Aromaterapia na prática

  • TEXTO Martina Medina
  • FOTOGRAFIA Chelsea Shapouri | Unsplash
  • DATA: 07/06/2021

A terapia com óleos essenciais nos reconecta à natureza do que somos e amplia o nosso bem-estar físico, emocional e espiritual.

Sabe quando os mais velhos contam que usam citronela para afastar insetos e colocam lavanda no travesseiro para dormir melhor? Pois, os óleos essenciais, coração da aromaterapia, resgatam e valorizam esses saberes e a nossa ligação com a natureza. Conexão essa que foi se perdendo enquanto as cidades, a indústria farmacêutica e as filas dos hospitais cresciam. O nome aromaterapia pode até soar místico, mas os óleos são compostos por substâncias químicas cujos efeitos têm comprovação científica. “O óleo não é um remédio, mas uma ferramenta para preservar e cuidar da saúde, em conjunto com outros tratamentos”, diz o osmólogo Fernando Amaral.

“Pessoas com muito conhecimento fazem praticamente tudo com óleo essencial: de espantar formiga a lavar o cabelo. Esse é meu caso, há 25 anos trabalhando com eles.”

Para começar

Abreviados como OEs, eles são encontrados em mais de 300 plantas. Extraídos de troncos, resinas, folhas, raízes, frutos, flores e sementes, são um verdadeiro tesouro envasado. “Para um litro de óleo essencial de rosas, são necessárias 6 toneladas da flor”, conta a aromaterapeuta e psicoterapeuta corporal Chris Penna. É o mesmo que o peso de um elefante, mas formado pela leveza das pétalas. “Dentro de cada gotinha de um único óleo essencial, encontramos centenas de componentes químicos e temos vários benefícios ao mesmo tempo”, observa a naturóloga e aromaterapeuta Daiana Petry. Já o aromaterapeuta e psicólogo André Ferraz explica as três formas principais de atuação dos óleos. Primeiro fisiológica, com ação antibiótica, anti-inflamatória, analgésica, antitumoral, entre outras.

Segundo, a psicológica, pois, além do seu cheiro despertar memórias e sensações, os óleos inalados atuam no cérebro, onde equilibram o sistema límbico, responsável por nossas emoções. E terceiro, a energética, quando as vivências das plantas nos ajudam a encarar nossos próprios desafios e atravessá-los na frequência serena do Reino Vegetal.

Cuidados

Os óleos podem ser usados de diversas maneiras. Inalação e aplicação na pele — com diluição em óleos vegetais e cremes neutros — são algumas delas. Já a ingestão não é recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Existe a ideia de que é orgânico e não faz mal, mas o uso inadequado pode causar alergias, queimaduras e até matar”, alerta Chris Penna. E certifique-se de que se trata de óleos essenciais puros, e não essências, que são artificiais. A seguir, conheça nove óleos para ter em casa e ganhar mais autonomia nos cuidados com a saúde.

LAVANDA (LAVANDULA OFFICINALIS)

“É a porta de entrada na aromaterapia”, resume Chris Penna. Não à toa, também é o óleo essencial mais consumido no mundo. A lavanda resgata nosso equilíbrio emocional, ajuda a vencer a ansiedade, a depressão e o medo. Seu uso no difusor ambiental ajuda a criar um ambiente tranquilo e afasta a insônia. No corpo, seus benefícios vão desde o relaxamento muscular até a restauração da pele. Ela é indicada para casos de linhas de expressão, acne, dermatite, rosácea, psoríase, queimadura, cortes e picadas de insetos, podendo ser aplicada diretamente na pele em doses de uma a duas gotas. Promove a reconstituição celular, atuando nos sistemas circulatório e linfático. Também é bactericida e antisséptica – e pode estar em sabonetes, desodorantes e produtos de limpeza caseiros. Só não deve ser usada por pessoas com hipotensão.

aromaterapia

Annie Spratt | Unsplash

LARANJA DOCE (CITRUS AURANTIUM DULCIS)

Extraído da casca do fruto, é o óleo da vitalidade. No difusor pessoal ou ambiental, ele ajuda a afastar depressão, ansiedade, tristeza e medo. “A laranja abre um espaço dentro da gente para preencher com vitalidade, criatividade e organização”, diz Chris, acrescentando que o óleo aumenta o foco e a segurança. Com massagem local feita com óleo vegetal, ajuda a diluir celulites e gordura localizada. Age como tônico estomacal e digestivo quando aplicado no difusor ambiental 30 minutos antes das refeições. Diluído em creme facial, ajuda no tratamento de manchas e o excesso de oleosidade da pele. Também melhora o apetite e a qualidade do sono das crianças. Não se deve sair ao sol por seis horas após a aplicação porque o óleo é fotossensibilizante. Ou seja, pode aumentar as chances de queimaduras da pele

MELALEUCA OU TEA TREE (MELALEUCA ALTERNIFOLIA)

É conhecido como “antibiótico da aromaterapia”. Auxilia no combate da acne, herpes, feridas e de outras infecções na pele, onde pode ser aplicado diretamente. Sua ação antifúngica cuida de micose, candidíase, cistite e infecções urinárias. No caso da micose, basta aplicar uma gota na área afetada. Nos demais, a indicação é massagear, com o óleo diluído em óleo vegetal. Massagem nas costas (para infecção urinária) e no baixo ventre (para cistite e candidíase). No óleo vegetal, também combate seborreia e caspa. Para substituir o enxaguante bucal, deve-se diluir uma gota de melaleuca em 100ml de água e fazer um bochecho que previne e remedia afta e gengivite. Para limpar a pele, misture uma gota ao óleo de coco e água. Use um algodão para espalhar a mistura pelo rosto e depois enxágue. Só não é recomendável usar em crianças menores de 1 ano.

