Criação, criatividade e a força da mulher

  • Kareemi
  • FOTOGRAFIA: Diana Simumpande | Unsplash

O poder de criar e recriar em todos os sentidos é uma característica intimamente ligada ao feminino. Podemos dizer que a criatividade nasce da conexão com os sentidos, intuição, de uma espécie de acesso a algo que não passa pela mente ou pela razão. E tudo isso, num sentido mais poético e sutil, nos liga ao coração, ao emocional.

Porém nós, mulheres, temos mais facilidade de acessar  isso por questões biológicas também. Temos, em nosso sistema ginecológico, os ovários, que simbolizam nossa criatividade, nossa capacidade e criação. E não é para menos, já que eles têm papel fundamental para dar start à geração de uma das mais divinas criações: o ser humano.

São justamente os ovários que dão a matéria prima para esta criação, o óvulo. Não excluindo a suma necessidade e importância da matéria-prima masculina, ok?  Sem o homem nada será fecundado, não haveria como gerarmos vida em nossos úteros.

Esse simbolismo e informação sobre a criatividade estar relacionada aos nossos ovários,  vem de conhecimentos muito antigos e ancestrais femininos, guardados por mulheres descendentes das mais antigas culturas do planeta. Segundo a ancestralidade feminina, cada parte do nosso aparelho reprodutor simboliza e corresponde aos comportamentos, emoções e características especialmente femininas. 

Então, olhando pelo aspecto de que ovários e criatividade estão relacionados, trago aqui uma reflexão muito importante e bem atual para você: 

Como anda a sua criatividade em um mundo que pede tanta racionalidade para darmos conta dos múltiplos papéis e funções que temos acumulado nas últimas décadas?

E mais: como anda a nossa saúde emocional e consequentemente ginecológica diante dessa realidade que demanda mais comportamentos masculinos em nossas ações?


Temos que pensar o tempo todo de maneira prática e racional para tentarmos ter sucesso em todas as áreas. 

Somos cuidadoras da família, do lar, dos filhos. 

Somos profissionais, trabalhadoras, empreendedoras. 

Nossa mente trabalha incessantemente no modo automático. Como abelhas-operárias, temos que executar, fazer, concluir e obter resultados! Tempo para nos cuidarmos, nos olharmos, e assim nossa mente relaxar e a criatividade fluir, praticamente não existe!  Nossa criatividade tem estado (em geral) bloqueada. O que impacta nossa saúde emocional, física, e nos desconecta dos nossos talentos e dons criativos.

Fazendo a relação entre ovários e capacidade de criar, e ouvindo centenas de mulheres nos últimos anos, faz muito sentido perceber que os problemas desencadeados nos ovários como, cistos, teratomas, micro cistos, tumores e ausência de ovulação na faixa etária chamada “fértil”, geralmente têm suas respostas nesse “bloqueio” da criatividade feminina.

De fato, mulheres que deixaram de fazer o que amavam (ou nunca chegaram a fazer o que amam) – seja na vida pessoal ou profissional – têm histórias que se cruzam onde seus dons e talentos não fluíram por conta desse sistema no qual tentamos sobreviver, e em geral desenvolveram problemas e desequilíbrios nos ovários.

Eu mesma estive neste grupo um dia. Com tanto trabalho, racionalidade e necessidade de autoafirmação, meus ovários responderam com S.O.P. (síndrome dos ovários policísticos). A reversão do quadro se deu com  terapêutica, muito autoconhecimento emocional e cíclico, e uma grande mudança no meu trabalho, comportamento, na minha vida.

Todo ser humano precisa deixar fluir seu poder de criação. A criatividade tem algo de divino em si e por isso necessitamos dela se manifestando em nós. 

Saber identificar o que nos impede de realizar o que nos dá prazer é a chave para abrir nossos canais de criação.

A capacidade de curarmos nossas vidas está em nossas mãos. Quando curamos nossas vidas, nosso corpo funciona perfeitamente, sem bloqueios ou problemas que vêm para nos mostrar que algo precisa ser percebido. Está tudo interligado. 

Perceber como flui sua criatividade, como você expressa seus dons e talentos, lhe fará perceber como está o bem-estar do seu corpo feminino.

 

Kareemi é criadora da Ginecologia Emocional, autora do livro Viva Com Leveza (Gente) e palestrante motivacional. Nesta coluna, quinzenalmente, traz reflexões sobre os comportamentos, emoções, corpo e alma femininos. Seu instagram é @ginecologiaemocional


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 214, dezembro de 2019 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Viva com mais calma: É possível desacelerar e cultivar uma forma mais tranquila de aproveitar cada dia, valorizando a presença e a contemplação



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*