(Re)inventor da lâmpada

  • DATA: 12/05/2015

Thomas Edison tem um grande fã em Uberaba, Minas Gerais: o mecânico de carros Alfredo Moser. Em comum com o inventor americano, o mineiro também criou a lâmpada, mas de um jeito diferente. Feita de garrafa PET com água e uma colher de cloro, a Lâmpada de Moser ilumina a casa sem utilizar energia elétrica, porque funciona como uma lente, refletindo a luz que vem do Sol. Em 2011, esse modelo de tecnologia verde chamou a atenção da ONG My Shelter Foundation, que passou a instalar essas lâmpadas em regiões carentes das Filipinas e de outros 15 países. A invenção havia surgido 10 anos antes, em 2001. Alfredo conta que teve uma conversa marcante com Chico Xavier nas ruas do bairro. ?Quando nos despedimos, o Chico colocou a mão no meu ombro e disse que eu teria uma luz na minha vida, e que essa luz também seria de muita gente?. Foi naquele ano que, inspirado em uma ideia que não lhe saía da cabeça, Moser inventou a lâmpada. ?Em 1974, eu trabalhava em Brasília e meu chefe me disse que uma garrafa de vidro com água poderia fazer o capim pegar fogo, graças à luz do Sol. Eu nunca me esqueci daquilo?. Moser estava em sua oficina quando viu um buraco na telha e não tinha como consertar. Aí, pegou uma garrafa de plástico, cheia de água, para cobrir a falha. ?Parecia mágica, a garagem ficou iluminada?, conta. Moser aperfeiçoou a criação incluindo uma colher de cloro, para deixar a água sempre cristalina, e utilizou uma garrafa de dois litros, aumentando a iluminação. Em pouco tempo, os vizinhos e até lojas do bairro já estavam com o acessório instalado.  Ele só funciona durante o dia, mas é suficiente para economizar até 30% na conta de luz ? além de reutilizar garrafas que iriam para o lixo. Em países pobres, onde sequer há eletricidade, é uma ajuda ainda maior. Por isso, até 2015, a My Shelter espera beneficiar 1 milhão de pessoas. No Brasil, Moser tentou levar o projeto adiante, mas nenhuma parceria apareceu.  A invenção também não o fez rico, mas ele se diz agradecido pelo que ganhou. ?Meu pai morreu aos 90 anos orgulhoso de mim. E já até chorei de ver que a lâmpada ajudou pessoas de tantos países. Meu sonho é viajar e agradecer o pessoal que levou a ideia pra frente. Não quero ficar rico, quero colaborar

?Já chorei em ver que a lâmpada ajudou tanta gente. Não quero ficar rico, quero colaborar? ? Alfredo Moser


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 235, setembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*