Trate a sua realidade com mais carinho

  • Juliana De Mari
  • FOTOGRAFIA: Zoe Deal | Unsplash

Já reparou o quanto de energia você gasta problematizando a vida? Eu sei que problemas existem, mas será que você está lidando com o tamanho que eles realmente têm e o que você pode fazer agora para resolvê-los ou com infindáveis caixinhas que vão se abrindo a partir deles e deixando a sua cabeça supercarregada de negatividade? Quando a função crítica está rodando de maneira exacerbada acaba alavancando o nosso julgamento mais rápido (e, muitas vezes, raso) a respeito de um tudo. Essa dinâmica, que parece positiva porque passa pela capacidade de se indignar e se posicionar, quando em excesso, é só um reflexo das nossas mais altas exigências.

Por que o mundo não funciona do jeito como a gente acha que seria o certo, afinal? Infelizmente, a realidade é o que ela é – não o que a gente gostaria que ela fosse. Então, por mais que possamos reclamar de situações e pessoas, se insistimos em problematizar qualquer coisa, vamos continuar em frustração por nada, sabe assim?

Ser capaz de identificar problemas com clareza e agir para buscar soluções para resolvê-los é algo muito, muito bom – se você fizer isso com prontidão para dar conta da sua vida, em relação às suas questões práticas e existenciais e às causas que enchem seu coração de alegria. Quando isso vira interferência na vida dos outros e no modo como escolhem fazer o que querem e precisam, o que parece legal e eficiente pode virar sintoma de intromissão e falta de compaixão.

Não gaste tempo problematizando tanto questões da vida em geral. Use seus dias de uma forma mais íntegra, colocando intenção para realmente viver o que está sendo oferecido a você a cada instante. Não seja uma eterna emburrada com a realidade! Esteja aqui, agora, presente com consciência – isso inclui educar sua mente para a observação, a contemplação e a gratidão. Espalhe as mensagens que acredita serem importantes porque fazem você se sentir bem. Há muitas maneiras de ser assertiva sem ser destrutiva.

Prefira o simples: o que está incomodando é algo que desvia ou aproxima você de se sentir como gostaria? Ajuste seu foco interno, busque disposição para mexer e remexer na sua forma de pensar e fazer as coisas em vez de usar suas lentes para acinzentar o que está do lado de fora e não faz parte daquilo que você pode (ou deve) controlar. Tem coisa que consome e não tem a menor importância, mas pode dar a impressão de ser relevante porque chama uma baita atenção. Cuidado!

 

Ju De Mari é uma jornalista que virou coach para mulheres na PROSA Coaching. Pratica singelezas como forma de se relacionar com a vida de maneira mais criativa. Adora flores e fotografia, tem dois filhos e raízes no frevo pernambucano. Nesta coluna mensal, compartilha reflexões sobre transição de carreira e de estilo de vida para inspirar pequenas revoluções possíveis e práticas.   


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 211, setembro de 2019 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Cultive sua coragem: Entenda como dar os próximos passos para finalmente realizar aquilo que seu coração deseja



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*