Qual o lar de sua imaginação?

  • Clô Azevedo

Nossas casas carregam valor quando nos mostram quem somos e como nos sentimos dentro delas

Uma casa pode revelar o volume das coisas que possuímos, bem como o tamanho de nossas intenções com a vida. É certo que existam casas de diferentes tipos além de vizinhanças mais desejáveis que outras, porém quando imaginamos um lar, são por padrões diferentes de uma construção arquitetônica que é reconhecido. Casas são valorizadas por serem iluminadas, espaçosas e bem acabadas, porém um lar, por ser construído com observação e amor.

Em uma situação ideal, todos nós teríamos lares assim. Um espaço onde pudéssemos expressar nossas vidas através da construção diária do que nos rodeia de forma confortável, satisfatória e criativa. Mas infelizmente são poucos que acreditam nessa possibilidade. Ao observar meus sentimentos em relação a isso, posso dizer pra vocês que meu lar ideal precisa ser um lugar de trabalho, ao mesmo tempo que um lugar para fugir do trabalho. Dispor de um refúgio tranquilo para me recuperar de um dia exaustivo, um local silencioso para escrever meus pensamentos, e um lugar confortável para viver com minha família e receber meus amigos são itens igualmente essenciais. Existem muitos aspectos diferentes em minha personalidade e preciso de um lar onde eu possa expressar essas diferentes pessoas que sou.

Na verdade, todos possuímos dentro de nós uma planta baixa do lar ideal que se desenvolve de acordo com nosso cotidiano e que serve de refúgio para nossa existência. Esse projeto não lida com estudo dos espaços, cotas ou dimensões, mas com uma construção energética. Um lar é muito menos um local do que uma intenção, e quando habitamos este lugar imaginário ele adquire uma nova dimensão. Claro que continua sendo uma casa de alvenaria, mas é também o lar de alguém, a cada dia cuidado e mantido de forma sutil com a energia de quem o habita.

Todos desejamos ter esse lar! Sites de decoração contam com isso para nos vender ideias, assim como fabricantes de móveis e utensílios para nos vender seus produtos, criando assim um modelo a ser copiado, uma imagem de marketing que os lares reais não conseguem se igualar. São lindas e aspiracionais sem dúvida, mas eu não moro lá! Optar pela ilusão ao meu lar real, significa menosprezar tanto minha casa verdadeira como minha vida dentro dela. Em contrapartida, quando esse lugar perfeito que carregamos em nossa imaginação se torna uma cópia fiel de nossa planta interna, é aí que nasce algo verdadeiro que serve para nos expressar sob a forma de um lar.

Compreenda que um lar não é unicamente a especialidade de arquitetos ou outros profissionais, ele é o propósito da natureza de cada um. Não construímos um lar coletando objetos, nem seguindo as dicas da ultima tendência, e sim através da afirmação de quem somos, num local que nos pertence e que é apropriado para essa expressão.

Qual é o lar ideal que imaginou para você? Você mora num lugar assim? Será que alguém mora? Mesmo parecendo estar faltando algo em sua casa hoje, um jardim, um parceiro, um filho, não há nada de errado em querer coisas, mas entre o desejo de possuir e o contentamento com o que você já tem agora, talvez haja meses, anos aguardando algo que talvez nunca chegue. Sendo assim, não deixe de negar a si mesmo o fluxo de energia disponível no lar que você tem hoje, só porque você acha que ter um lar de verdade dependerá de alguém ou de alguma coisa que você não tenha. Seja lá onde e com quem você more, seu lar já existe, e também a opção de torná-lo cada dia melhor.

Meu lar é bem real, e é assim que ele serve ao meu espírito. Ele quer o mesmo que eu quero, coisas que conversem com meus sentimentos, e não o que me disseram que eu devia querer. Talvez signifique preparar um jantar para unir minha família, assistir um filme com meus filhos, tomar sol no chão da sala, ou qualquer coisa que me faça sentir serem as melhores coisas da vida, fazendo eu me sentir bem e trazendo alimento para minha alma!


Clô Azevedo é arquiteta e acredita que a casa é uma extensão das vidas que a habitam. Desenvolve projetos de design de interiores afetivos para conectar pessoas com suas histórias, inspirando a reinventar seu próprio espaço, morar bem e viver melhor. Seu site é designafetivo.com.

 

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 228, fevereiro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*