Se você imaginar dias melhores, como pode viver o seu ano novo?

  • Juliana De Mari

Imaginar uma vida melhor, segundo os seus próprios critérios, é uma das atitudes mais inspiradoras que a proximidade de um Ano Novo pode trazer.

Quando a gente imagina o que pode ser (se não for o que estamos vivendo agora), abre a cabeça para investigar possibilidades e ativa a esperança de que dias mais luminosos virão. É mesmo muito gostoso fazer planos – desde que você não delegue a sua felicidade e o seu bem-estar somente ao quando “chegar lá”, tá?

A gente costuma fazer isso sem perceber: vai relacionando nosso estado de humor e de espírito a situações que não existem ainda e que não temos certeza de que vão existir exatamente do modo como as idealizamos. Mas fazer planos, dessa maneira, passa a ser uma constante postergação. É como se você estivesse dizendo a si mesma que a sua vida não é suficientemente boa e nem você é suficientemente capaz, mas vai ser quando alcançar a meta X, Y ou Z.

Não caia nessa armadilha de definir a qualidade da sua vida (e o seu próprio valor) sempre na condicional, vinculada à realizações futuras e não reconhecida e aproveitada no que você está fazendo do tempo presente. Ter metas para 2021 e tomar atitudes para colocar seus planos para frente vai demandar de você lidar com a realidade e todas as suas possibilidades, incluindo aquelas que não são exatamente o que você pensava que seriam, mas, ainda assim, podem ser interessantes.

Condicionar a sua felicidade ao emprego novo, ao carro novo, ao vestido novo, ao relacionamento novo e etc é acreditar que a satisfação não cabe na sua vida do modo como ela já é agora. Isto pode ser complicado, porque sempre vamos ter incômodos em uma ou outra área e sempre vamos desejar superá-los com novidades. É legítimo querer evoluir. É necessário ter ambição para se desenvolver. Mas é perigoso acreditar que você só vai ser digna de amor, atenção e reconhecimento ao fazer coisas extraordinárias e alcançar metas impressionantes.

Dar conta de viver o ordinário, o seu dia a dia, do melhor jeito que você conseguir, com compaixão e consciência, já é uma conquista imensa, acredite! E é no cotidiano que estão as brechas pra gente experimentar novas atitudes e sensações que nos revigoram. Não é quando o resultado da meta for alcançado: é como você vai se sentir enquanto realiza o que se propôs a fazer.

Afinal, a forma como você passa pelos seus dias é o modo como a sua vida está passando! Coloque esperança nos seus planos, aquela esperança ativa de quem faz por onde se sentir bem com as circunstâncias que já tem. Que 2021 nos encontre com ânimo e saúde! Obrigada pela companhia.


Ju De Mari é uma jornalista que virou coach para mulheres na PROSA Coaching. Pratica singelezas como forma de se relacionar com a vida de maneira mais criativa. Adora flores e fotografia, tem dois filhos e raízes no frevo pernambucano. Nesta coluna mensal, compartilha reflexões sobre transição de carreira e de estilo de vida para inspirar pequenas revoluções possíveis e práticas.  

 

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 227, janeiro de 2020 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*