Sobre saber dizer “não”

  • Luciana Pianaro

Aprendi que o sucesso das nossas escolhas se deve mais aos nãos que dissemos do que aos sins. Falar não muitas vezes significa saber priorizar o que importa.

 

Levei muito tempo para aprender a dizer “não”. E, hoje, mais madura, vejo como isso ainda é desafiador. Sofro, procrastino, não durmo. Fico pensando em como dizer aquela tão necessária palavrinha. Admiro os executivos objetivos e práticos, cuja firmeza (e frieza) em seus nãos convence qualquer um. Mas não sou assim. Não para tudo, claro, mas para situações delicadas. 

Recentemente, precisei tomar uma decisão que envolvia um “não” a uma pessoa que eu queria muito que estivesse em um projeto comigo. Já a acompanhava há algum tempo e achava que ela tinha o perfil. Nos reunimos num café, rimos, fizemos planos, acertamos detalhes, nos despedimos com alegria e esperança. Estava tudo combinado para começarmos, mas, alguns meses depois, por um pequeno detalhe de posicionamento que ia contra o que acredito e prezo, precisei dizer não à parceria. 

Ah, mas como eu sofri… Não conseguia dormir de tanto que pensava no assunto e cheguei a pedir ajuda a pessoas de quem confio no bom senso para sentir se eu estava sendo injusta ou radical demais. O desfecho da história é que encerramos a proposta com um suave, mas direto, não. E fizemos isso com bastante entendimento do porquê. Concluímos que estaríamos sempre pisando em ovos. Nos despedimos por e-mail, desejando sucesso. Com respeito. Com gentileza. E seguimos em frente, com carinho uma pela outra.

Escolhas

Aprendi que há algumas coisas na vida que são inegociáveis para mim: valores, princípios, família. E, quando qualquer acontecimento pode ferir isso, é preciso ter calma, sabedoria e sobretudo coragem para dizer não. E tudo bem. A gente sofre na hora, mas depois passa. Só que aprendi tudo isso sem deixar de ter sofrimento. Afinal, assim como muitas mulheres, fui educada para ser uma “boa menina”. E isso pressupõe não fazer nada de errado, não decepcionar ninguém, agradar todo mundo… Ou seja, não dizer não. 

Mas também aprendi que o sucesso das nossas escolhas se deve mais aos nãos que dissemos do que aos sins. Falar não muitas vezes significa saber priorizar o que importa. Porque hoje, com a quantidade de oportunidades e ofertas, queremos abraçar o mundo: seguir todos os perfis legais nas redes sociais, ler todos os livros necessários ao nosso crescimento, responder a todas as mensagens, trabalhar, ser esposa, mãe. Ufa. E nós, onde ficamos? A lição é que vamos ter que dizer alguns nãos. Caso contrário, não sobra tempo para focar no essencial. Naquilo que vai nos fazer feliz, que vai nos trazer paz de espírito. Em nós.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 215, janeiro de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Como ser feliz no trabalho: Para encontrar satisfação em um emprego, é preciso resgatar talentos e renovar o nosso jeito de olhar a vida



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*