Nunca é apenas sobre você

  • Tiago Belotte
  • FOTOGRAFIA: Elena Mozhvilo (Unsplash)

Um movimento seu cria outros movimentos no mundo. Sua vontade produz ações na vida de outras pessoas, de animais e até de outros seres que você não enxerga.

Já parou para pensar nisso? Por mais que você esteja aí vivendo sua própria vida, tomando decisões que impactam seus próprios caminhos, nada disso te torna um ser separado de todos os outros. Nem o leite quente que você toma pela manhã, nem o fato de trabalhar um pouco até mais tarde ou pedir uma comida por delivery na sexta-feira à noite. Nada disso é apenas sobre sua vida. Um movimento seu cria outros movimentos no mundo. Sua vontade produz ações na vida de outras pessoas, de animais e até de outros seres que você não enxerga.

Ao fim, é como se fossemos uma coisa só. Em 1990, quando a sonda Voyage já estava a cerca de seis bilhões de quilômetros da Terra – 150 mil voltas na Terra ou 15 mil vezes nossa distância para a Lua – ela fez uma série de imagens do Sistema Solar. Essa série foi chamada de Retrato de Família. Dentre as fotografias, uma em que tudo é escuro, exceto um ponto, menor que um pixel. Esse ponto é azul, de um azul desbotado, bem fraquinho, quase branco. A imagem recebeu o nome de Pálido Ponto Azul. E esse ponto azul e pálido é a Terra.

Nossa casa

Quatro anos depois, numa palestra em uma universidade dos Estados Unidos, o Cientista Carl Sagan compartilha a imagem com a plateia e faz algumas reflexões sobre ela. Aquele ponto minúsculo é ao mesmo tempo a nossa casa e nós mesmos. É toda a gente que existe, já existiu e está a nascer neste exato momento. É todo ser animado e inanimado que habita o planeta.

Nunca é apenas sobre você

USGS (Unsplash)

É o ladrão e a pessoa que teve sua casa assaltada, o político e os eleitores que confiaram em suas promessas de campanha. A professora da escola pública e os alunos que tentam acompanhar as aulas online sem um bom equipamento ou conexão com internet. O policial e a pessoa negra abordada por ele, o casal que vive junto há 40 anos e a enfermeira que acabou de aplicar a vacina em ambos. A celebridade e o hater que espalhou fake news sobre ela nas redes sociais com a ajuda de bots.

Outros olhos

Segan nessa palestra afirmou que a Terra era o único lugar do universo a abrigar vida. Entretanto, no último ano, astrônomos norte-americanos calcularam 1.004 estrelas semelhantes ao Sol, que possuem planetas semelhantes à Terra em sua órbita e que podem ser vistos daqui. Segundo os cientistas, esse trabalho que estão desenvolvendo é como um mapa estelar de para onde devemos olhar primeiro caso queiramos encontrar vida inteligente fora no universo. Porque é exatamente dos exoplanetas que orbitam essas mil estrelas é que nós estamos sendo continuamente observados, se houver vida inteligente por lá.

Para esses seres, não existem várias histórias da Terra. Existe uma, da qual todos nós fazemos parte. Por isso, nunca é apenas sobre você. É sobre nós, a nossa existência, sobrevivência e continuidade. As suas menores ações, bem como as maiores, são ameaça ou auxilio. Destruição ou regeneração. O impacto pode ser imediato, como o aumento ou a diminuição da intolerância, do preconceito, da fome. Ou futura, como no caso da emergência climática. O ano de 2030 segundo os cientistas é a data limite para salvar nosso planeta de uma catástrofe.

O retrato que mais importa nessa discussão não é o seu 3×4, da sua família ou do seu grupo de amigos. É o retrato de família, registrado pela Voyer, do Pálido Ponto Azul. Que somos todos nós.


Tiago Belotte é fundador e curador de conhecimento no CoolHow – laboratório de educação corporativa que auxilia pessoas e negócios a se conectarem com as novas habilidades da Nova Economia. É também professor de pesquisa e análise de tendências na PUC Minas  e no Uni-BH. Seu Instagram é @tiago_belotte. Escreve nesta coluna semanalmente, aos sábados.

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 230, abril de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*