Para trabalhar e viver com liberdade

  • TEXTO Débora Zanelato
  • FOTOGRAFIA Christin Hume | Unsplash
  • DATA: 22/03/2019

Ex-funcionário público encontrou no mercado digital uma forma de levar a vida que sempre sonhou, trabalhando na hora e no lugar que quiser. E criou um movimento para ensinar seus aprendizados

Hoje, o empreendedor digital Fagner Borges mora onde deseja e faz o que quer. Mas nem sempre foi assim. Apaixonado por esportes radicais, abandonou a vida de funcionário público em Goiás, da qual não gostava, e criou o Movimento Freesider, um método que ensina as pessoas que se sentem sufocadas pela rotina a terem mais liberdade financeira, de tempo e de mobilidade. E, claro, a serem mais felizes. Em seu novo livro A Jornada da Liberdade (Gente), o autor fala sobre como podemos ser donos da nossa própria vida.

O que é o Movimento Freesider?
É uma iniciativa que ajuda as pessoas a ter um estilo de vida com mais liberdade de tempo, dinheiro e mobilidade. Ele ensina técnicas de marketing digital e estratégias, para gerar renda pela internet, e compartilha conteúdos sobre desenvolvimento pessoal, para que as pessoas consigam mudar a forma de encarar a vida.


Muitas pessoas estão acostumadas a relacionar dedicação e resultado a sacrifícios. Assim, para termos uma vida digna, muitas vezes, parece que estamos sempre abrindo mão de algo. O que você pensa sobre isso?
Às vezes, é preciso fazer escolhas. Mas vejo um culto exacerbado ao trabalho duro, onde alguns até acham bonito falar que trabalham demais. Eu penso que o ideal é conciliar prazer e trabalho, porque, quando você sempre abre mão do que gosta e da convivência social, dificulta a própria consistência.

O descanso ativa a criatividade e libera o cérebro para trabalhar e evitar o sofrimento. E, se você vive se privando, acaba associando o trabalho a algo negativo, ganhando um inimigo interno que luta contra você e procrastina. Daí fica difícil manter o foco e a determinação. Intercalar momentos de prazer e de sacrifício renova a energia e ajuda a manter a consistência e o foco ao longo da vida, no longo prazo.

E o medo que aparece ao tentarmos nos olhar de um novo jeito?
Existe apenas uma coisa capaz de acabar com o medo: conhecimento. É necessário experimentar, arriscar e perceber que, se errar, o mundo não acaba. A melhor forma de domar o medo de empreender é dedicar três horas por dia ao novo negócio, em paralelo à atividade atual. Com o tempo, isso vai deixar de ser um bicho de sete cabeças e se tornar algo do cotidiano.


O que são crenças limitantes?
São aquelas que impedem nosso crescimento por nos fazer acreditar que algo é impossível ou muito difícil. Por exemplo: se você deseja ter muito dinheiro, mas a vida inteira ouviu que dinheiro não traz felicidade, seu subconsciente entra em conflito e pode lhe fazer adiar um projeto ou recusar uma boa oportunidade. Enquanto não mudar suas crenças através de exemplos e novas experiências, terá dificuldade para conquistar objetivos

 

Se você está infeliz hoje com o quanto ganha
ou com a vida que tem, a melhor forma de
se sentir mais pleno e realizado é aumentando
a sua contribuição com o mundo

 

Você diz que as decisões precisam se basear nos nossos valores. Como nos conectarmos a eles?
É preciso fazer uma autoanálise e entender como normalmente você toma decisões. Entre trabalho e família, por exemplo, qual é a prioridade para você? Essa decisão o incomoda? Ao responder essas perguntas você saberá qual valor é mais forte para você.


Como nosso relacionamento com os outros tem ligação com viver uma vida mais plena e realizada?
Nós somos seres sociais por natureza. Viver em  comunidade faz parte da nossa essência. Até mesmo ganhar dinheiro tem a ver com as nossas conexões. Se observar as relações comerciais, vai perceber que tudo não passa de troca de valores. E, por valor, quero dizer ajudar o próximo. Você ganha proporcionalmente ao quanto contribui com a vida das outras pessoas. O trabalho pode ser o mesmo, mas a importância dada a ele é de cada um. Logo, o valor também. Então, para ganhar mais e ter uma vida melhor, você tem duas opções: aumentar o valor gerado para uma pessoa ou ajudar mais pessoas. Por isso, se você está infeliz hoje com o quanto ganha ou com a vida que tem, a melhor forma de se sentir mais realizado é aumentando a sua contribuição com o mundo.


Muita gente acha que dinheiro 
e felicidade não podem caminhar juntos. Como harmonizar isso? Dizer que dinheiro não traz felicidade é o mesmo que dizer que pobreza traz. Ou seja, não faz sentido. O livro Felicidade Autêntica (Objetiva) mostra muito bem que ter ou não ter dinheiro não interfere em você ser feliz. Então escolha ter dinheiro e pense nas pessoas que você pode ajudar e na saúde e segurança de quem ama.


Qual é o problema em 
sermos sempre multitarefas?
Nosso cérebro gasta o dobro do tempo para executar duas atividades simultâneas do que gastaria para executá-las uma a uma. Começou alguma atividade? Termine antes de começar outra.


E como aumentar a produtividade?
A grande chave para isso é usar o Princípio de Pareto, o qual diz que 20% dos esforços geram 80% dos resultados. É simples. Monitore a sua rotina por sete dias, anotando tudo o que faz, e classifique as atividades em três níveis: Importante (aquelas que só você pode executar), Delegar (aquelas que outra pessoa faz melhor ou mais barato que você – e, assim, você terá mais tempo para se concentrar no que te gera mais resultado) e Descartar (aquelas que não têm razão de existir, como alguns grupos de WhatsApp que não acrescentam em nada na sua vida).

 

Você diz que o fracasso é uma etapa, e não o final. Como podemos superar o medo de fracassar?
Desde pequenos somos treinados a ter medo de errar, afinal, errar tira ponto na média e faz a gente ser reprovado. Só que o nosso cérebro aprende por tentativa e erro. É claro que errar é ruim, mas é preciso. O problema não é errar, é insistir no erro. Uma forma de superar o medo é pensar no pior cenário, caso tudo dê errado. E depois traçar o plano B, C e D para evitar que isso aconteça. Você vai ver que nada será pior do que apenas sobreviver a uma vida que odiamos. O melhor da vida é a jornada, com erros e acertos.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 213, novembro de 2019 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Como ter mais tempo: É possível se relacionar com os afazeres que lotam a agenda com menos ansiedade e mais equilíbrio e pausa na rotina



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*