Autoconhecimento é respeito pela sua história

  • Juliana De Mari
  • FOTOGRAFIA: Joanna Kosinska | Unsplash

Podemos contemplar e valorizar aquilo de bom que também conquistamos porque isso também nos ajuda a seguir em frente com mais consciência da trajetória


Tem se falado muito a respeito de autoconhecimento e autodesenvolvimento atualmente – e isto é muito bom. Há uma oferta imensa de conteúdos, de treinamentos e de serviços diversos que se propõem a ajudar você a entrar em contato com as suas verdades a partir do olhar para dentro.

Estar em contato com o que você sente, com o que pensa e como isso influencia no que escolhe fazer, refletir sobre as coisas da vida e a sua responsabilidade em relação a elas é uma atitude sempre bem-vinda.

Mas há um detalhe a observar para que esse processo, que tem tudo para ser emocionante e potente, não vire uma tormenta. 

Focar no que falta pode ser um modo de ser conectar à oportunidades de progresso e melhoria, claro, mas é preciso cuidado pra esse esmiuçar de problemas não virar uma evocação de sentimentos negativos, de insatisfação e tristeza, generalizados.

Viver questionando a sua realidade (e quem você é), porque as suas expectativas não estão sendo atendidas, costuma gerar ainda mais crítica e frustração.

Você já experimentou refletir sobre o que está funcionando na sua vida? E sobre as coisas que faz bem – e gosta de fazer? Ou ainda sobre as pessoas que emanam boas vibrações e têm atitudes que contribuem de uma forma gostosa para os seus dias? 

Aprender a apreciar o que está acontecendo aqui, agora, mesmo quando há chateações que você não pode controlar na base da sua vontade (às vezes, nem por meio da sua ação) é muito importante para não perder de vista o tanto que você já é, apesar do que está pedindo evolução.

Temos crenças que podemos revisitar, temos padrões de comportamento que podemos transformar, temos hábitos que podemos substituir por outros mais saudáveis e favoráveis a quem queremos nos tornar, sim.

Mas antes de sair por aí se lamentando e querendo revolucionar tudo, como se a sua vida fosse só infortúnios, aproprie-se do quanto você já encarou, já experimentou, já criou, já ultrapassou e já ofertou e já recebeu de bom. 

Valorizar o positivo na sua história não é fazer vista grossa ao que está ruim e incomoda. Isso é outra coisa: é se omitir de cuidar do que você pode. A minha sugestão é que você se conecte aos aspectos bonitos e marcantes da sua trajetória para se abastecer de você de um jeito muito legítimo e alimentar, assim, a sua confiança e a sua esperança, naturalmente.

Não é viável resolver nenhum aspecto da sua vida à base de uma energia estagnada de reclamação, que gera cansaço mental e mina a sua capacidade de vislumbrar recursos e soluções criativas para o que está pedindo a sua atenção.

Aprecie o que trouxe você até aqui e experimente dialogar mais com o que fez você se sentir feliz, capaz e em paz nesse caminho. Aposto que há muito sobre você que está escondido e que você nem se lembra de valorizar porque está enredada no que está dando errado agora. Como seria trazer o seu melhor jeito de ser/estar/agir para revitalizar o seu momento atual? Autoconhecimento é muito sobre se dar esse devido respeito e valor.    

 

Ju De Mari é uma jornalista que virou coach para mulheres na PROSA Coaching. Pratica singelezas como forma de se relacionar com a vida de maneira mais criativa. Adora flores e fotografia, tem dois filhos e raízes no frevo pernambucano. Nesta coluna mensal, compartilha reflexões sobre transição de carreira e de estilo de vida para inspirar pequenas revoluções possíveis e práticas.   

 


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 213, novembro de 2019 ASSINAR
COMPRAR A EDIÇÃO

NESTA EDIÇÃO

Como ter mais tempo: É possível se relacionar com os afazeres que lotam a agenda com menos ansiedade e mais equilíbrio e pausa na rotina



TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*