Gratidão sempre é coisa séria

  • TEXTO Thiago Albuquerque
  • DATA: 13/11/2019

Se eu começasse, hoje, uma lista de conselhos para se ter uma vida boa, eu colocaria o exercício da gratidão sempre como o mais importante a ser dado.

Apesar do uso extensivo da palavra, já aparentemente desgastada, usada em hashtags, tatuagens e estampas de camiseta, ser verdadeiramente grato é um exercício duro a ser praticado. A expressão gratidão sempre, ou as variações “grato” e “agradecido”, entraram na moda, também numa tentativa de se evitar a palavra obrigado. Essa substituição faz bastante sentido.

Amo etimologia, sempre vou buscar a origem das palavras, pois acredito firmemente que, apesar de muito o que dizemos hoje, as palavras ainda carregam o poder e intenção presentes na sua raiz. É fácil entender isso se você está infeliz no trabalho, sentindo-se forçado a fazer algo que detesta e sem alternativas possíveis. Mas, é importante dizer: a palavra “trabalho” origina-se do latim tripalium (três paus) que remete a um instrumento de tortura aos escravos. Ou seja, a palavra trabalho tem, na sua essência, o sofrimento diante de uma atividade obrigatória como um sinônimo possível. 

Gratidão sempre. Sempre

gratidão sempre

Portanto, voltando ao tema da gratidão, apesar de não ter conseguido substituir por completo o uso do obrigado pela palavra grato, eu entendo que é mais positivo sentir-se agraciado pela bondade de alguém do que sentir-se obrigado a retribuir. Vai além da semântica ou do mais apropriado uso das palavras. O exercício da gratidão sempre, a que me refiro nesse conselho, se aproxima muito mais da melhoria de qualidade de vida, de um exercício que pode alimentar um olhar mais espiritualizado diante de tudo que já temos.

Vivemos em um tempo extremamente privilegiado e lembrar de agradecer quando o básico não nos falta é difícil. Até porque existe ao nosso redor incontáveis propagandas nos atacando por todos os lados, utilizando de todos os recursos possíveis para nos incentivar a ter mais, a olhar tudo o que não temos. Logo, é mais fácil cair na tentação de desejar o novo do que na gratidão ao que nos é presente. Mas a gratidão nos faz perceber que o que temos é suficiente, não é possível ser verdadeiramente grato pelo alimento que temos à mesa e ao mesmo tempo querer outro sabor. A gratidão assume o posto maior, afinal, a gratidão sempre faz-se essencial.

Entre das descobertas de ser grato

escrevendo sobre gratidão sempre

Encontrei, na casa da minha sogra, entre caixas onde ficaram guardadas miudezas da nossa antiga vida no Brasil, um caderno. Em meados de 2014, eu colocava no papel, diariamente, 5 coisas pelas quais eu era grato. Foi emocionante ler o quanto já agradeci por saber enxergar o valor de tantas pessoas do bem na minha vida. Exercitei a gratidão com mais habilidade do que tenho hoje, e posso afirmar sem dúvidas que a gratidão é uma prática. Há filmes que falam sobre gratidão e afeto.

Desde então peguei o mesmo caderno, ainda recheado com muitas folhas em branco, e comecei a escrever sem parar, as pequenas coisas que passam desapercebidas, mas que dão significado aos meus dias. Agradeci ao corpo saudável que tenho, agradeci as dores no braço de tanto segurar minha filha que cresce forte. Agradeci emocionado por ter conseguido organizar minha vida para passar o máximo de tempo com mulher e filha. Por poder presenciar os primeiros passos, as primeiras palavras, a primeira piscina, o primeiro tombo. Gratidão sempre e intensa por conseguir me sensibilizar e aprender com o olhar recente no mundo de uma criança que se maravilha com tudo. Gratidão por reencontrar velhos amigos, por sentir saudade de novos amigos, que já fazem parte da nossa história, e que estão longe de nós.

 A gratidão me encheu de ânimo, me arrebatou com riqueza e paz de espírito. Me fez sentir mais saudades dos meus pais, irmãs, irmão, cunhada, sobrinha. Gratidão me fez olhar novamente para o mundo, olhar novamente para mim mesmo. Gratidão hoje, amanhã. Gratidão sempre.

O que mais é preciso além de ser verdadeiramente grato?


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 243, maio de 2022 COMPRAR

COMENTÁRIOS


TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*