Serviço gratuito de escuta e acolhimento

  • TEXTO Lucas Vasconcellos
  • DATA: 15/02/2021

Ao falar, conseguimos encontrar soluções para as dores que nos afligem. O serviço Experiência e Escuta se propõe a ouvir quem precisa sem cobrar por isso

Era março de 2020 quando, aqui no Brasil, fomos postos para ficar dentro de casa devido a pandemia causada pelo novo coronavírus. A princípio, a preocupação geral era com a saúde física: o que é o vírus? Como ele age? É perigoso? Mas logo os efeitos do isolamento social começaram a aparecer na saúde mental: ansiedade, crises de pânico, quadros depressivos… Afinal, vivíamos – e ainda estamos, um ano depois – um luto pela perda repentina de nossa rotina, somado à morte constante de pessoas.

Às vezes, tudo que queremos é falar e ser efetivamente ouvidos. Pensando nisso, a consultoria de desenvolvimento humano Relações Simplificadas lançou o Experiência e Escuta, serviço gratuito e on-line onde, por meia hora, pode-se conversar com psicólogos e psicanalistas voluntários. Apenas no ano passado, 4460 pessoas foram atendidas no projeto (não é uma terapia).

O psicólogo, psicanalista e membro do  Departamento Formação em Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, de São Paulo, Francisco Nogueira, conta que a oportunidade de falar com alguém que sabe fazer uma escuta humana, ao mesmo tempo técnica e profissional, nos coloca em um processo de elaboração dos nossos sofrimentos. Quando falamos, diz ele, construímos um sentido para aquilo que estamos vivenciando, pois precisamos organizar os nossos conteúdos internos de maneira que o outro seja capaz de compreender. Este processo muitas vezes traz alívio e nos ajuda a lançar luz sobre as nossas questões.

“O  fato de alguém nos ouvir com atenção verdadeira reforça a percepção de reconhecimento de nossa humanidade, o que favorece a autoestima. Tudo isso produz alívio e disponibilidade mental para pensarmos em soluções e encaminhamentos para os nossos problemas. Como sempre dizemos na Experiência de Escuta, o nosso trabalho não tem uma intenção terapêutica, mas sabemos que pode ter efeitos terapêutico”, diz.

Fale mais

Buscar ajuda para conversar não precisa ser sinônimo de sofrimento psíquico, como esclarece Francisco. Contar com alguém disposto a ouvir o que temos a dizer é uma atividade que beneficia na ressignificação das nossas dores e superação de traumas, mesmo os mais triviais do dia a dia.

“Conhecer o nosso mundo interno e mapear os nossos sentimentos é importante para acessarmos os nossos melhores recursos e vivermos mais plenamente e felizes. Mas existem momentos na nossa vida em que buscar ajuda se torna imprescindível. Vale a pena observar se as suas questões estão se tornando impeditivos para uma vida normal ou quando o sofrimento é tamanho que a gente não consegue manter os compromissos profissionais ou as atividades pessoais que sempre foram importantes e normais em nosso cotidiano”, conclui o especialista.


Para agendar sua vídeo-chamada com um profissional, acesse: www.experienciadeescuta.com.br


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 229, março de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*