico?

Muita gente comenta “ah, eu sou muito ayurvédico, uso muita manteiga ghee”, ou “raspo a língua todas as manhãs”, e até “uso cúrcuma em tudo!”. A verdade é que não existe nenhum hábito repetitivo que possa ser considerado Ayurvédico. Assim como você muda durante o dia, durante a semana e o ano, o que você precisa para se sentir bem também vai mudar.

Na minha interpretação, ser ayurvédico é ser, antes de tudo, coerente e integrado. É entender que seu corpo depende de você e da sua relação com o ambiente, dormindo a quantidade necessária de horas, se movimentando todos os dias, comendo o que supre suas necessidades (e não apenas o mais gostoso do momento) e sabendo guardar o silêncio restaurador de cada meditação. Quando fazemos o básico, conseguimos nos auto observar e entender nossos pontos de melhoria, o que nos machuca e o que nos dá felicidade, saciedade e nos deixa mais tranquilos. Ser ayurvédico é ser vivo, em eterna mutação e consciente: um cientista de si mesmo que busca se integrar nos pequenos e grandes detalhes.

“Maravilha, Matheus! Adorei isso. Por onde eu começo?” Se essa foi sua próxima pergunta, aproveito para convidar você para o meu curso gratuito A Essência do Ayurveda: são 7 aulas nas quais eu discorro sobre os princípios fundamentais da ciência ayurvédica e como você pode se beneficiar desse conhecimento na prática. Nesse curso, eu consigo ir mais fundo do que neste artigo de introdução. Vou aproveitar para esclarecer alguns mitos a respeito de detox, como descobrir o seu dosha e outras curiosidades comuns. Ele vai acontecer entre 8 e 14 de março e depois vai ficar disponível no canal do YouTube do Vida Veda de forma livre, aberta e gratuita. Participa e deixa seu comentário lá. Vou adorar saber o que você achou.


Sou Matheus Macêdo, primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso chamado BAMS (Bachelor In Ayurveda, Medicine And Surgery). Vivi na Índia quase 7 anos e de lá tive a honra de criar o Vida Veda, um empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa.

Nasci no Rio De Janeiro e hoje moro em Guimarães, Portugal, e percorro o mundo dando palestras sobre Ayurveda e Medicina Integrativa

Muito obrigado pela leitura e até a próxima semana!


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 230, abril de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*