Maure Pessanha: empreendedora social

  • TEXTO Rodrigo V. Cunha
  • DATA: 30/10/2021

Neste episódio da série Humanos de Negócios, Rodrigo V. Cunha conta o que aprendeu com a empreendedora social Maure Pessanha.

No extremo sul da cidade de São Paulo existe um bairro pouco povoado por ser majoritariamente coberto por mananciais e uma vegetação remanescente da Mata Atlântica, Parelheiros. Foi esse o local escolhido pela Artemisia para uma reunião de time em 2008. Fundada quatro anos antes, por uma norte-americana de apenas 23 anos, chamada Kelly Michel, hoje CEO da Potencia Ventures, a Artemisia foi pioneira no Brasil: nasceu com a proposta de apoiar o desenvolvimento de empreendedores de 18 a 24 anos, prioritariamente de baixa renda.

Entre eles, já estavam a Feira Preta, de Adriana Barbosa, também entrevistada neste livro; a Sementes da Paz, voltada ao comércio justo de produtos orgânicos; e o Morada da Floresta, de redução de impactos ambientais. Maure Pessanha juntou-se ao time um ano antes desse encontro e se lembra bem dessa reunião de aprendizados, avaliação de resultados e planejamento estratégico.

Diz, Maure Pessanha:

“Nós estávamos no Centro Paulus, em Parelheiros, pensando e fazendo um balanço. Refletíamos sobre o que tínhamos aprendido com esses empreendedores, quando surgiu a provocação da escala e de como promover negócios que resolvam problemas sociais. A gente sentia que precisava ter um fluxo de crescimento de receita um pouco mais previsível para o empreendedor, para que ele conseguisse se planejar para crescer.

Outro ponto era como atrair talentos. Eu pensava nos meus amigos, que nunca viriam trabalhar num negócio assim, a não ser que tivessem alguma participação societária. Então, veio o momento ‘eureka’: em vez de desenvolver iniciativas sociais com viabilidade econômica, por que não desenvolver modelos de negócios em que os produtos e serviços ajudem a resolver problemas sociais?”

Inspirando confiança

Ainda hoje, mais de uma década depois daquela reunião, o termo “negócio social” não é amplamente conhecido. Embora tenha surgido na década de 1970 com algumas iniciativas empreendedoras com pegada mais social, tanto nos Estados Unidos quanto na Europa. No ano 2000, obras como A Riqueza na Base da Pirâmide , de C.K. Prahalad, e O Capitalismo na Encruzilhada , de Stuart L. Hart, ajudaram a fortalecer o conceito, que se tornou mais popular quando o economista bengalês Muhammad Yunus.

Vencedor do Prêmio Nobel da Paz, em 2006, pelo trabalho desenvolvido no Grameen Bank, um banco de microcrédito voltado às pessoas mais pobres de Bangladesh.

Maure, uma mulher com voz calma, doce e que inspira confiança, só começou a prestar atenção no papel e no poder dos diversos atores sociais ao passar um semestre em Harvard, nos Estados Unidos. Entre 2004 e 2005, ela esteve como aluna especial de um programa do governo brasileiro e do David Rockefeller Center for Latin American Studies.

O programa era chamado Building capacity for social progress (Construindo capacidades para impacto social), cuja proposta era justamente desenvolver lideranças sociais. A vaga era muito disputada e ela se sobressaiu não por trabalhar em uma grande multinacional, mas pelo comprometimento que tinha com a transformação social. Uma paixão que surgiu logo que entrou na Universidade de São Paulo (USP), aos 17 anos.

 Sobre o livro

Quem são aqueles que estão hoje à frente do movimento de transformação da economia no mundo? Quais foram as escolhas feitas em suas vidas e trajetórias profissionais que os colocaram nessa jornada? Suas referências? Lembranças que trazem da infância e que moldam o que eles são hoje? Afinal, quem são os humanos por trás dos homens e mulheres que conhecemos de revistas, livros, palestras e cases de negócios? O jornalista Rodrigo V. Cunha relata as trajetórias percorridas por 27 homens e mulheres — líderes, empreendedores, inovadores e questionadores —, cujas histórias foram captadas em conversas e entrevistas com o autor.


Para adquirir o livro ou saber mais sobre o projeto acesse  Humanos de Negócios. A Editora Voo fez um cupom de desconto para os leitores de Vida Simples. Entretanto, comprando o livro pelo site da editora e usando o cupom vidasimples, os leitores têm direito a 10% de desconto no livro.


A série Humanos de Negócios, por Rodrigo V. Cunha, é publicada quinzenalmente aos sábados.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 238, dezembro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*