Documentário discute a potência que a maternidade traz

  • TEXTO Débora Zanelato
  • FOTOGRAFIA Omar Lopez | Unsplash
  • DATA: 19/03/2019

Filme Força Matriz fala sobre como a maternidade pode revelar as potencialidades da mulher e sobre como ela pode encontrar um novo lugar no mundo

“Ter um filho é uma mudança de estado existencial”, diz uma mãe no documentário Força Matriz. “Nunca imaginei que alguém iria iluminar tantas esquinas em mim”.

A maternidade, para mulher, é provavelmente o momento mais transformador da vida. Por mais que cada uma tenha – ou não – se preparado para vivenciar esse momento, o que um filho traz nessa chegada é sempre mais do que a gente imagina. E isso causa mudanças internas muito profundas e por vezes a necessidade de um rearranjo de quem éramos e do que queremos fazer no mundo.

O documentário Força Matriz, idealizado por Rita Monte,  coach de mulheres e mães em transicão, e dirigido por Joana Blumenschein, trata desse tema e será exibido no sábado dia 23 de março, gratuitamente, na Unibes Cultural, em São Paulo, seguido por um debate com convidados que falarão sobre o tema. As inscrições são feitas através do link: www.ritamonte.com/matriz.

No filme, mulheres contam sobre seu processo de redescoberta de si mesmas e de reencontro com sua potência a partir da maternidade, guiadas por um processo de autoconhecimento elaborado por Rita Monte. “Se não damos vazão à nossa potência de expressão, a vida fica muito frustrante”, diz Rita. “[A maternidade] é maior força que existe na humanidade”.

Após a projeção do filme, Rita Monte e Joana Blumenschein debatem essa nova maternidade, questionam a invisibilidade da mãe na sociedade,  os estereótipos que existem ainda hoje e ressaltam a importância do papel mais importante que existe: o de criar outro ser humano.

O filme Força Matriz coloca a mulher nesse papel de relevância e traz um olhar sensível sobre as necessidades e vontades dessa mulher que se tornou mãe. E mais: eleva a mãe para um lugar de potência, e não de fragilidade. De potencialidade, e não de limitações. É um valioso e necessário convite para discutirmos o que é o maternar no nosso tempo.

Convidados para o debate:

Natasha Santos
Mulher, negra, criadora de conteúdo na página Meu Mundo Diverso. Atual executiva de uma multinacional, responsável pela gestão dos programas de diversidade para a companhia na América Latina. Adora o desafio de quebrar paradigmas e mostrar que o mundo é melhor quando todos caminham juntos.

Juliana Mariz
Criadora do Co.Madre, uma rede que desenvolve e apoio projetos que acolham mães. Casada e mãe de duas filhas, Maria Clara,  9 anos, e Elisa,  6 anos, viu na maternidade a necessidade de se conectar com outras mulheres na mesma situação que ela: mães recentes com vontade de ressignificar a maternidade.

Leonardo Piamonte,
Dono do blog Paternidade sem Frescura e co-criador do podcast Balaio de Pais, Leonardo é pai de três filhos. Psicólogo da Universidad Konrad Lorenz, de Bogotá, na Colombia. Mora no Brasil há 12 anos, onde trabalha como psicólogo focado essencialmente nas questões relacionadas à paternidade, futuros pais e relações familiares.



Força Matriz – Exibição do documentário e roda de conversa
Quando:
23 de março de 2019, às 18h30
Onde: Unibes Cultural | Rua Oscar Freire, 2500, São Paulo – ao lado da estação Sumaré do metrô.
Evento gratuito, inscrição no www.ritamonte.com/matriz

 


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 209, julho de 2019 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Entenda como desapegar dos excessos e ficar só com o que é essencial abrem espaço para uma vida com mais significado



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*