Um vírus vai nos obrigar a reinventar o mundo

  • Tiago Belotte

Muitos comportamentos e paradigmas estão se transformando completamente nessa jornada. Lugares poluídos, limpos pela primeira vez em anos ou décadas

 

Atenção, permaneçam nas suas casas. Isso não é um treinamento. Pena que não seja mesmo, mas não deixa de ser um momento de aprendizado. Individual e coletivo. Para a vida, para as relações, os negócios e o planeta. Não sabemos o que nos aguarda do outro lado desse túnel, ao fim dessa jornada, mas podemos ter certeza que ele nos levará a um outro lugar. Nada vai, e nem deve, ser como antes.

Descobrimos há pouco a lógica da aprendizagem continuada, que não dura apenas um período da vida, mas sim a vida toda. Agora estamos descobrindo uma outra versão dela, a imersão intensiva. Quando alguém poderia imaginar que todo o mundo estaria matriculado na mesma aula. Daqui até o encerramento desse ciclo, você pode escolher o que e como aprender. Porque aprender alguma coisa não é opcional, é condição de existência e sobrevivência. São muitas as possibilidades.

ASSINE A VIDA SIMPLES

Se o negócio não tem fôlego financeiro para um mês ou a falta de trabalho já é uma possível realidade, como reinventar o que vendemos, descobrir outras oportunidades ou respirar fundo e planejar um novo caminho, em meio ao caos e às incertezas? Se não sabíamos trabalhar remotamente, porque temos um problema de comunicação – 70% das empresas tem – como nos alinhar, rever o tom e compreender que o óbvio não existe? Aliás, se existisse, os jornais não precisariam ficar repetindo toda hora o que é o coronavírus e como prevenir seu contágio.

Mudanças estão acontecendo

Se estávamos afastados da vida doméstica, ela agora se impôs, com novos e antigos desafios. Como conviver e partilhar o tempo e o espaço por um longo período do dia? Como demonstrar afeto sem o auxílio luxuoso do abraço, do beijo e do toque? Do lado de dentro, o aprendizado é descobrir o que importa de verdade, projetar cenários para o que nos aguarda e nos preparamos para o amanhã, mantendo os pés no hoje, com presença e serenidade.

Muitos comportamentos e paradigmas estão se transformando completamente nessa jornada. Lugares poluídos, limpos pela primeira vez em anos ou décadas. Tecnologias que enfrentavam dificuldades na sua adoção, sendo absorvidas rapidamente por todos. Redes de colaboração e compartilhamento surgindo e se aperfeiçoando a cada minuto.

Um vírus vai nos obrigar a reinventar o mundo, de dentro e de fora.

Uma amiga me contou que criou um caderno para anotar os aprendizados. Acho que vou seguir por esse mesmo caminho. Porque passado esse período, no fim do túnel, é o que de melhor vamos levar. Isso não é um treinamento. É uma jornada de muito aprendizado. E vai passar.

 

Tiago Belotte é fundador e curador de conhecimento no CoolHow – laboratório de educação corporativa que auxilia pessoas e negócios a se conectarem com as novas habilidades da Nova Economia. É também professor de pesquisa e análise de tendências na PUC Minas  e no Uni-BH. Seu instagram é @tiago_belotte. Escreve nesta coluna quinzenalmente, aos sábados.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 223, setembro de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Colocar atenção no que é essencial em nossa existência é um caminho para viver de forma mais íntegra e verdadeira. Saiba reconhecer o que é mais valioso para você



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*