Aromaterapia

IStock

EUCALIPTO (EUCALYPTUS GLOBULUS)

Esta planta produz seu óleo essencial para inibir o crescimento de outras plantas, garantindo liberdade e espaço suficientes para ela se expandir. Por ser bactericida, ele é responsável pela limpeza do ar em muitos ambientes. No organismo, trata de processos respiratórios, como rinite, sinusite e congestão nasal. É por isso que alguns expectorantes vendidos na farmácia trazem seu princípio ativo. Aplicado em massagens e banhos, relaxa os músculos e alivia tensões corporais causadas pelo excesso de esforço ou de exercício físico. Sabe quando a gente sente que vai resfriar? É hora de inalar eucalipto para revigorar as vias aéreas. No emocional e mental, ele traz clareza e nos ajuda a dizer o que precisamos com mais assertividade. E transmite sensação de alívio e frescor em momentos de clausura, como nas grandes cidades.

ALECRIM (ROSMARINUS OFFICINALIS)

Nasce debaixo de muito sol e se desenvolve como um forte arbusto em meio a ventanias. Por isso, não há lugar para desânimo com esse tônico e estimulante físico. Ele alivia a mente, fortalece a musculatura e regenera o sistema nervoso. Nos ajuda a agir, com firmeza, criatividade e alegria, em direção ao nosso crescimento, mesmo em meio a desafios externos. Faz isso aumentando a autoconfiança, a segurança e o foco. Fortalecedor do sistema circulatório, é bom para pés, mãos e pernas e para reduzir medidas em procedimentos estéticos. Ele dá suporte para que outros óleos penetrem mais profundamente na pele – use uma gota para potencializar o efeito dos demais. Ainda auxilia no fortalecimento e crescimento dos fios dos cabelos. Não deve ser usado por pessoas com pressão alta, com epilepsia, grávidas e nem crianças.

aromaterapia

Christhian Gruhn | Unsplash

MENTA (MENTHA PIPERITA)

Com aroma fresco e picante, ele alivia dores por ser vasoconstritor, analgésico, anti-inflamatório e bactericida. Massagear o óleo diluído em óleo vegetal nas têmporas alivia dores de cabeça e enxaquecas. Também é usado para combater inchaços por meio de compressas frias. Age contra enjoo e mal-estar. Basta aplicar uma gota em uma colher de açúcar branco, misturar em um copo de água e fazer um gargarejo por cinco minutos, segundo Fernando Amaral. Nos cabelos, regula a produção de óleo e caspas. Em ambientes fechados, refresca o ar. Melhora a respiração e o desempenho muscular, além de ser estimulante. Portanto, não use antes de dormir! No emocional, aumenta a sensação de liberdade e expansão, preparando corpo e mente para novas jornadas. Não deve ser usado próximo aos olhos nem em crianças menores de 5 anos.

LIMÃO (CITRUS LIMON)

É muito parecido com a laranja na ação mental: ajuda a dar clareza, serenidade e foco. Mas tem outras propriedades notáveis, como o fato de ser bactericida, adstringente e antisséptico. O que o torna ideal para produtos de limpeza caseiros. Ou seja, o mesmo óleo que se usa na pia para tirar gordura, coloca-se no difusor para se concentrar nos estudos. Ele também ajuda a aumentar a imunidade diante da oscilação de temperatura. Para isso, Daiana Petry indica a inalação de uma gota no algodão ou no difusor pessoal durante 15 minutos. Também garante a qualidade do ar durante epidemias de gripes e viroses. O limão é ainda diurético e antirreumático quando aplicado com óleo vegetal em massagem na região dos rins, nas costas. Como a laranja, não deve ser aplicado na pele antes de se expor ao sol.

aromaterapia

Steve Doig | Unsplash.jpg

CAMOMILA ROMANA (ANTHEMIS NOBILIS)

Ao lado da lavanda, é outro grande óleo de relaxamento e harmonia mental e emocional. Na psicoterapia, é usado para auxiliar o paciente a atravessar traumas que trazem culpa. Essa flor dá estrutura para acolher as feridas e trabalhar em busca da cura. Auxilia a vencer vícios, asma e insônia com origem em causas emocionais. Experimente usar no difusor ambiental ou faça massagem conjunta com óleo vegetal no peito e nas costas. “Esse óleo traz o bem-estar necessário para fazer a transformação da história do trauma. E o corpo consegue ressignificar a marca que ficou”, diz Chris Penna. Também ajuda em cólicas, espasmos, tensões nervosas e desequilíbrios intestinais. Tem propriedades analgésicas, antitérmicas e anti-inflamatórias. Crianças com pesadelos podem ter sonhos mais tranquilos com a força dessa flor.

OLÍBANO (BOSWELLIA CARTERII)

Este óleo nos ajuda a amparar nossa própria alma e desenvolver a compaixão. Usado desde a Antiguidade, tem status de óleo sagrado, ajudando na elevação da consciência e na introspecção necessária para trilhar o caminho do autoconhecimento. Fortificante dos centros psíquicos, ele restaura a existência e traz equilíbrio. Usado em massagem com óleo vegetal, ajuda na circulação, estancando sangramento no nariz e hemorroidas. Ajuda a desprender o muco no pulmão com massagem local. A expansão da capacidade respiratória vem acompanhada de maior clareza mental, que garante conforto e sobriedade em momentos de tensão. Trabalha a angústia, que encolhe o peito, expandindo os pulmões.


Martina Medina é jornalista e apaixonada por aromaterapia. Seus óleos preferidos são lavanda e laranja doce.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 233, julho de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*