Relacionamentos são bônus na sua vida

  • TEXTO Rodrigo Monteiro Teixeira
  • DATA: 16/12/2019

Viva sua vida. Saiba o que te faz feliz, o que você gosta. Faça seus planos, tenha suas metas, seus desafios, e se você quiser, chame pessoas para fazer parte disso e aceite um não delas sem problema algum. Assim são os relacionamentos.

 

Uma frase que me ajuda a começar esse assunto com amigos é de uma pichação em um muro qualquer com o texto “você não é especial”. Essa reflexão é muito interessante para entendermos o nosso espaço em uma sociedade. Todos os dias vemos pessoas ao nosso redor – ou até nós mesmos – remoendo, cobrando, esperando, sofrendo com o relacionamento de outra pessoa. E aqui amplio o raio do termo “relacionamento”, que não é apenas o amoroso, mas são os relacionamentos com sua família, seus amigos, colegas de trabalho e com quem mais você mantenha interações sociais contínuas.

Eu nunca espero nada de ninguém. Meu foco é deixar a vida em ordem, cuidando da minha saúde, dinheiro, carreira, contas, projetos e lazer. E nesse foco as pessoas não são a parte fundamental, pois para deixar tudo em ordem, eu conto apenas comigo. Pode parecer triste ou solitário esse depoimento, mas não, sabe por quê? Pois toda a interação que eu tenho é um bônus.

Mas para chegar nesse cenário, não é fácil, claro. Primeiro que você aprende a dizer muito “não” na sua vida, e na nossa cultura isso nem sempre é bem visto. Assim como eu posso dizer não para passeios ou momentos com outras pessoas, eu sei aceitar o não e por isso não me frustro, não cobro, não exijo.

O mundo em torno de você

Há também a relação com família, que não é nada fácil. Aqui o ponto é entender que é possível criar uma linha entre a convivência, afeto e decisões da sua vida. Se você não permite essa definição, vai ser cobrado ou também esperar dos seus familiares sempre. Sua mãe, seu pai e irmãos são antes de tudo, indivíduos. Antes desse “cargo”, eles também acordam preocupados em seguir a vida, resolver problemas e serem felizes. Se você deixa que parte desse projeto pessoal seja se meter na sua vida, você vai sofrer, assim como se você imagina que boa parte do seu projeto envolva ações pró-ativas deles, também.

Por último, há os relacionamentos amorosos, que são mais crônicos, pois quem mora junto e cria uma família, sabe como é difícil separar o “eu” do “nós”. E quanto menos você permite o seu “eu” ou desenvolve um tempo para você, para seus planos e vontades, cria-se uma dinâmica comum que pode muito bem levar a uma depressão após um término.

Faça com que o seu mundo gire ao redor de você, mas saiba que o mundo dos outros gira (ou deveria) girar ao redor deles. Assim, se numa manhã você ficou mal pois alguém não lhe deu bom dia, pense: “será que essa pessoa está bem o suficiente para me dar bom dia?”. E aí reflita no que você pode fazer por si mesmo para que seu dia seja melhor. Mais pra frente quando chegar aquela mensagem afetuosa de bom dia, ela será um bônus. 

Ser chamado de egoísta é um termo pejorativo, infelizmente. Talvez o que mais assuste as pessoas é imaginar um mundo onde elas terão que tomar conta de si mesmas, sem necessariamente esperar que alguém o faça por você. 

O compartilhar de nossas vidas em relacionamentos

Viva sua vida. Saiba o que te faz feliz, o que você gosta. Faça seus planos, tenha suas metas, seus desafios, e se você quiser, chame pessoas para fazer parte disso e aceite um não delas sem problema algum, pois no final do dia o seu planejamento continua sendo seu.

E quem sabe assim, possamos aprender a cada dia que somos os responsáveis pelo rumo das nossas vidas. E as pessoas ao nosso redor deveriam ser um grande bônus com quem queremos estar juntos, passar bons momentos e compartilhar parte das nossas vidas. Assim são os relacionamentos mais verdadeiros.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 220, junho de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Gostar de si é a base do cuidado que podemos dedicar a nós mesmos e aos outros. Aprenda a amar e a admirar quem você é de verdade.



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*