Modern Love, da Amazon Prime

  • Suzana Vidigal
  • FOTOGRAFIA: Amazon/Divulgação

Modern Love traz à tona histórias ordinárias no seu conteúdo, mas extraordinárias na sua autenticidade e capacidade de criar empatia com o espectador e leitor

 

Modern Love é uma série da Amazon Prime, que nasceu inspirada em uma coluna homônima publicada no jornal americano The New York Times, que nasceu de uma sacada genial de falar das diversas formas de amor. Que são muitas, infinitas – inclusive o amor próprio. Funciona assim: os leitores mandam pro jornal suas histórias, que são selecionadas pelos editores e publicadas na coluna semanal. São registros de histórias de vida de gente comum, como nós, o que causa, inevitavelmente, uma identificação imediata.

Modern Love é definida como sendo uma coluna sobre relacionamentos, sentimentos, traições e revelações. É tudo isso mesmo, junto e misturado, como é dentro da gente. Da coluna no jornal, que já existe há 15 anos, surgiram filhotes: um livro, o podcast (no Spotify) e a minissérie de 8 episódios lindamente conduzidos, que me emocionaram do começo ao fim.

ASSINE A VIDA SIMPLES

Tudo isso pra dizer que emocionada com a minissérie – que descortina maneiras de amar tão comuns e tão surpreendentes, que a gente veste a carapuça várias vezes, tendo cada vez mais a certeza de que somos movidos essencialmente por amor, sim! – mergulhei no podcast, à procura de mais histórias de pessoas comuns. No podcast, funciona assim: as pessoas mandam suas histórias escritas, os editores selecionam, e atores famosos, do porte de Jake Gyllenhaal e Kate Winslet, fazem a leitura pra gente ouvir. Em seguida, como a cereja do bolo, tem o depoimento da pessoa que escreveu a história.

Identificar o amor

E como fazer podcast é mais rápido do que filmar episódios de uma minissérie, já tem lá episódios sobre Modern Love na pandemia. Várias histórias de como as pessoas estão se sentindo neste momento de isolamento social. Pessoas relatando como estão passando por este momento: umas atoladas de demandas familiares, outras vazias na solidão das famílias distantes; umas improdutivas, outras descobrindo novas habilidades profissionais; umas tendo que lidar com as múltiplas demandas domésticas, outras sentindo-se livres por ter que fazer comida só pra um; umas sem emprego, outras trabalhando no front de batalha da saúde para salvar vidas.

ASSINE VIDA SIMPLES

Modern Love e seu conceito de trazer à tona histórias ordinárias no seu conteúdo, mas extraordinárias na sua autenticidade e capacidade de criar empatia com o espectador e leitor, me fez pensar o quanto o isolamento social produz em nós sentimentos tão diferentes. O quanto oscilamos. O quanto, diante do cenário desastroso, ter o privilégio de fazer essas reflexões nos dá a oportunidade de encontrar e identificar amor, seja ele moderno ou antiquado, novo ou antigo, grande ou pequeno, perto ou distante, humano ou animal, sereno ou intenso, de mãe ou de filho, de namorado ou de amigo, de vizinho ou de desconhecido, por nós mesmos.

 

Onde assistir:

Minissérie: Modern Love (Amazon Prime)

Podcast: Modern Love (Spotify, em inglês)

 

Suzana Vidigal é tradutora, jornalista e cinéfila. Gosta de pensar que cada filme combina com um estado de espírito, mas gosta ainda mais de compartilhar com as pessoas a experiência que cada filme desperta na mente e na alma. Em 2009 criou o blog Cine Garimpo (www.cinegarimpo.com.br e @cinegarimpo) e traz, quinzenalmente, dicas de filmes pra saborear e refletir. 

 

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 224, outubro de 2020 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Quando enxergamos a passagem do tempo com consciência, reconhecemos que a jornada pode ser cheia de beleza em todos os anos da nossa existência



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*