Nossas contradições são prova da nossa humanidade

  • Tiago Belotte

Não sei o porquê, mas o supermercado levanta muitas reflexões sobre a vida na minha cabeça. Assim como o chuveiro tem a capacidade de me fazer alcançar novas ideias.

Voltando às compras, estava eu tirando os produtos do carrinho e colocando na esteira, enquanto a moça do caixa registrava cada um deles e Patrícia, minha esposa, acondicionava mas sacolas que levamos de casa. Gosto de entrar nesse detalhe, porque fico feliz de não gastar sacolas plásticas.

Me sinto parte do time Greta Thumberg, ajudando o mundo com uma atitude mais sustentável. Aí volto a prestar atenção nos produtos, vejo vários com embalagens de isopor ou plástico pouco justificáveis e imagino a Greta se afastando de mim.

Nos últimos anos, fiz uma reeducação alimentar bem importante. Mudei minha relação com a comida, dando preferência pra alimentos frescos, reduzindo ultraprocessados e alimentos com açúcar. O carrinho retrata isso bem, cheio de produtos hortifruti. Bela Gil me daria um abraço, até notar que por baixo de todo o verde, garrafas de refrigerante zero.

Sou uma contradição, reflito enquanto a atendente do caixa passa as cenouras e eu coloco as garras pet de líquido preto sobre a esteira. Olho para os lados e me pergunto, mas quem não é? São nossas contradicoes uma prova de que somos humanos. Queremos, mas não fazemos. Tentamos e não conseguimos. Lutamos e perdemos. Mudar é processo lento. Da decisão pra ação leva tempo. E a coerência entre o que queremos e acreditamos e o que fazemos, acredito, é uma jornada.

Hoje já não estaciono na culpa. Aceito a contradição e me afasto do rótulo. Não sou uma pessoa consciente, estou me conscientizando. Não me alimento apenas de forma saudável, estou me educando. E assim como nessas duas áreas, tento ser assim com outras dimensões da minha vida. A minha tranquilidade não nasce da perfeição, e sim da soma de conquistas com  o compromisso em ser a cada dia um pouco melhor.

O bonito da nossa humanidade é nossa capacidade de aprender, desde que acolhamos quem nós somos. Com imperfeições e incoerências. Elas passarão. Como as compras, que já passaram todas. Pago, agradeço e sigo. Na fila do caixa e na vida, é preciso seguir em frente.


Tiago Belotte é fundador e curador de conhecimento no CoolHow – laboratório de educação corporativa que auxilia pessoas e negócios a se conectarem com as novas habilidades da Nova Economia. É também professor de pesquisa e análise de tendências na PUC Minas  e no Uni-BH. Seu Instagram é @tiago_belotte. Escreve nesta coluna quinzenalmente, aos sábados.

 

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 226, dezembro de 2020 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*