Fim de tarde

  • TEXTO Jorge Massarolo
  • DATA: 03/09/2020

Amanhã cedinho o Sol vai nos acordar com seus raios entrando pela janela do quarto. Será um lindo dia com um belo fim de tarde. Basta saber apreciá-lo

 

O fim de tarde tem algo a mais no ar. Uma confraternização involuntária, uma cumplicidade de termos vencido mais uma etapa de nossas vidas. É quando o Sol encerra o expediente e passa o bastão para à noite, que chega devagar, sonolenta. Uma troca de turno marcada por um show de cores no céu, calmaria na natureza e, inegavelmente, uma mudança de hábitos.

É quando o ritmo enlouquecido do dia cede à serenidade da noite. É quando os amigos saem do escritório para o happy hour no bar da esquina, o operário deixa seu cansaço com o uniforme na fábrica.

ASSINE A VIDA SIMPLES

É então que o comerciante fecha a loja e suspira por mais um dia vencido, ou vendido. O estudante sai apressado do trabalho e corre para o segundo turno na escola. O calor do dia cede lugar ao frescor da noite. O agasalho que estava na mochila sobe para o corpo.

Pôr do sol

Gosto de ver a coreografia de passos pelas estreitas calçadas. Do mosaico colorido criado pelas sombrinhas e guarda-chuvas. Mas também das pessoas encolhidas em suas roupas pesadas no frio. Dos namorados que se encontram carinhosamente e planejam uma noite amorosa. Da garota que começa a marcar seu programa na esquina.

As lanternas dos carros lentamente traçam um riscado vermelho e branco na noite. Motoristas encaram o trânsito confuso e lento com paciência, pois sabem que é o último obstáculo a vencer em um dia que teve muitos. O passageiro, espremido dentro de um ônibus, anseia estar no aconchego da sua família.

ASSINE A VIDA SIMPLES

Da janela, marido e mulher observam o movimento da rua. A vizinha larga seus afazeres para conversar com a comadre. Em algum lugar, alguém está sentado observando as pessoas passarem enquanto os últimos raios de sol perdem força atrás da montanha.

As cores bonitas do pôr do sol no horizonte, contudo, também trazem melancolia, nostalgia, lembranças de algo ou alguém de algum tempo que foi engolido pelo tempo. É o fim de um ciclo. É um dia, que também cansado, se recolhe para renascer. Amanhã cedinho o Sol vai nos acordar com seus raios entrando pela janela do quarto. Será um lindo dia com um belo fim de tarde. Então, basta saber apreciá-lo.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 223, setembro de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Colocar atenção no que é essencial em nossa existência é um caminho para viver de forma mais íntegra e verdadeira. Saiba reconhecer o que é mais valioso para você



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*