Filhos também são professores

  • Lua Fonseca
  • FOTOGRAFIA: Picsea | Unsplash

Quando educamos, olhando com acolhimento para nossos  erros e acertos, aprendemos mais, muito mais

Quando o assunto é a relação entre pais e filhos, assustam-me as listas de soluções fáceis: como fazer para controlar a birra; educar com limites; conversar com o adolescente. É muito melhor acreditar que a felicidade mora na dica infalível do que encarar o trabalho pesado que é educar filhos.

Vivemos um tempo e valores cada vez mais individuais. E, apesar de desejar que as crianças desenvolvam a empatia, as pessoas ainda não cumprimentam os porteiros. Diante dessa perspectiva, não resta outra alternativa para as crianças, senão repetir esse padrão autocentrado. Sem perceber, estamos minando a possibilidade de os nossos filhos serem melhores do que nós, por acreditar que o problema é a birra, a timidez ou a falta de limites. O problema somos nós.

Ser pai ou mãe nos coloca diante de um espelho. Nossos filhos nos desafiam a encarar as piores sombras e as memórias mais escondidas. Uma vez que entendemos nossas frustrações, medos e falhas, temos a chance de não passar isso adiante.

Sou filha de uma mãe jovem, que encarou a maternidade sozinha. Durante anos, não entendia a função de um pai. Até que me casei com um canceriano, que não estava disposto a abrir mão desse lugar. A minha tentativa de desviar do espelho não durou muito, pois eu precisava deixar que meu marido fosse esse pai para nossos filhos. Não foi um caminho exatamente fácil, mas baixei a guarda, acolhi a minha criança ferida e perdoei.

Diante desse compromisso que firmei comigo, os desafios apresentados pelos meus filhos são encarados com mais gentileza. Estamos aprendendo o tempo todo. Mas ao entender o meu percurso – e dificuldades –,coloco-me de forma mais humana na relação com meus filhos. E sigo agradecendo por eles serem tão bons professores.


Lua Fonseca
é pernambucana, educadora parental e mãe de quatro filhos, mas também consegue ser outras coisas quando sobra tempo. Escreve mensalmente na edição impressa de Vida Simples


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 243, maio de 2022 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*