HORIZONTES – A chuva sobre nós

  • TEXTO IZABEL DUVA RAPOPORT
  • FOTOGRAFIA DANIEL CASTELLANO
  • DATA: 17/11/2020

No meio urbano, fotógrafo registra a beleza e a poesia do cotidiano que só um dia chuvoso pode trazer

O primeiro dia de Daniel Castellano como fotógrafo profissional, em um jornal de Curitiba, foi de muita chuva. E as suas pautas eram todas na rua. “A tempestade caía forte sobre a cidade e, em vez de guardar a câmera, saí em busca de imagens daqueles dias melancólicos e cheios de vida”, lembra ele, que, na época, não imaginava que criaria sua série Atemporal.

São fotografias únicas, tiradas ao longo dos últimos 14 anos, também em Montevidéu e Londres, e que, ao serem colocadas lado a lado, se conectam mostrando momentos de emoção, de tédio e de surpresas típicas das chuvas que caem nas cidades – fenômeno cada vez mais raro. “Neste ano atípico, além da pandemia, estamos sofrendo a pior estiagem dos últimos 50 anos, com rodízio de abastecimento de água devido à falta de chuvas.

Justamente a chuva, que era tão comum, agora é um evento de comemoração, quando as pessoas veem, na água, um alento e uma esperança”, acredita Daniel, com o desejo de alertar sobre a crise climática.

E o caminho para isso não podia ser melhor: as fotografias trazem momentos genuínos, simples e cotidianos, que reconhecemos bem. “Todo mundo já experimentou tomar chuva ao menos uma vez na vida.” Que essa memória possa ser revivida e celebrada por todos nós .


DANIEL CASTELLANO é um fotógrafo de rua que não reclama da chuva. Para saber mais: @dicastellano


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 225, novembro de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Quando entendemos o que nos move, fica mais fácil atravessar períodos difíceis e realizar aquilo que se deseja verdadeiramente



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*