Faça as pazes com você mesmo

  • TEXTO Júlia Groppo
  • DATA: 28/04/2020

Faça as pazes com quem você já foi. Deixe as suas versões do passado no lugar que as pertence, mas aprenda, sobretudo, a ser grato por cada uma delas

 

É comum nos pegarmos olhando para o passado e questionando algumas de nossas decisões. Batemos no peito para dizer que, hoje, teríamos tomado outros caminhos. Fácil, não é mesmo? Afinal, estamos mais velhos, mais maduros e mais conscientes. Mas se você, assim como eu, sabe que tenta fazer o possível (às vezes até o impossível) dentro das condições que nos estão disponíveis agora, aprenda a relaxar e a confiar: você está dando o seu melhor.

ASSINE A VIDA SIMPLES

Digo isso porque questionar algumas das minhas versões do passado já foi um terrível hábito na minha vida. Sempre pensava que eu devia ter começado ou terminado algo antes, que devia ter feito isso ou aquilo. Mas essas eram apenas tentativas injustas e frustradas de cobrar da minha versão mais nova e imatura coisas que hoje só tenho consciência justamente por tudo o que vivi desde então. Inclusive pelos tropeços e rasteiras que me esperavam pelo caminho.

Deixe ir. O passado tem o seu lugar

Deixar o passado ir embora e entender que ele tem o lugar dele é peça-chave para seguirmos adiante. Respeitar as nossas falhas e fragilidades da época também. Quando aprendi a me perdoar, foi como se a Júlia de agora olhasse para aquela do passado e, juntas, elas soubessem que estão fazendo o melhor pela do futuro. A de antes, na verdade, já fez a sua parte; e a de agora está aqui, vivendo o que é seu por direito de tempo e espaço. Elas aprendem uma com a outra, mas não se atrapalham mais.

ASSINE A VIDA SIMPLES

Faça as pazes com quem você já foi. Deixe as suas versões do passado no lugar que as pertence, mas aprenda, sobretudo, a ser grato por cada uma delas, pois quem você é hoje é fruto de tudo aquilo que elas viveram. E você, mais do que ninguém, sabe de cada partezinha dessa história (as boas e as nem tanto!).

E então, siga em frente, pois o que mais importa nesse momento é quem você está sendo agora.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 221, julho de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Ao olhar para nossas emoções, compreendemos que a estabilidade é um empenho permanente. O caminho para harmonia surge quando estamos bem com nós mesmos.



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*