O tango como terapia

  • 116
  • 0

O que é psicotango?

É a união dos benefícios do tango (o ritual da dança e seu abraço) e da psicologia para se chegar à essência das pessoas. Nessa terapia, ela é usada para aliviar os sintomas de diversas patologias. Também conversamos com o paciente, mas a maior parte do trabalho é corporal. O tango é revelador do inconsciente. Conduzido de forma correta, torna-se um excelente estímulo à mudança, porque melhora a autoestima e favorece a criatividade.

Quais são os benefícios?

Os resultados são mais diretos, porque palavras às vezes enganam ou demoram para ser expressas, mas o corpo não mente. Ao dançar, a pessoa recria parte de sua vida. Mostra, por exemplo, se é tímida, com a cabeça baixa ou quando se deixa entregar no abraço. A gestualidade é interpretada e trabalhamos exercícios para que cada um tenha consciência do que mudar.

Há casos de sucesso comprovados?

Vários. No trabalho feito em hospitais, percebemos uma grande melhora na relação entre pacientes, enfermeiros e médicos. Isso porque eles bailam juntos nas sessões, inclusive com familiares e acompanhantes. Além de aliviar os sintomas, a dança ajuda a tratar o estresse dos profissionais de saúde. É também uma ferramenta terapêutica com efeitos curativos que favorece o sentimento de pertencimento ao grupo.

O tango ainda tem espaço hoje?

Sim. Com tanta virtualidade, falta contato físico. E o tango aproxima as pessoas, proporciona uma maior conexão, de pele, no abraço fechado em que dois corpos dançam como um.  É também uma atividade que se diferencia por ser mais introspectiva.

“O tango é revelador do inconsciente. Conduzido corretamente, torna-se um excelente estímulo à mudança” – Ignacio Cobo


VEJA TAMBÉM



TAMBÉM QUERO COMENTAR

Campos obrigatórios*